Conectado com

Agricultura

Adapar flagra trânsito irregular de animais em Guaíra

 Cavalos e ovelhas procediam do MS

 

A ocorrência foi registrada no  Posto de Fiscalização do Trânsito Agropecuário de Guaíra,  quando um caminhão de transporte de gado  passada em frente ao local transitando no sentido ao perímetro urbano da cidade.

Como houve  evasão do veículo,  foi solicitado o apoio da Policia Rodoviária Federal, que imediatamente deslocou equipe para realizar o

acompanhamento, abordagem e determinação para retorno ao posto.

Na verificação a carroceria do veículo foram encontrados  2 equinos e 5 ovinos , animais  susceptíveis ao vírus da Febre Aftosa , todos provenientes do  estado de Mato Grosso do Sul.

Interrogado  o condutor disse que não possuía documentos da carga  e que o destino dos animais era a cidade de Guaíra.

Após confeccionado o registro da ocorrência foi  determinado o rechaço e retorno a origem dos animais.

Conforme a Adapar, o ingresso de ovinos é permitido somente quando o destino for abate

imediato e para as demais finalidades as exigências são identificação

individual dos animais, laudo negativo para febre aftosa.

A carga tem que  obrigatoriamente estar lacrada pelo Serviço Veterinário Oficial da origem  e acompanhada de Guia de Trânsito Animal.

O ingresso de equinos é permitido para qualquer finalidade, quando

acompanhados da Guia de Trânsito Animal e os exames obrigatórios como Anemia Infecciosa Equina e Mormo e para algumas finalidades exige-se a vacinação de Influenza Equina sendo obrigatória a apresentação da carteira de vacinação.

O Paraná é Área livre de Febre Aftosa sem Vacinação de acordo com a  Instrução Normativa nº 52/2020 que reconhece como livre de febre aftosa sem  vacinação os estados do Paraná, Acre, Rio Grande do Sul,

Rondônia e regiões do Amazonas e de Mato Grosso.

A Portaria Adapar nº 294, de 18 de novembro de 2020 dispõe sobre as normas de ingresso, incorporação, egresso, passagem e procedimentos

de fiscalização de cargas de animais e produtos de origem animal no

estado do Paraná que em seu capitulo VIII, artigo 18, parágrafo primeiro

determina que os animais em trânsito pelo território paranaense, sem

documentação ou com irregularidades quanto à documentação sanitária,

representam risco sanitário para o estado e poderão, a critério da Adapar,

serem encaminhados ao abate, às expensas do infrator, sem prejuízo de

outras penalidades, conforme previsto em normas.

Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

Inscrições para sementes de aveia em Mercedes somente até hoje

A Administração Municipal de Mercedes, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Meio Ambiente, está com inscrições abertas para interessados em adquirir sementes de aveia.

Até  esta sexta-feira (16) os agricultores podem apresentar sua manifestação de interesse por sementes.

O incentivo é oferecido a produtores que comercializam leite, cada produtor inscrito tem direito a receber até duas sacas de aveia.

Para  ser beneficiado, é necessário ter em dia o bloco de produtor rural, vacinação dos animais, cadastro atualizado na Agência de Defesa Agropecuária do Paraná  e não possuir débitos com a municipalidade.

Os produtores interessados devem comparecerem no Paço Municipal das 8  às 12  e das 13:30 às 17 horas e 30 minutos, ou entrar em contato por telefone.

Continue Lendo

Agricultura

Cigarrinha do milho ameaça a safrinha e agricultores devem ficar em alerta

Com a semeadura do milho 2ª safra concluída na região de Marechal Cândido Rondon, os produtores rurais devem ficar atentos agora para o controle de pragas.

Uma das principais preocupações é a cigarrinha do milho, que coloca em risco a produção da cultura.

 

A cultura do milho enfrenta hoje um dos seus maiores problemas fitossanitários causados pelo aumento da pressão de pragas e doenças, tendo como causa o crescimento da área de milho safrinha e pela adoção de sistemas irrigados, quebrando o intervalo de plantio, pois é cultivado praticamente o ano todo, e em todo o Brasil.

A região Oeste do Estado já vem registrando a ocorrência da praga em safras anteriores: o inseto se esconde no cartucho da planta, inoculando agentes que causam doenças, provocando sérios prejuízos para o agricultor.

Em alguns casos pode haver perda de até 100% da lavoura.

Para controlar a cigarrinha, ou conviver com a praga, o produtor deve adotar uma série de recomendações técnicas que vão da escolha das sementes híbridas, ao monitoramento da lavoura e uso de produtos mais eficientes nos cultivos.

Seus danos são diretos, quando a praga, em população muito elevada, suga a seiva continuamente da planta do milho, levando a planta à exaustão e ao desenvolvimento de fumagina sobre as suas folhas.

Também produz danos indiretos quando a cigarrinha do milho se torna vetor de transmissão de doenças do complexo dos enfezamentos, causados por microrganismos: molicutes e vírus.

Considerado um dos maiores especialistas dessa praga em nível de região Sul do Brasil, o engenheiro agrônomo Claudinei Minchio, orienta os agricultores a evitarem grandes aplicações contra a cigarrinha sem que focos do inseto sejam constatados nas lavouras……

 

Continue Lendo

Agricultura

Apesar da pandemia Paraná mantém programa de compras da agricultura familiar

Mesmo com todas as dificuldades impostas pelo novo coronavírus, o Paraná seguiu sendo um dos principais produtores de alimentos do mundo.

Os agricultores tiveram que se adaptar à nova realidade, fazendo de 2020 um ano com safras bem-sucedidas e recordes de exportação.

No ano passado, o agronegócio gerou 115 bilhões de reais ao estado e se firmou ainda mais como o principal pilar da economia paranaense.

Para isso, o secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, explica que foi necessário adotar medidas de segurança no plantio, colheita, produção, distribuição e venda dos produtos….

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.