Rádio Difusora

(45) 9-9997-0532
26/03/2019 14:54 | Autor: Editor

Levantamento aponta aumento de focos de mosquito da dengue em Mal Rondon

De cada 100 imóveis vistoriados pelo menos seis apresentaram focos do mosquito

O Programa Municipal de Controle da Dengue de Marechal Rondon apresentou o resultado do último Levantamento do Índice Rápido realizado pelo setor de Endemias da Secretaria de Saúde entre os dias 11 e 15 de março.
O índice é de 5,7 e está sendo considerado alto.
Segundo o coordenador do programa do setor de Endemias da Secretaria de Saúde, Sérgio Sigmar Radke, o índice quer dizer que de 100 imóveis, cerca de seis apresentam focos, tendo por vezes, mais de um foco no mesmo local.
Isto segundo ele, que dizer que em muitas localidades do município, tanto na sede como no interior, a presença de mosquitos é bastante significativa, gerando muitas reclamações por parte da população, inclusive relatadas através de telefonemas recebidos na sede do Setor de Endemias, para que seja feito o uso de inseticidas, o popular ‘fumacê’, o que nem sempre pode ser atendido já que, o uso de inseticidas tem muitos efeitos colaterais”.
O coordenador salienta que o município, nos últimos meses, apresentou apenas um caso confirmado de dengue, no entanto, isso não quer dizer que Marechal Rondon esteja imune ou livre da doença, já que o quadro pode mudar rapidamente, visto que diversas regiões no estado do Paraná e no Brasil apresentam alto número de casos ou estão em epidemia.
Radke lembra que “estamos cercados ou muito próximos de municípios onde o número de casos está aumentando a cada semana. Alguns já estão apresentando quadro de epidemia e a circulação de pessoas de uma localidade para outra, pode fazer com que o vírus comece a circular no nosso município, aumentando nossos casos e, em situações mais extremas, fazer com que tenhamos uma nova epidemia, como aconteceu em 2016”.
As medidas de prevenção e combate ao mosquito transmissor da dengue são frutos de um trabalho conjunto entre o Setor de Endemias e a população.
O Setor de Endemias, que atualmente conta com 40 agentes, deve cobrir num período de dois meses, os atuais cerca de 24 mil imóveis do município.
Nestas visitas, o objetivo é vistoriar os locais, atingindo no mínimo 80% deste total, levando em conta os imóveis fechados, disponíveis para locação, dentre outros locais.