Conectado com

Geral

560 famílias de alunos inscritas no Bolsa Família receberão kit da alimentação escolar

Assessoria

Distribuição será nesta quarta e quinta-feira nas escolas onde os alunos estão matriculados

A Secretaria de Educação de Marechal Rondon, através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), com o acompanhamento do Conselho de Alimentação Escolar (CAE), definiu os critérios a serem utilizados para a distribuição de gêneros alimentícios adquiridos com recursos do programa para os pais ou responsáveis dos alunos matriculados nas escolas municipais e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs).

O que é importante ressaltar é que nessa primeira etapa serão beneficiadas as famílias de alunos em situação de vulnerabilidade social e que estão inscritas no programa Bolsa Família, do governo federal. Os dados foram retirados do SERE (Sistema Estadual de Registro Escolar), que apontou que o município conta com 560 famílias nessa situação.

A entrega acontecerá quarta e quinta-feira, dias 15 e 16, paralela à distribuição dos materiais de complementação escolar. Cada família deverá retirar os alimentos nas escolas onde os alunos estão matriculados.

Conforme as nutricionistas do setor de alimentação escolar da prefeitura, Jaciara Reis Nogueira Garcia e Elly Ana Pootz Borili, a composição dos kits foi definida seguindo as recomendações da segunda edição do Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, que preconiza a alimentação adequada e saudável baseada no consumo de alimentos in natura ou minimamente processados, devendo ser limitado o consumo de alimentos processados e evitado o consumo de alimentos ultra-processados. Segundo elas, segue também as determinações da legislação do PNAE no que se refere à qualidade nutricional e sanitária, respeitando os hábitos alimentares e a cultura local.

Os kits a serem entregues serão compostos por arroz, feijão, macarrão, fubá, óleo e farinha de trigo, pão, além de um kit verde, contendo verduras, tubérculos, legumes e frutas, tudo fresquinho, direto de produtores da agricultura familiar.

Para a distribuição, será adotado um formato que garantirá que não haja aglomerações nas unidades escolares, conforme critérios a serem definidos pelas gestões locais. Recomenda-se que somente um membro da família se desloque para buscar o kit.

A secretária de Educação, Marcia Winter, destaca que as famílias que serão beneficiadas serão contactadas nesta terça-feira. “As direções das escolas vão entrar em contato com as famílias, via telefone, para avisar sobre o kit. Nos CMEIs a entrega será feita somente amanhã, quarta-feira, já que o número de beneficiados é menor. Caso a suspensão das aulas continue, uma segunda etapa de distribuição poderá ser realizada”, apontou a secretária.

Materiais de complementação escolar
Como já noticiado, a administração municipal de Marechal Rondon, por meio da Secretaria de Educação, em atendimento à legislação vigente em decorrência da pandemia causada pela Covid-19, em especial a decretos municipais, a deliberação 01/2020 do Conselho Estadual de Educação e a Resolução 1.016/2020 da Secretaria Estadual de Educação, com o objetivo de atender aos estudantes durante o período de distanciamento social, complementando os conteúdos previstos na Proposta Pedagógica Curricular, como forma de estimular o estudo, irá disponibilizar aos alunos materiais de complementação escolar.

O material foi elaborado pela Secretaria de Educação, de forma multidisciplinar, com os objetos de conhecimento, objetivos de aprendizagem e conteúdos já trabalhados em aulas presenciais, aos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental 1º ao 5º ano e aos alunos das turmas da educação infantil IV e educação infantil V.

As escolas entregarão o material conforme o cronograma abaixo:

Dia 15/04 (quarta-feira) das 9h às 12h Turmas de 4º e 5º anos
Dia 15/04 (quarta-feira) das 12h às 16h Turmas de 2º e 3º anos
Dia 16/04 (quinta-feira) das 9h às 12h Turmas de 1º ano, educação infantil IV e educação infantil V

Fonte: Assessoria

Geral

Saúde confirma 273 novos casos de Covid-19 e 7 óbitos em um dia

AEN

A Secretaria de Estado da Saúde confirma mais 273 casos da Covid-19 – 73 a mais que o número do boletim anterior e um novo recorde de registros em apenas um dia. Também foram registrados mais sete óbitos. O total agora chega a 3.984 casos. Uma confirmação foi excluída do acumulado por duplicidade de notificação. No total, são 169 mortes pela doença.

Panorama da doença causada pelo novo coronavírus aponta que dos quase quatro mil casos, 1.806 estão recuperados, ou seja, 45% das pessoas que tiveram o diagnóstico confirmados estão liberados do isolamento. Outros 297 pacientes estão internados (7,5%), sendo 122 em UTI e 175 em leito clínico. Os 169 pacientes que foram a óbito representam 4,2% do total de confirmações.

