Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
05/09/2018 15:02 | Autor: Editor

Colheita de trigo começa com duas semanas de atraso no Paraná

A colheita de trigo da safra 2018 no Paraná começou com duas semanas de atraso e lavouras em piores condições ante o observado há um ano.


A estiagem entre abril e maio retardou o plantio


Segundo o Departamento de Economia Rural, da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, o levantando deixa os agricultores ainda mais receios quanto ao tamanho da produção no Paraná.
Até segunda-feira passada, 2% da área cultivada com o cereal no Paraná havia sido colhida, contra 16 por cento em igual momento de 2017.
No ano passado, os trabalhos de campo iniciaram em meados de agosto.
A colheita tardia em 2018 reflete a estiagem entre abril e maio, que retardou o plantio do trigo.
Nos últimos meses, além da própria seca, as plantações paranaenses foram atingidas por outras adversidades climáticas, incluindo uma forte geada na semana passada, com impactos principalmente no oeste e sudoeste.
Dessa forma, as lavouras do Estado chegam à fase de colheita deste ano em piores condições.
Conforme o Deral, 22% das plantações têm estado “ruim” e 42% “bom”, enquanto há um ano eram 18 e 49 por cento, respectivamente.
Os números levantam preocupações sobre o tamanho final da produção no Paraná, cujas estimativas o Deral vem cortando nos últimos meses.
No final de agosto, o órgão, vinculado à Secretaria de Agricultura do Estado, reduziu sua projeção pela primeira vez abaixo de 3 milhões de toneladas.
Para os próximos dias, as condições devem ser favoráveis ao avanço da colheita no Paraná, com chuvas abaixo da média em todo o Estado.
O Deral relatou ainda que o plantio de milho primeira safra 2018/19 no Paraná está em 2 por cento do total, ante 4 por cento há um ano.
O Departamento projeta uma produção de 3 milhões e 210 mil toneladas do grão colhido no verão, em uma área de mais de 350 mil hectares.
O Paraná é o segundo maior produtor de milho do Brasil, atrás apenas de Mato Grosso.