Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
14/02/2018 09:37 | Autor: Editor

Brasileiros são barrados no Paraguai por não apresentarem vacinação contra a febre amarela

A 10° Região Sanitária do Paraguai informou que de dois a três brasileiros tem entrada negada no país diariamente por Cidade do Leste, por não apresentarem comprovante de vacinação contra a febre amarela.
A carteira de vacinação passou a ser pedida em 1° de fevereiro deste ano, por determinação do Ministério de Saúde Pública e Bem Estar Social, como forma de impedir que a doença entre no país.
A exigência da vacina contra febre amarela vale para qualquer pessoa que procura a aduana paraguaia da Ponte Internacional da Amizade, para pedir permissão para viajar pelo país.
A vacina também é exigida à pessoas que deixam o Paraguai com destino à estados brasileiros considerados de risco, como São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.
A carteira não é obrigatória para quem tem como único destino Cidade do Leste.
O Ministério da Saúde do Paraguai informa que pessoas com viagem planejada para estes destinos considerados como zonas de risco, devem se vacinar com prazo mínimo de 10 dias.
O ministério ressalta, que uma dose é suficiente para ficar imune contra a febre amarela por toda a vida.
Pessoas com contraindicação à vacina, como imunodeprimidos e com hipersensibilidade ao ovo e derivados, ficam dispensados da exigência, considerando o risco epidemiológico de contrair a doença, principalmente grávidas e idosos.
A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores; geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos.
As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias.