Rádio Difusora

(45) 9-9997-0532
27/03/2019 10:12 | Autor: Editor
Fonte: Bem Paraná

Placa de carro padrão Mercosul gera dúvidas, mas sem correria no Paraná

O sistema que oferece o novo emplacamento padrão Mercosul deve ser implantado em todo o País até o dia 30 de junho de 2019, porém, não são todos os casos que têm necessidade de fazer a mudança. Também não há uma data limite para a instalação das novas placas nos veículos. De acordo com o diretor operacional do Detran-PR, coronel Mauro Celso Monteiro, a mudança tem ocorrido de forma natural, na medida em que proprietários de veículos precisam atualizar informações.

“O veiculo que já tem a placa nacional (a comum) só vai precisar alterar (para a padrão Mercosul) em caso de troca de município, transferência de propriedade, entre outras alterações. Mas daqui cinco anos, por exemplo, a placa vai estar enferrujada ou inelegível, então ele (proprietário) vai precisar trocar, porque não pode rodar com placa inelegível. Nesse caso ele trocaria de qualquer forma”, afirma.

Desde o dia 17 de dezembro, o órgão emitiu 401.826 placas padrão Mercosul no Paraná. Isso representa 2,9% do total de 7,2 milhões de veículos no Estado. Em Curitiba foram emitidos 85.571 novos documentos e 61.656 veículos foram emplacados até agora.

Monteiro afirma que há outros momentos em que os proprietários devem trocar as placas. “Mudança de categoria (do veiculo), de quem quer transformar o carro em comercial, por exemplo; se rompeu o lacre — hoje não existe mais lacre, o Detran não fornece mais. Esse lacre era de outro sistema de identificação e o fim dele foi feito pelo Denatran para baixar custos”, lembra.

Também é possível que proprietários simplesmente queiram atualizar a placa, mesmo que não haja necessidade legal. Quem está com a documentação do veículo em dia, IPVA e Licenciamento pagos, sem multas e quiser mesmo assim atualizar as placas, precisa reservar aproximadamente R$ 430,00 para sair com o carro convencional emplacado, incluindo R$ 129,33 de taxa para emissão do novo documento CRLV (certificado de registro e licenciamento de veículo) e R$ 49,56 de taxa de vistoria do veículo. “O movimento está normal. As pessoas que já faziam esses serviços continuam fazendo no mesma escala. O maior movimento é de veículos novos, então a variação é a mesma. Deve atualizar aos poucos”, estima Monteiro.

Empresas devem lucrar no início, mas somente no início
As dificuldades encontradas para emplacar veículos com as novas placas padrão Mercosul foram reduzidas neste mês, após o aumento no número de fábricas e estampadores credenciados no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). O movimento agora, segundo empresas e o próprio Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), se normalizou. O que aumentou foi a concorrência entre os estampadores, que correm atrás de clientes nos entornos das sedes do Detran. Há expectativa de que os estabelecimentos credenciados lucrem com a mudança nesta primeira fase. Por outro lado, a padronização e o aumento na concorrência prometem reduzir drasticamente o número de placas fabricadas.

Estampador credenciado, o empresário Deiver De Rosso, dono da Fábrica Brasília Placas, em Curitiba, comemora a alta no movimento, mas adianta que a alegria deve durar pouco. “Antigamente se trocava as placas por mudança de município e por placas novas. Agora, quando todas as placas forem renovadas, os proprietários não vão mais precisar trocar quando mudarem o veículo de município. Depois que passar essa fase, de renovação, o movimento vai cair drasticamente”, estima. O fim do lacre também deve gerar impacto. “Até dezembro que a gente podia trocar a tarjeta (do município) e o movimento subia no fim do ano. Agora não pode mais. Quando tinha o lacre, também, o carro rompia o lacre numa batida ou coisa assim, as pessoas trocavam já a placa quando tinham que ir ao Detran”, conta.

O estampador afirma que agora, depois da correria do início do processo, o movimento ainda está maior, mas regular. A previsão é de que os clientes comecem a pechinchar, já que a concorrência aumentou. “A placa fica pronta em 15 minutos. São poucas fábricas, mas muitos estampadores. A fábrica mesmo não pode fazer a vinculação. Os estampadores que registram naquele QR Code os documentos para o Denatran. Fica pronto na hora”.

O novo sistema de Placa Mercosul atende a Resolução 729 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). A placa tem o mesmo padrão em todos os países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela que está suspensa do bloco)

Situações necessárias para adesão ao novo modelo
- Primeiro emplacamento
- Aquisição de veículo
- Aquisição de veículo com troca de município
- Alteração de dados com complementação de placa
- Mudança de município
- Registro de outro Estado
- Troca de categorias