Conectado com

Agricultura

Foco de peste suína no Piauí motiva alerta para produtores paranaenses

Imagem ilustrativa da internet

Viagens para a região do foco representa risco à sanidade local

 

Apesar de todos cuidados adotados para a proteção do rebanho nacional e para a manutenção das vendas externas, focos de doenças continuam surgindo nas mais diversas regiões do País.

No dia 24 do mês passado o Serviço Veterinário Estadual iniciou um processo de investigação com  resultado positivo pelo teste de ELISA e teste do RTqPCR, em um caso de peste suína clássica no Piauí.

O proprietário dos animais relatou às autoridades sanitárias  que no inicio do mês de maio houve a morte de dois suínos, que apresentaram emagrecimento e andar cambaleante.

Já durante a investigação o Serviço Veterinário Estadual identificou três leitões com hipertermia, anorexia, emagrecimento e andar cambaleante e  na necrópsia de um dos animais com sintomatologia, foram observados pontos hemorrágicos e aumento do volume do fígado.

O foco atual é no município de Lagoa do São Fancisco, entretanto o inicio do foco foi em 2 de outubro do ano passado e até então já somam nove focos naquela região.

Apesar a distância entre os dois estados, o caso no Piauí chama a atenção das autoridades, pois o Paraná recentemente  conquistou o status de Livre de PSC.

Por conta disso  a  recomendação é que os produtores adotem cuidados e muita  atenção com relação a viagens principalmente com relação a veículos  e pessoas que retornam daquela região do País  e que podem carrear o vírus para a nossa região, que é reconhecidamente  livre da PSC.

Regiões com focos confirmados acabam muito prejudicadas com o comércio de produtos suínos e exportação.

Por isso, é importante a vigilância que só é possível com a contribuição de todos os atores da cadeia produtiva de suínos.

Na hipótese da ocorrência de  sintomatologias similares a PSC os produtores, assistência técnica, integradoras   devem notificar, informar a Adapar, para que o caso seja investigado clinicamente e se for o caso, com coleta de material e envio ao laboratório.

Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

Mais de 50% dos pecuaristas ainda não cadastraram seus rebanhos no Paraná

Imagem ilustrativa da internet

Faltam apenas 16 dias para encerrar o prazo de atualização cadastral do rebanho paranaense.

Diferentemente de 2020, quando houve duas etapas, neste ano o período único começou a ser contado em 1º de maio e termina em 30 de junho.

Após isso, o trânsito de animais não será possibilitado e o produtor rural poderá ser multado.

A parcial de ontem apontou 48,3% do rebanho já cadastrado.

A atualização é fundamental para auxiliar a vigilância sanitária e garantir a manutenção do status internacional de área livre de febre aftosa.

A certificação foi concedida em 27 de maio pela Organização Mundial de Saúde Animal, depois de mais de 50 anos de esforço conjunto de entidades públicas e privadas e da cooperação de produtores.

O presidente da Agência de Defesa Agropecuária, Otamir Cesar Martins, disse que com as informações registradas o Estado terá melhores condições de agir rapidamente em eventuais casos de focos de qualquer doença, e não apenas a aftosa.

Segundo ele, a falta da atualização tem consequências para o produtor. Uma delas é o impedimento para emissão da Guia de Trânsito Animal, documento imprescindível para qualquer movimentação entre propriedades ou para abate em frigoríficos.

Além disso, a legislação prevê autuação e pagamento de multa de uma Unidade Padrão Fiscal por cada animal.

Em junho, o valor da UPF no Paraná é de 113 reais e 54 centavos.

O gerente de Sanidade Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias, salientou que a intenção do órgão não é multar, mas reforçar cada vez mais a necessidade da atualização do rebanho.

A atualização é exigida para todas as espécies animais existentes na propriedade.

Os produtores podem fazer de forma direta por meio do link www.produtor.adapar.pr.gov.br/comprovacaorebanho ou em uma das Unidades Locais da Adapar, Sindicatos Rurais ou Escritório de Atendimento de seu município.

Para fazer a comprovação, o produtor deve ter o CPF cadastrado.

Continue Lendo

Agricultura

2.174 pecuaristas já atualizaram os cadastros na Adapar de Mal Rondon

Até o dia 30 de junho acontece em todo o Paraná a campanha de atualização de rebanhos, procedimento obrigatório para todos os produtores que tenham animais em suas propriedades.

A campanha faz parte do protocolo que  pôs fim a vacinação  contra a febre aftosa e que recentemente rendeu ao Estado o reconhecimento pela OIE, de área livre da doença , sem vacinação.

Na tarde desta sexta-feira, 11 de junho, a unidade veterinária da Adapar, em Marechal Cândido Rondon, fez uma atualização dos números da campanha nos cinco municípios da comarca.

Em Entre Rios do Oeste, dos  269 produtores cadastrados, 173 já atualizaram seus rebanhos,  faltando ainda 96.

Em Pato Bragado, de 295 cadastrados, 200 atualizaram, faltando portanto 95.

Em Mercedes são  531 produtores, dos quais 353 atualizaram, faltando  178.

Em Quatro Pontes, dos 369 cadastrados, 239 atualizaram, faltando ainda 130.

Em Marechal Cândido Rondon, dos 1.825 produtores cadastrados,  1.209 já atualizaram o cadastro na Adapar, faltando ainda 616.

Em números gerais, dos  3.289 produtores dos cinco municípios,  2.174 já atualizaram os cadastros, 66,10% do total.

Os 1.115 que ainda não atualizaram tem prazo até dia 30 de junho para fazê-lo.

Continue Lendo

Agricultura

Presidente do Sindicato Rural de Mal. Rondon integra comissão da FAEP

O presidente do Sindicato Rural de Marechal Cândido Rondon, Edio Chapla, assumiu oficialmente na quarta-feira desta semana a função de vice-presidente da Comissão Técnica da Agricultura da FAEP.

 

Como ocorre tradicionalmente a cada três anos, na quarta-feira passada o Sistema FAEP/SENAR reuniu os produtores rurais do Estado com objetivo de apresentar os novos integrantes das Comissões Técnicas.

Normalmente o evento era realizado de forma presencial, reunindo representantes de todas cadeias e regiões do Estado, para que conheçam quem são os presidentes e vice-presidentes de cada comissão.

Este ano, porém, por conta da pandemia do novo coronavírus, o evento foi realizado por meio de uma transmissão online.

O evento contou com a participação do presidente do Sistema FAEP/SENAR, Ágide Meneguette, do presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado federal Sérgio Souza, dentre outras personalidades.

Além da posse dos novos integrantes das comissões, o encontro debateu aspectos importantes do agronegócio nacional, incluindo as tendências para o setor, a regularização fundiária, agroquímicos e outros.

Da região Oeste do Paraná, três lideranças da agropecuária foram empossadas nas comissões: Edmilson José Zabott, de Palotina, e Edio Chapla, de Marechal Cândido Rondon, como presidente e vice da Comissão de Agricultura, respectivamente, e Nelson Paludo, de Toledo, na função de presidente da Comissão de Cereais, Fibras e Oleaginosas.

O coordenador do Departamento Técnico e Econômico da Federação da Agricultura do Estado do Paraná, Jefrey Albers, explica o trabalho das comissões………

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.