FALECIMENTOS – As sete pessoas que morreram e constam do informe desta quinta-feira são cinco mulheres e dois homens, todos estavam internados. As informações sobre as mulheres são: 46 anos, residia em Cornélio Procópio e foi a óbito dia 20 de maio; 63 anos, de Cidade Gaúcha, faleceu no sábado (23); 49 anos, morava em Curitiba e faleceu na segunda-feira (25); e uma de 47 anos, de São Mateus do Sul, e outra de 65 anos, de Quatro Barras, foram a óbito na terça-feira (26). Em relação aos homens, um tinha 46 anos, residia em Curitiba e morreu no domingo (24), e o outro, de 60 anos, era residente de Piraquara e faleceu nesta quinta-feira (28).

MUNICÍPIOS – São 232 cidades paranaenses que têm ao menos um caso confirmado. Em 70 municípios há registro de óbitos pela doença. Apenas a 4ª e 5ª Regionais de Saúde não têm ocorrência de óbito consequente da infecção pela Covid-19.

As novas confirmações são nas cidades de Andirá (1), Araucária (3), Boa Vista da Aparecida (1), Braganey (1), Cambé (4), Campina Grande do Sul (3), Capanema (1), Cascavel (47), Cianorte (9), Colombo (7), Corbélia (1), Cornélio Procópio (13), Curitiba (52), Diamante do Sul (2), Fazenda Rio Grande (3), Foz do Iguaçu (13), Francisco Beltrão (2), Goioerê (1), Guaratuba (3), Iracema do Oeste (1), Ivaiporã (2), Jacarezinho (1), Japurá (4), Leópolis (2), Londrina (19), Mandirituba (2), Manoel Ribas (1), Marechal Cândido Rondon (1), Maria Helena (6), Maringá (6), Matinhos (1), Morretes (1), Nova Esperança (1), Pinhais (8), Piraquara (5), Ponta Grossa (5), Pontal do Paraná (1), Quatiguá (1), Quatro Barras (2), Quedas do Iguaçu (1), Quitandinha (2), Reserva (3), Rio Branco do Sul (1), Rio Negro (1), Rondon (3), Santa Lúcia (1), Santa Terezinha de Itaipu (2), São José dos Pinhais (9), São Manoel do Paraná (1), Sapopema (1), Sarandi (1), Tapejara (3), Toledo (1), Três Barras do Paraná (2), Tupãssi (1), Umuarama (1), Uraí (1) e Wenceslau Braz (1).

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Secretaria da Saúde registrou também mais um caso de fora, um paciente de Piripiri, no Piauí, atendido em Tijucas do Sul. No total, 57 pessoas, não residentes do Paraná, tiveram o diagnóstico confirmado por aqui e cinco foram a óbito.

AJUSTES – Um caso confirmado no dia 26 de maio, em Realeza; foi transferido para Cascavel.

Uma confirmação feita dia 25 em Maringá foi excluído por duplicidade de notificação.

Quatro casos confirmados por laboratório particular também dia 25, em Londrina, foram transferidos para Cambé.

TESTES – Mais dois tipos de testes validados pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) terão os resultados positivos incluídos no monitoramento do CIEVS. Agora são aceitos testes rápidos de quatro fabricantes.

1. One Step Covid-2019 Test®️, do fabricante Guangzhou WondfoBiotechCo. Ltda., cujo representante legal no Brasil é a empresa Celer Biotecnologia S/A.

2. Medteste Coronavírus (Covid-19) igG/IgM, do fabricante Hangzhou Biotest Biotech Co. Ltd, cujo representante legal no Brasil é a empresa Medlevensohn Com Repres Prod Hosp Ltda.

3. Covid-19 Igg/Igm Eco, do fabricante Eco Diagnóstica Ltda-ME, cujo representante legal no Brasil é a empresa Eco Diagnóstica Ltda-ME

4. Covid-19 IgG/IgM BIO, do fabricante Quibasa Química Básica Ltda, cujo representante legal no Brasil é a empresa Quibasa Química Básica Ltda

Confira o Informe Completo desta quinta-feira.

Fonte: AEN

Continue Lendo

Geral

Sancionada lei federal que prevê repasse de R$ 1,9 bilhão ao Paraná

O Paraná receberá da União cerca de R$ 1,9 bilhão, em quatro parcelas, sendo R$ 1,7 bilhão para recompor as perdas de arrecadação (uso livre) em razão da pandemia da Covid-19, e R$ 269 milhões para ações diretas de saúde.

A lei que institui o programa de apoio financeiro a estados, municípios e ao Distrito Federal foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira.

