Conectado com

Geral

Fronteira do Brasil com a Venezuela é fechada

A fronteira do Brasil com a Venezuela, na cidade de Pacaraima (RR), foi fechada na manhã desta quarta-feira (18). A restrição deve ser parcial e segue decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para conter o avanço do novo coronavírus.

Por volta de 8h40 militares do Exército se posicionaram próximo ao posto de fiscalização da Polícia Rodoviária Federal, a cerca de 300 metros do marco que divide os dois países, e passaram a impedir a entrada no Brasil de estrangeiros vindos da Venezuela

O bloqueio parcial deve durar 15 dias e havia sido anunciado nessa terça-feira (17) pelo presidente Bolsonaro. O tráfego de transporte rodoviário de cargas continuará liberado.

“Não é um fechamento total. O tráfego de mercadorias vai continuar acontecendo. (…) Se você fecha o tráfego com a Venezuela, a economia de Roraima desanca. A mesma coisa a Venezuela, [que] em parte também tem esse tráfego de mercadorias conosco. Não tem como tomar medidas radicais. Não vai dar certo”, acrescentou Bolsonaro.

A portaria que restringe a entrada no país de estrangeiros vindos da Venezuela foi publicada no Diário Oficial da União na madrugada desta quarta (18). A medida foi assinada pelos ministros Walter Souza Braga Netto, da Casa Civil, Sérgio Moro, da Justiça, e Luiz Henrique Mandetta, da Saúde.

Roraima registrou, até essa terça, nove casos suspeitos do novo coronavírus, conforme a Secretaria estadual de Saúde (Sesau). Até o momento, não há casos confirmados no estado e o governo aguarda o resultado dos exames.

Distante 215 km da capital Boa Vista, Pacaraima é a principal porta de entrada de venezuelanos que entram no Brasil para fugir do colapso econômico e social no país comandado por Nicolás Maduro. A Operação Acolhida, que atua no fluxo migratório, estima que cerca de 500 refugiados cruzam a fronteira do estado diariamente.

Com a fronteira fechada, pessoas a pé e carros não podem entrar no Brasil. Logo após a registração, vários imigrantes foram barrados e carros que seguiam na direção Venezuela – Pacaraima tiveram de retornar.

Caso haja descumprimento, a portaria prevê “a deportação imediata do agente infrator e a inabilitação de pedido de refúgio” e a responsabilização civil, administrativa e penal.

A medida do governo federal não restringe a entrada no país a brasileiro nato ou naturalizado – ou seja, essas pessoas podem passar pelo bloqueio. No ponto de fiscalização, militares do Exército têm exigido a documentação de quem chega a Pacaraima.

A venezuelana Ninosca Leon, de 55 anos, foi uma das pessoas barradas logo pela manhã, quando o acesso foi restringido. Acompanhada da família, ela tentou atravessar de carro para Pacaraima para comprar comidas e remédios, mas não conseguiu.

“Se são ordens para combater o vírus, então é preciso que sejam cumpridas, mas o governo deveria pensar em medidas para que possamos ter alimentos e, sobretudo, medicamento”, disse Ninosca.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, são 291 casos confirmados e mais de 8.000 suspeitos. Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), o vírus se espalhou por diversos continentes e a situação foi declarada como pandemia.

O venezuelano Júlio César Rodrigues, de 39 anos, conseguiu passar pelo bloqueio e entrou em Pacaraima ao retornar de Santa Elena, primeira cidade venezuelana depois da fronteira. Isso porque tinha em mãos o documento de residente brasileiro – a restrição da portaria não se aplica a imigrante que tenha prévia autorização de residência definitiva em território brasileiro.

“Não sei o que pensar. Estou entrando, mas estou vendo que outros companheiros venezuelanos não têm acesso, somente os brasileiros. Só entrei porque apresentei o documento de residente, mas os que têm residência temporária também não estão entrando”, disse.

Rodrigues vive na capital Boa Vista, onde trabalha, mas precisou ir a Venezuela levar alimentos à filha de 17 anos que mora em Santa Elena com os tios.

“Esse fechamento vai causar um impacto muito grande porque as pessoas doentes, por exemplo, não aguentam esperar 15 dias por remédios”, pontuou.

Pedido do governador

O governador de Roraima, Antônio Denarium (PSL), havia enviado na segunda-feira (16) ao governo federal um ofício pedindo o fechamento da fronteira do estado com a Guiana e a Venezuela em razão da pandemia de coronavírus. Ainda não há resposta quanto ao fechamento com a Guiana.

