Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
12/07/2018 14:40 | Autor: Editor

Pré-candidato do PDT tem dificuldades para montar chapas proporcionais

Com mais recursos financeiros Cida e Ratinho conquistam maiores adesões


Entre os potenciais candidatos ao Governo do Paraná na eleição de outubro, quem está enfrentando problemas para a montagem de uma chapa competitiva de deputados estaduais é o ex-senador Osmar.
Há quem diga que o PDT sairá praticamente isolado para a eleição proporcional, com uma chapa deputados pouco promissora eleitoralmente.
A deputado federal, por exemplo, conta hoje só com dois parlamentares: Assis do Couto, do PDT, e Diego Garcia, do Podemos.
Além deles, há, como nomes de expressão, Gustavo Fruet, ex-prefeito de Curitiba e Nelton Friedrich, que deixou a diretoria de coordenação de Itaipu.
Mesmo tendo Fruet como um dos candidatos a mais votado do ano, já que qualquer ex-prefeito de Curitiba sai com um considerável número de votos para uma eleição proporcional, é difícil até onde o partido tem como conseguir uma bancada razoável.
A chapa para deputados estaduais tem apenas um deputado estadual eleito, pois o partido elegeu quatro deputados em 2014, mas três desertaram no meio do caminho, e só sobrou Nelson Luersen.
O problema para Osmar Dias é que apoio político tem a ver com dinheiro, ou seja, quem tem muito acaba atraindo mais, mas quem tem pouco acaba não conseguindo muito mais.
Isso quer dizer que, com dificuldade de montar chapa, os deputados de outros partidos da coligação tendem a se afastar de Osmar Dias e correr para o lado de Cida Borghetti ou Ratinho, que têm possibilidade de fazer bancadas gigantescas.