Conectado com

Agricultura

Cigarrinha do milho será destacada em “A Personalidade da Semana”

Ilustrativa

Pelo segundo ano consecutivo, a cigarrinha do milho vem preocupando os produtores do Paraná, que tem no cereal seu principal insumo para a alimentação animal.

 

Na região Oeste, onde o milho safrinha tem papel importante no calendário agrícola, especialistas apontam uma redução de 20 sacas por hectare em função da praga.

Além de sugar a seiva das plantas, o inseto atua como vetor de doenças causando problemas como enfezamentos, tombamento e morte precoce das plantas, chegando a reduzir em até 70% a produtividade das lavouras.

O alto potencial destrutivo do inseto levou as autoridades fitossanitárias paranaenses a cogitarem um vazio sanitário como forma de controle.

O problema relacionado a cigarrinha do milho será abordado na edição de amanhã, sábado, de “A Personalidade da Semana”.

As explicações serão dadas pelo doutor Claudinei Antônio Minchio, engenheiro agrônomo e especialista em fitossanidade.]

Ele apresentará informações recentes sobre o controle do inseto, fruto de um trabalho de campo realizado em 2019 a pedido de uma cooperativa do Oeste do Paraná.

Naquele ano, a praga causou prejuízos significativos aos produtores do cereal, com o agravante de que pegou muitos de surpresa, uma vez que conviviam em paz com o insetinho, sem grandes prejuízos aparentes.

Como os produtores fazem o controle do percevejo e, muitas vezes, utilizam inseticida de forma desnecessária, ocorre um desequilíbrio dos inimigos naturais que controlam tanto ovos, como ninfas, quanto a própria cigarrinha adulta.

Neste contexto o doutor Claudinei faz a seguinte recomendação aos agricultores…

 

A matéria completa com o doutor Claudinei Antônio Minchi, engenheiro agrônomo especialista em fitossanidade, será levada ao ar neste sábado, a partir das 11h00, em A Personalidade da Semana, e reprisada no Jornal de Domingo, a partir do meio-dia.

Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

Sindicato Rural alerta pecuaristas sobre fim do prazo para cadastrar rebanhos

Apesar de faltar somente uma semana para o fim do prazo dado pela Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Paraná, é grande o número de pecuaristas que ainda não cadastrou os rebanhos.

 

Devem ser cadastrados todos os animais das propriedades, agropecuárias do Estado, como bois, búfalos, cabras, ovelhas, suínos, cavalos, jumentos, mulas, abelhas, galinhas e peixes.

A atualização é obrigatória para todos os produtores rurais com animais de produção de qualquer espécie sob sua guarda, sob pena de não conseguirem a Guia de Trânsito Animal e ainda serem multados.

Até ontem, terça-feira, nos municípios da área de atuação da unidade da Adapar de Marechal Cândido Rondon, 2.667 dos 3.276 pecuaristas cadastrados haviam atualizado seus rebanhos.

Em Entre Rios do Oeste ainda faltam 47 produtores; em Pato Bragado também 47; em Quatro Pontes 83; e em Marechal Cândido Rondon 343 pecuaristas ainda não realizaram o cadastramento.

Esses 609 produtores dos cinco municípios da microrregião têm prazo para atualizarem os cadastros dos animais até a próxima quarta-feira, dia 30, data apontada para o encerramento da campanha.

O presidente do Sindicato Rural de Marechal Cândido Rondon, Edio Chapla, reforça a necessidade de todos os pecuaristas providenciarem o cadastramento dos rebanhos…..

 

Continue Lendo

Agricultura

Plano Safra 2021/2022 será lançado hoje a tarde

Imagem ilustrativa da internet

O Governo Federal lançará, nesta terça-feira (22), o Plano Safra 2021/22, que traz os recursos do crédito rural para apoiar a agropecuária nacional.

A cerimônia ocorrerá às 16h30  no Palácio do Planalto, com as presenças do presidente Jair Bolsonaro, e da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento , Tereza Cristina.

A cerimônia será transmitida pela EBC e pelas redes sociais do Planalto e do Mapa.

Continue Lendo

Agricultura

Policia rondonense fecha o cerco contra fertilizantes adulterados

Foto: ADAPAR

Cargas foram apreendidas em Mal Rondon e Mercedes

Nos últimos anos a agricultura brasileira teve um salto em produtividade e esse resultado positivo  de deve  a diversos fatores como clima favorável para o desenvolvimento das culturas, utilização dos defensivos agrícolas para combate de pragas e doenças, melhoramento genético das plantas para alta produção e adequação do solo com utilização dos corretivos e fertilizantes.

Com o uso dos fertilizantes foi possível tornar um solo pobre em nutrientes em um solo agricultável e produtivo por muito tempo.

A matéria-prima deste insumo geralmente é importada de outros países e cotada em dólar e por isso apresenta significativo impacto no custo de produção do agricultor.

Devido a seu alto valor agregado, os fertilizantes frequentemente são objeto de adulteração em sua qualidade.

Em  2016 a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná – ADAPAR atendeu casos de adulteração de fertilizantes que ocorreram nos municípios de Toledo e Cascavel.

Na oportunidade, os agricultores adquiriram um total de aproximadamente 200 toneladas de fertilizantes produzidos por empresa idônea no mercado e que foram comercializados por estabelecimentos comerciais devidamente registrados.

 No entanto, ao iniciar a semeadura, os agricultores perceberam

anormalidades nas características físicas do produto e comunicaram a Agência para averiguar possíveis irregularidades.

Após amostragem oficial o resultado laboratorial acusou deficiência em todos os nutrientes garantidos nos produtos, constando que os lotes analisados não continham praticamente nenhum dos elementos na composição.

Caso semelhante ocorreu em 2019 no Estado do Mato Grosso causando prejuízos milionários para diversos agricultores.

Neste ano, a  Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon-PR iniciou investigação durante os meses de abril e maio sobre a ocorrência de adulteração de fertilizantes que foram entregues na região oeste do Paraná.

     De acordo com o Delegado da Polícia Civil, Dr. Rodrigo Baptista Santos, no dia 07 de maio foi verificado a chegada de dois caminhões carregados de adubos vindos do Porto de Paranaguá e entregues em  empresas localizadas em Marechal Cândido Rondon e Mercedes que apresentavam-se adulterados para fórmulas de péssima qualidade sendo então foi realizada a abordagem dos mesmos..( Ouça Delegado Rodrigo)

 

Fonte: ADAPAR

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.