Rádio Difusora

(45) 3284-8080
02/04/2019 15:24 | Autor: Editor

China reduz importações da soja, mas compensa comprando mais carne suína

Foto:Jason Lee/Reuters
Se a China vai comprar menos soja em 2019, seu movimento deverá ser compensado com maiores importações de carne suína.
A demanda da nação asiática por farelo de soja e, consequentemente, pelo grão começou a perder força depois que o país foi acometido por um surto de Peste Suína Africana.
Embora os impactos deste momento apareçam como pílulas nos preços e nos negócios, a doença é cruel com os planteis da nação asiática e de países vizinhos.
Estimativas mostram que os chineses poderiam importar o dobro de carne suína neste ano, elevando o volume total a algo próximo de 2 milhões de toneladas.
Números do Rabobank mostram esse potencial de importação, contra a possibilidade de uma queda de cerca de 20% na produção local de carne de porco.
Caso isso se confirme, a produção chinesa poderia cair para um total entre 50 e 51 milhões de toneladas, contra o volume do ano passado de algo variando entre 54 e 55 milhões de toneladas.
Somente dos EUA, de acordo com fontes familiarizadas com o assunto, a China deverá importar 300 mil toneladas de carne suína em 2019.
Somente na primeira metade do ano, o total poderia alcançar 200 mil toneladas.
O volume é 81% maior do que o de 2017, por exemplo, antes do início da disputa comercial: em 2018, o volume importado foi de 85,7 mil toneladas.
Voltando parte de suas compras para o mercado norte-americano, os chineses atendem parte de sua demanda e ainda amenizam as tensões instaladas com os EUA há mais de um ano, quando foi iniciada a guerra comercial.