Denarium disse haver um “risco efetivo” de circulação do vírus na fronteira, o que poderia agravar a crise na saúde pública estadual.

Na última quinta-feira (12), Denarium já havia se manifestado pelo fechamento da fronteira em conversa com o ministro da Saúde, Henrique Mandetta

Fonte: G1

Continue Lendo
Publicidade

Geral

Homem é atingido por pelo menos 05 disparos em Marechal Rondon

O Corpo de Bombeiros de Marechal Cândido Rondon foi acionado na noite desta sexta-feira (3) para socorrer um homem, cerca de 45 anos, vítima de disparos de arma de fogo. Ele foi encontrado caído na Rua Três de Maio, no bairro Higienópolis, região do supermercado Weimmann. Pelo menos cinco perfurações por disparos de arma de fogo foram encontradas na cabeça e tórax.

Ele foi socorrido ainda com vida e deu entrada na UPA Marechal, onde recebe agora atendimento médico. A Polícia Militar foi acionada para registrar o fato e tentar levantar informações a respeito desta tentativa de homicídio. A identidade da vítima ainda não foi revelada. Ele segue Na UPA.

Continue Lendo

Geral

“Estamos fazendo história”, comemora Élio Rusch, após ordem de serviço para construção da sede do BPFron de Marechal Cândido Rondon

A ordem de serviço foi assinada nesta quinta-feira (02) pela Paraná Edificações

 

O primeiro Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) de Marechal Cândido Rondon, no Oeste do estado, vai ganhar sede própria. A Ordem de Serviço no valor de R$ 32 milhões, foi assinada nesta quinta-feira (02), pela Paraná Edificações.

O deputado estadual, Élio Rusch, um dos responsáveis pela implantação do batalhão em 2012, celebrou a notícia com muito entusiasmo.

“Mais uma conquista importante através do diálogo e do equilíbrio. Há anos trabalhamos em prol das forças de segurança na região. O BPFron tem grande atuação no enfrentamento a criminalidade e esta nova estrutura ampliará sua capacidade de resposta, continuando a prestar excelentes serviços à população. Estamos fazendo história”, afirma.

O novo espaço terá uma área de aproximadamente 7 mil metros quadrados, e será construído no quilômetro 26 da PR-467, no município. A empresa responsável terá cerca de 2 anos para a conclusão da obra.

“Trabalhamos pela criação do batalhão, lutamos pela destinação de efetivo e materiais necessários e agora reforço a continuidade de políticas públicas para entregar esta nova sede estruturada e equipada. Agradeço o governador, Ratinho Júnior, o secretário da Segurança Pública, coronel Romulo Marinho Soares, e todos os evolvidos nesta conquista”, declara o parlamentar, que há pouco mais de um mês retornou à Assembleia Legislativa do Paraná.

A construção de um novo espaço dará maior agilidade para os atendimentos e operações especiais na região. O BPFron é responsável por mais de 139 municípios da região fronteiriça e exerce um trabalho integrado com outros órgãos na faixa de fronteira, como guardas municipais, Polícia Civil, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Receita Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Exército Brasileiro, forças de segurança do Paraguai e da Argentina, entre outros.

Continue Lendo

Geral

Mercedense morre em gravíssimo acidente com bitrem e ônibus em Rondônia

Reprodução rede social

Um mercedense e outras duas pessoas morreram em um gravíssimo acidente, registrado no início da manhã desta sexta-feira (03), na BR-364, em Rondônia. A colisão envolveu um bitrem e um ônibus.
Conforme as informações da imprensa local, o acidente aconteceu por volta das 5h30min, entre as cidades de Cacoal e Presidente Médici. Os veículos seguiam sentido contrário, quando acabaram colidindo frontalmente.
Várias equipes de resgate estiveram no local prestando atendimento as vítimas, mas infelizmente os dois motoristas do ônibus e o mercedense Orlando Schwantes, que conduzia a carreta bitrem, acabaram entrando em óbito.
Ainda conforme as informações, ao menos dez pessoas feridas no gravíssimo acidente deram entrada em hospitais da região. Algumas ficaram presas as ferragens.
A suspeita é de que o motorista do coletivo teria dormido ao volante, invadindo a pista contrária e colidindo frontalmente com o bitrem conduzido pelo mercedense.
Neste momento, os familiares estão realizando os procedimentos para o translado do corpo de Orlando para Mercedes, para que possam ser feitos os atos fúnebres.
Fonte: Ponto da Notícia
Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.