Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
30/10/2018 15:12 | Autor: Editor

A transição no Paraná, que prometia ser tranquila, começou de forma equivocada

Governador impede ingresso antecipado da equipe de transição de Ratinho Jr

A governadora Cida Borghetti negou ontem ao governador eleito Ratinho Junior o pedido de antecipação da transição dos governos.
Até o fim da tarde de ontem, Ratinho Jr estava sem resposta ao pedido feito na primeira reunião com Cida, no último dia 17, para que sua equipe tivesse acesso antecipado ao Palácio Iguaçu e aos dados do Estado.
Após duas semanas sem resposta, a equipe do novo governo protocolou na última sexta-feira um pedido formal para antecipação para o primeiro dia após o segundo turno da eleição presidencial, o que não ocorreu.
Em nota, o governo Cida informou que o processo de transição e suas regras estão estabelecidas no decreto 11.397/2018, que foi assinado no dia 16 e que a data de início está marcada para o dia 3 de dezembro, primeiro dia útil do mês.
Diz a nota que o objetivo é organizar a transição e garantir transparência e harmonia nas ações e informações repassadas. Até então, ou seja, antes da edição do decreto, as transições eram feitas conforme as normas definidas no momento”.
O decreto já havia sido assinado por Cida um dia antes da reunião com Ratinho Jr, ou seja, o pedido do novo governador foi feito justamente para mudar o decreto porque a equipe discorda do argumento do atual governo e prevê maior dificuldade de gestão em razão do curto período de tempo para tomar parte das informações do Estado.
Serão apenas 18 dias úteis entre a data em que a equipe entrará no Palácio Iguaçu e o dia 1º de janeiro, data da posse.
De acordo com o decreto da governadora, a equipe de transição pode ter até dez membros , sendo cinco representantes da governadora e cinco do governador eleito.
O atual chefe da Casa Civil, Dilceu Sperafico, coordenará os trabalhos por parte do governo e Darci Piana , vice de Ratinho, deve ser o homem forte do outro lado no processo de transição.
O decreto prevê que a partir do dia 3 de dezembro haja disponibilidade de infraestrutura e apoio técnico-administrativo para a equipe de transição.
O documento assegura a transferência de dados fundamentais para facilitar o desenvolvimento de programas e projetos de Estado.