Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
14/06/2017 09:06 | Autor: Editor

Agente penitenciário baleado em Toledo continua na UTI

Vítima de atentado a tiros na noite desta terça-feira, o agente penitenciário Rogério Oscar Werkhauser, 49 anos, continua internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Bom Jesus, em Toledo.

Uma mulher também foi ferida, mas com menor gravidade

De acordo com informações de seus familiares, ele estava lotado na Penitenciária Estadual de Cascavel e foi alvejado por disparos de arma de fogo que provocaram perfurações no fígado, rim e pulmão.
O atentado aconteceu por volta das 20h45, durante reunião de estudos na Sociedade Espírita da Vila Pioneiro, e, além do agente, também provocou ferimentos em Renate Maria Preussler, 62 anos,
Depois de terem efetuado os disparos que estourarem vidros da frente do imóvel e atingido as vítimas, foram avistados dois elementos embarcando em uma motocicleta e fugindo em alta velocidade.
Tudo indica que a intenção dos criminosos seria exclusivamente atingir o agente penitenciário, já que a mulher que participava da reunião foi alvejada apenas por um disparo no braço e passa bem.
Enquanto o Corpo de Bombeiros providenciou o encaminhamento das vítimas ao Hospital Bom Jesus, a Polícia Militar iniciou as buscas e nas proximidades do local do atentado se deparou com a motocicleta CG125, placa AVE-8815.
Essa moto havia sido furtada na cidade de Cascavel e, segundo testemunhas, seria a mesma utilizada minutos antes pelos autores da ação criminosa.
Rogério Oscar Werkhauser permanece internado na UTI e, antes de ter sido aprovado em concurso e se tornar agente da Penitenciária Estadual de Cascavel, integrou a Guarda Municipal de Toledo e chegou a ser candidato a vereador.
A exemplo do que supõe a Polícia Civil, o advogado do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Jairo ferreira Filho, diz acreditar que os pistoleiros tinham como único propósito a morte do servidor público.
Este é o terceiro crime que teve como vítimas servidores penitenciários: no dia 25 de maio deste ano a psicóloga da Penitenciária Federal de Catanduvas, Melissa Almeida, foi morta a tiros quando chegava em casa no Bairro Canadá em Cascavel.
Já em setembro de 2016, o agente federal Alex Belarmino foi assassinado na Região do Lago Municipal, em Cascavel.
De acordo com a Polícia Federal, as mortes dos servidores federais foram encomendadas por facções criminosas, o que também pode ter ocorrido em relação ao agente da Penitenciária Estadual.