Conectado com

Agricultura

Forbes publica nova lista das 100 maiores empresas do agronegócio brasileiro.

Na mais recente publicação da revista Forbes, 22 empresas paranaenses, a maioria cooperativas, estão na lista das 100 maiores empresas brasileiras do agronegócio de capital aberto.

A lista leva em consideração empresas com faturamento no Brasil de pelo menos  1 bilhão de reais  em 2019, com base em informações de demonstrativos financeiros das empresas, da  Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil e da empresa de informações financeiras Economatica.

De acordo com a Forbes, é considerado também o grau de atuação de cada empresa ou grupo no agronegócio brasileiro, ainda que sua atividade principal tenha relação indireta com a produção agropecuária nacional.

Dentre as 22 empresas paranaenses relacionadas estão:

Na 16ª  posição a Coamo , de Campo Mourão com receita de 13 bilhões e 200  milhões de reais.

A C. Vale , de Palotina, na 21ª posição e receita de 8 bilhões e 900 milhões de reais.

A Lar Cooperativa na 23ª posição com receita de   6 bilhões e 700 milhões de  reais.

A Copacol , de  Cafelândia em 34º lugar, receita de 4 bilhões e 100 milhões de reais.

A Frimesa  na 47ª posição com receita de 2 bilhões e 800 milhões de reais.

A Coopavel , de  Cascavel , 50ª posição e receita de 2 bilhões e 700 milhões de reais.

E também  a  Copagril, de Marechal  Cândido Rondon na posição 77 da lista, com receita de 1 bilhão 740 milhões de reais.

 

Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

Safra de inverno vai se aproximar 8 milhões de toneladas

Seis culturas terão elevação na produção na safra 2020/21

 

O Brasil se prepara para uma boa safra das culturas de inverno conforme o último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento, o qual  aponta que  pelo menos seis culturas (aveia, centeio, trigo, triticale, cevada e canola.)  terão aumento de produção, mantendo a área plantada da safra anterior.

Juntos os grãos somam uma produção de quase 8 milhões de toneladas.

No ciclo anterior foram cerca de 7 milhões e meio  de toneladas.

O trigo, a principal delas, vai ter um incremento de produção de 2,2%, com uma safra esperada de 6 milhões 371 mil   toneladas.

As primeiras lavouras já estão sendo implantadas em algumas regiões do país, com destaque, nesse momento, para o cultivo de trigo no Centro-Oeste, especialmente em manejo de sequeiro, no Distrito Federal e em Goiás.

As condições climáticas estão favoráveis à formação das lavouras, apresentando adequado acúmulo de umidade no solo para germinação e emergência das sementes.

O cultivo deve se estabelecer por quase todas as regiões brasileiras, com destaque para a produção no Sul,  principalmente Paraná e Rio Grande do Sul ;  Sudeste  com São Paulo e Minas Gerais  e  o Centro-Oeste, especialmente Mato Grosso do Sul e Goiás.

O destaque fica por conta do Rio Grande do Sul que vai expandir sua produção, contando com um clima melhor do que na safra passada.

Continue Lendo

Agricultura

Inscrições para sementes de aveia em Mercedes somente até hoje

A Administração Municipal de Mercedes, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Meio Ambiente, está com inscrições abertas para interessados em adquirir sementes de aveia.

Até  esta sexta-feira (16) os agricultores podem apresentar sua manifestação de interesse por sementes.

O incentivo é oferecido a produtores que comercializam leite, cada produtor inscrito tem direito a receber até duas sacas de aveia.

Para  ser beneficiado, é necessário ter em dia o bloco de produtor rural, vacinação dos animais, cadastro atualizado na Agência de Defesa Agropecuária do Paraná  e não possuir débitos com a municipalidade.

Os produtores interessados devem comparecerem no Paço Municipal das 8  às 12  e das 13:30 às 17 horas e 30 minutos, ou entrar em contato por telefone.

Continue Lendo

Agricultura

Cigarrinha do milho ameaça a safrinha e agricultores devem ficar em alerta

Com a semeadura do milho 2ª safra concluída na região de Marechal Cândido Rondon, os produtores rurais devem ficar atentos agora para o controle de pragas.

Uma das principais preocupações é a cigarrinha do milho, que coloca em risco a produção da cultura.

 

A cultura do milho enfrenta hoje um dos seus maiores problemas fitossanitários causados pelo aumento da pressão de pragas e doenças, tendo como causa o crescimento da área de milho safrinha e pela adoção de sistemas irrigados, quebrando o intervalo de plantio, pois é cultivado praticamente o ano todo, e em todo o Brasil.

A região Oeste do Estado já vem registrando a ocorrência da praga em safras anteriores: o inseto se esconde no cartucho da planta, inoculando agentes que causam doenças, provocando sérios prejuízos para o agricultor.

Em alguns casos pode haver perda de até 100% da lavoura.

Para controlar a cigarrinha, ou conviver com a praga, o produtor deve adotar uma série de recomendações técnicas que vão da escolha das sementes híbridas, ao monitoramento da lavoura e uso de produtos mais eficientes nos cultivos.

Seus danos são diretos, quando a praga, em população muito elevada, suga a seiva continuamente da planta do milho, levando a planta à exaustão e ao desenvolvimento de fumagina sobre as suas folhas.

Também produz danos indiretos quando a cigarrinha do milho se torna vetor de transmissão de doenças do complexo dos enfezamentos, causados por microrganismos: molicutes e vírus.

Considerado um dos maiores especialistas dessa praga em nível de região Sul do Brasil, o engenheiro agrônomo Claudinei Minchio, orienta os agricultores a evitarem grandes aplicações contra a cigarrinha sem que focos do inseto sejam constatados nas lavouras……

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.