Conectado com

Agricultura

Com exceção dos Estados do Sul, plantio de verão deve atrasar por falta de chuva

Para a próxima safra da soja 2019/20, as condições climáticas apontam que a chegada da chuva deve atrasar na maioria das regiões no Brasil, com exceção do Sul do País.

 

 Na região, o plantio pode ser feito logo após o vazio sanitário 

 

Diante desse cenário, climatologistas recomendam que os produtores rurais adiem o plantio e evite a empolgação com as primeiras precipitações.

Os modelos climáticos mostram que durante o mês de setembro deste ano poderá ter falta de precipitações que pode comprometer o início da safra da soja 2019/20.

A estimativa é que se tenha um período um pouco mais seco que o normal em outubro a dezembro.

Dependendo da localidade pode chover nesses três meses em torno de 500 mm a 650 mm e mesmo que tiver uma redução de 150 mm a 200 mm não vai ser tão crítico, pelo fato da previsão indicar para os meses de janeiro a março chuvas acima da média para a região central do Brasil.

Nós últimos meses do ano, a maioria das lavouras da oleaginosa vão estar em estágio vegetativo em que a planta não tem tanta necessidade de água.

Quando ela entrar em maturação e enchimento de grãos, que geralmente ocorre em janeiro a fevereiro, é que a cultura vai precisar de muita água.

A tendência é que neste período vamos ter na ordem de 40 mm a 60 mm por mês acima da média.

No Sul do Brasil, as condições climáticas vão ser de excesso de precipitações logo no início da safra.

No caso do estado do Paraná, a situação é diferente e os agricultores já podem iniciar o plantio assim que terminar o vazio sanitário.

O mapa climático indica que terá chuvas acima da média na região sul e segue até parte sul do estado de São Paulo.

Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

Cooperativa agrícola distribui valor quatro vezes maior que o da Mega-Sena

Um total de R$ 100 milhões será distribuído como uma espécie de décimo terceiro salário para os produtores associados

 

A Coamo Agroindustrial, maior cooperativa da América Latina, com sede em Campo Mourão (Paraná) e mais de 29 mil produtores rurais associados nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, vai distribuir, a partir desta quarta-feira (10/12), a seus cooperados nada mais nada menos que R$ 100 milhões referentes às sobras financeiras de 2019. O valor é quatro vezes maior que o ofertado pelo concurso da Mega-Sena.

O valor será dividido entre os cooperados de forma simultânea e proporcional ao volume de entrega de produtos para comercialização, como como soja, milho e trigo, além da aquisição de insumos como fertilizantes. Ou seja, não é uma quantia igual para todos. Quanto mais o produtor usa a cooperativa para suas transações ao longo do ano, maior será o valor que receberá de sobras.

O valor  é uma espécie de lucro líquido da cooperativa, que no setor é conhecido como sobra e é dividido entre os produtores, já que todos são donos da cooperativa. Por ser uma ‘lei’ no sistema cooperativista, os produtores consideram o pagamento como um 13º salário. Em fevereiro eles recebem outra parte das sobras, após a realização de uma nova assembleia geral com os cooperados e a definição dos repasses. No início deste ano, a segunda parcela das sobras, em fevereiro, somou R$ 254 milhões e a primeira parcela, paga em dezembro de 2018 foi de R$ 104 milhões.

Fonte: Globo Rural

Continue Lendo

Agricultura

Administração de Entre Rios institui programa de apoio aos suinocultores

A administração municipal, através da secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Entre Rios do Oeste, iniciou nesta semana , o repasse do material para construção de banheiro, arco de higienização ou cercas para os produtores do município.

O repasse é realizado através de um programa, que tem por objetivo incentivar os suinocultores, disponibilizando recursos para que os interessados possam atender a portaria da ADAPAR Nº 265 da Biosseguridade.

O secretário da pasta, Gilmar Backes, destacou que a suinocultura além de ser uma atividade indispensável para muitas famílias, também é uma importante fonte de arrecadação para o município.

O valor investido na compra desses materiais pelo município, foi de 125.591 reais e 89 centavos.

Conforme o prefeito Jones Neuri Heiden, considerando a importância da atividade suinícola para a economia de Entre Rios do Oeste, e da dificuldade financeira de muitos pequenos produtores, a administração entendeu ser necessário criar um programa de apoio e facilitar o atendimento às determinações da Adapar..

 

Para participar do programa os suinocultores interessados deverão se inscrever na Secretaria Municipal de Agricultura e atender os seguintes requisitos:

Bloco de Produtor Rural com a discriminação da venda da produção do exercício anterior; não tenha débito de nenhuma natureza com o Município; Estar cadastrado junto ao setor de agricultura; apresentar comprovante de licenciamento ambiental vigente perante o IAP; apresentar projeto de implantação e ainda a Declaração de Aptidão ao PRONAF – DAP.

Continue Lendo

Agricultura

Soja: Paraná registra segundo foco de ferrugem-asiática da safra 2019/2020

A ferrugem-asiática da soja é a principal doença na cultura da soja e possui um custo médio de US$ 2,8 bilhões por safra no Brasil. Foto: Canal Rural

Segundo o Consórcio Antiferrugem, a doença foi confirmada em Castro (PR). O caso anterior aconteceu em Ubiratã, também no estado

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.