Além disso, a lei suspendeu o pagamento das dívidas dos estados com a União até o fim do ano e com isso, o Paraná deixa de transferir R$ 563 milhões ao governo federal no período.

A lei federal prevê que os municípios paranaenses vão receber R$ 163 milhões para aplicação em saúde pública e R$ 1,163 bilhão para uso livre.

Os recursos ajudarão a repor parte das perdas já acumuladas nos cofres públicos em função das perdas na atividade econômica.

O Governo do Estado já deixou de arrecadar R$ 1,2 bilhão de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 2020. O resultado é a soma das perdas registradas em abril (R$ 448 milhões) e maio (R$ 800 milhões).

Pelos cálculos da Secretaria da Fazenda, a soma dos recursos que deixaram de entrar nos cofres públicos já atinge quase 60% da ajuda federal.

Os impactos negativos no quadrimestre foram observados em razão do baixo desempenho nos nove principais setores da economia: energia, bebidas, automóveis, indústria, comércio varejista, comércio atacadista, serviços, combustíveis e agricultura/extração.

O Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus disponibilizará, no total, mais de R$ 120 bilhões a estados e municípios.

A linha de transferência direta direciona R$ 60 bilhões, sendo R$ 10 bilhões exclusivamente para ações de saúde e assistência social (R$ 7 bilhões para os estados e R$ 3 bilhões para os municípios) e R$ 50 bilhões para uso livre (R$ 30 bilhões para os estados e R$ 20 bilhões para os municípios).

O Distrito Federal receberá uma cota à parte em função de não participar do rateio entre os municípios.

O cálculo do rateio por estado levou em consideração a arrecadação do ICMS, a população, a cota no Fundo de Participação dos Estados e a contrapartida paga pela União pelas isenções fiscais relativas à exportação.

Os estados e municípios deverão privilegiar micro e pequenas empresas nas compras de produtos e serviços com os recursos liberados pelo projeto.

Continue Lendo

Geral

Paraná é o estado do Sul que menos perdeu postos de trabalho

Ilustrativa

O Paraná é o estado do Sul do Brasil que menos perdeu postos de emprego nos quatro primeiros meses do ano, segundo os dados do novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quarta-feira (27) pelo Ministério da Economia.

Em razão da pandemia, todo o País foi afetado e apesar de ter iniciado o ano com a abertura de 17.733 empregos em janeiro e 28.128 em fevereiro, o saldo no Paraná ficou negativo em 22.424 postos de trabalho na soma do quadrimestre.

Na região, Santa Catarina teve queda de 31.292 e no Rio Grande do Sul a redução foi de 53.122.

As perdas acumuladas em todo o Brasil alcançam 763.232 empregos no período.

Até o momento, abril foi o mês com maior impacto no mercado de trabalho em razão do agravamento da pandemia no País.

Em todo o Brasil, foram fechados 860.503 empregos.

O Paraná seguiu a tendência nacional, mas mesmo assim apresentou o menor número de demissões em relação aos estados vizinhos e as perdas somaram 55.008 empregos, enquanto em Santa Catarina houve fechamento de 73.111 vagas e no Rio Grande do Sul foram encerrados 74.686 postos.

A chefe em exercício do Departamento Trabalho e Estímulo à Geração de Renda, Suelen Glisnki, explica que em relação aos setores que menos sofreram perdas neste começo de ano no Estado, o destaque ficou com a agricultura, que gerou saldo positivo de 482 novos empregos formados.

Mesmo no auge da pandemia, em abril, alguns municípios paranaenses conseguiram manter índices positivos de empregos.

Lideram o ranking municipal no mês os municípios de Matelândia (657 empregos gerados), Cafelândia (193), Colorado (187), Santo Inácio (159), Cambará (153), Florestópolis (148), Palotina (116), Marumbi (91), Jandaia do Sul (90) e Jacarezinho com um saldo de 74 empregos gerados.

Os grandes centros foram os mais afetados, com as últimas colocações no ranking municipal, com Curitiba (-18.359 empregos), Londrina (-3.517), Maringá (-3.271), São José dos Pinhais (-2.995) e Foz do Iguaçu (-2.889).

No acumulado do ano, os municípios que mais geraram emprego foram Matelândia, com um saldo de 1.299 novos postos de trabalho, Toledo (1.274), Ortigueira (1.064), Paraíso do Norte (869), Rio Negro (797), Ibiporã (434), Rolândia (411), Ubiratã (355), São Mateus do Sul (353) e Mandaguari (329).

Os mais afetados no acumulado de janeiro a abril de 2020 foram Curitiba (-13.521), Foz do Iguaçu (-3.757), Londrina (-2.986), Maringá (-2.044) e São José dos Pinhais (-1.997).

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.