Rádio Difusora

(45) 9-9997-0532
18/03/2019 14:21 | Autor: Editor

Chuvas provocam estragos em cidades, mas não prejudicam a agricultura

Apesar do tempo chuvoso desde o início do ano e dos estragos feitos pela água nas cidades de todas as regiões brasileiras, no campo o cenário é outro.

No Oeste do Estado a safrinha de milho pode bater recorde


A quebra da safra de soja 2018/19 no Paraná de 15%, em relação ao registrado em 2017/18, é resultado do tempo seco desde dezembro, e não da chuva.
A safra deve ser de 16,8 milhões de toneladas, abaixo das 19,12 milhões de toneladas da anterior.
A cultura de soja é a principal do Estado e, no campo, a chuva não deve impactar no resultado final.
A afirmação é de Salatiel Turra, chefe do departamento de Economia Rural da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, e tem como base o último levantamento das principais culturas do Paraná.
Segundo o relatório da Estimativa de Safra deste ano, dos 5.428.671 hectares destinados ao plantio oleaginosa, restam cerca de 40% para serem colhidos.
Desee total, 80% da área de soja está com boa condição, 18% média e apenas 2% ruim.
Turra afirma que as dificuldades para colher a soja restante podem ocorrer caso as chuvas previstas para os próximos dias sejam muito intensas.
Entretanto, se continuarem com as que têm ocorrido na última semana, espaças e isoladas, não haverá problemas para colocar os tratores e colheitadeiras no campo.
A respeito do atraso no plantio da cultura de milho, Turra também lembra que não deve haver perdas significativas.
Da 2ª safra de milho, dos 2.203.985 hectares destinados à gramínea 91% já estão plantados.
Ressalta-se que no Oeste do Estado a realidade é bem diferente, ou seja, aqui tanto a colheita de soja como o plantio de milho ocorrem bem mais cedo.
Destas, 93% do milho semeado apresentam boas condições e 85% da cultura está em fase de desenvolvimento vegetativo – e a água nesta fase é bem-vinda.
Segundo Turra, nas outras culturas como batata e feijão são em quantidade menos significativas e mesmo assim, as chuvas também não têm atrapalhado.
No caso da batata 2ª safra 93% da área destinada ao tubérculo já está plantada e deste total cultivado, 94% apresenta boas condições.
Já a de feijão 2ª safra tem 99% da área destinada já plantada com 95% em condição boa e 5% média.
Deste total já plantado 2% estão em fase de germinação, 82% em fase de desenvolvimento vegetativo, 13% em fase de oração e 3% em fase de frutificação.