Rádio Difusora

(45) 9-9997-0532
16/04/2019 09:01 | Autor: Regis Guerreiro

Escândalos esquentam o clima nos poderes Executivo e Legislativo de Mal. C. Rondon

A caça as bruxas continua em volta do Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon.

Ontem a tarde, exatamente às 16h29, conforme o protocolo geral da Câmara, numero 309/2019, foi solicitada a perda de mandato do vereador/presidente da casa, Claudio Roberto Koehler, por quebra de decoro parlamentar.

Na atual legislatura esse foi, o quinto pedido de cassação de mandato, sendo que dos quatro anteriores, um contra o vereador Josoé Pedrali, acabou rejeitado.

Estão em período de apresentação de defesa previa os vereadores Adelar Neumann, Neco Kist e Nilson Hachmann.

A denúncia contra Claudinho foi protocolada pelo advogado Antonio Marcos de Aguiar, alegando que empresa de propriedade do vereador prestou serviços para a prefeitura nos dois últimos anos o que contraria a legislação.

Sem delongas a mesa diretiva da câmara, encabeçada pelo vereador alvo da acusação, colocou o pedido de investigação em votação e como ocorreu nas situações anteriores, coube ao plenário decidir pela aceitação e rejeição.

Votaram contra o recebimento da denúncia os vereadores Adelar Neumann, Adriano Backes, Adriano Cottica, Arion Nasihgil, o próprio Claudio Köhler, Gordinho do Suco, Josoé Pedralli e Ronaldo Pohl.

A favor do recebimento votaram Neco Kist, Nilson Hachmann, Pedro Rauber, Portinho e Vanderlei Sauer.

Desta forma por 8 a 5 o processo foi rejeitado e arquivado.

Em represália aos escândalos denunciados no Legislativo e que a princípio podem levar a cassação de três vereadores, os canhões miram agora o Poder Executivo e diretamente o prefeito Marcio Rauber.

Na sessão da Câmara ontem foram apresentados requerimentos solicitando a abertura de duas Comissões Parlamentares de Inquérito, denominadas de: CPI dos Comissionados e CPI das Pedras, as quais a partir de suas instalação, tem 60 dias para apresentar relatório.

A dos Comissionados com o propósito de apurar a possível compra de apoio político por parte do prefeito em troca de cargos comissionados na prefeitura, para a acomodação de aliados dos vereadores.

A origem da CPI são os casos recentes envolvendo os vereadores Nilson Hachmann, Neco Kist o próprio Adelar Neumann.

Na sessão ontem foi explicado que o pedido de investigação está acompanhado de áudios envolvendo o ex-secretário municipal de Governo, Walmor Mergener; um referente o processo criminal instaurado contra o vereador Adelar e outro gravado por uma servidora no ato de sua exoneração.

A CPI das Pedras deverá investigar obras de pavimentação poliédrica, onde o município teria utilizado pessoa jurídica que, em tese, pertence ou é representada pelo vereador Nilson Hachmann, mas, que conforme denúncia, estaria em nome de outra pessoa.

A intenção da investigação é tentar identificar se houve tráfego de informações e de influência política nos processos licitatórios que beneficiaram a referida empresa.

Na sessão da Câmara ontem, também esteve o presidente da ONG Vigilantes da Gestão, Sir Carvalho, o qual garantiu que a organização não governamental vai apurar os escândalos denunciados em Marechal Cândido Rondon nas esferas criminal e judicial.