Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
07/11/2018 10:55 | Autor: Editor

Definido o dia 19 como início da transição no governo paranaense



A governadora Cida Borghetti e o governador eleito, Ratinho Júnior, fecharam ontem acordo para antecipar para o próximo dia 19 o início da transição entre os dois governos, inicialmente marcado para 3 de dezembro.
Após reunião no Palácio Iguaçu, os dois também anunciaram oficialmente os nomes que vão compor as equipes de transição.
Pelo governo Cida, foram escalados o secretário chefe da Casa Civil, Dilceu Sperafico; o secretário do Desenvolvimento Urbano, Silvio Barros; o secretário da Fazenda, José Luiz Bovo; o controlador-geral do Estado, Carlos Eduardo de Moura, e o procurador-geral Sandro Kozikoski.
Já Ratinho Júnior anunciou que vão compor a equipe o ex-deputado federal Reinhold Stephanes, coordenador do plano de governo; o deputado estadual Guto Silva; o ex-secretário da Agricultura do governo Beto Richa, Norberto Ortigara, além de Cláudio Stab e João Carlos Ortega, entre outros nomes.
Os dois combinaram ainda que Cida deve encaminhar à Assembleia Legislativa um projeto para regulamentar as Parcerias Público-Privadas pelo qual Ratinho Júnior pretende terceirizar obras e projetos de seu futuro governo.
Segundo o governador eleito, a ideia é elaborar uma proposta conjunta, já que a atual administração já estaria com um esboço do projeto.
O jurídico de Ratinho Jr. vai sentar com o jurídico do atual governo vão sentar para ver quais são os pontos que têm convergência, o que é possível ser juntado nesse projeto para que seja encaminhado pela governadora à Assembleia e se possível ser votado ainda este ano para que o Paraná possa a partir do ano que vem começar janeiro discutir algumas áreas que possam ter PPPs.
Entre as áreas que pretender o usar o modelo de PPPs está a carcerária.
O governador eleito – que até agora só anunciou um secretário, o general Luiz Felipe Kraemer Carbonell, para a segurança – admitiu ontem que já tem outros nomes escolhidos.
Ele alegou, porém, que só pretende anunciá-los depois que receber o estudo da Fundação Dom Cabral, sobre a redução do número de secretarias.
Deputado estadual licenciado, o governador eleito, Ratinho Júnior, descartou ontem interferir na eleição do comando da Assembleia Legislativa, marcada para fevereiro.
Segundo ele, a população já mandou um “recado” para os políticos nas últimas eleições de que não aceita mais interferências do Executivo no Legislativo.
O atual presidente, deputado Ademar Traiano, tem intenção de conquistar um novo mandato, e contava com o apoio de Ratinho Jr.
O tucano apoiou a candidatura do governador eleito, apesar do PSDB ter integrado a coligação da governadora Cida Borghetti.
Outros nomes, porém, estão na disputa, como o ex-líder do governo Beto Richa, deputado Luiz Cláudio Romanelli, e o deputado federal Fernando Francischini, o mais votado da história para a Assembleia.