Conectado com

Política

Gleisi deve ser reeleita para presidência nacional do PT

Agência Senado

A deputada federal paranaense Gleisi Hoffmann deve ser reconduzida à presidência nacional do PT, após a corrente majoritária da sigla, Construindo um Novo Brasil (CNB), vencer as eleições internas da legenda, com um discurso em defesa de uma grande frente democrática, inclusive com setores do centro, para enfrentar o governo Jair Bolsonaro. Com 87% dos votos apurados até a noite de quarta-feira, a CNB tinha 52% dos votos contra 13% da segunda colocada, a chapa composta pelas correntes Democracia Socialista (DS) e Militância Socialista.

Os principais adversários de Gleisi, por enquanto, são dois colegas de bancada na Câmara: Paulo Pimenta (RS) e Paulo Teixeira (PT-SP). Os dois integram a chapa Resistência Socialista, corrente nova surgida a partir dos mandatos parlamentares e que estava em terceiro lugar, com 10% dos votos apurados até a noite de quarta-feira. O professor de história Valter Pomar, da Articulação de Esquerda, que teve 5%, também deve concorrer.

Unidade – O discurso de unidade defendido pela CNB, no entanto, esbarra na prioridade que a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou durante o processo eleitoral do partido. Cerca de três mil das aproximadamente cinco mil chapas inscritas em todo o Brasil tinham “Lula Livre” no nome, inclusive quatro das nove nacionais. A tese vencedora “Lula livre para mudar o Brasil” usa as mensagens entre integrantes da Lava Jato reveladas pelo The Intercept Brasil para argumentar que a operação tinha como objetivo criminalizar o PT, derrubar a ex-presidente Dilma Rousseff e tirar Lula do jogo eleitoral.

“Já não se trata de provar mais nada. A condenação fraudulenta de Lula tornou-se evidente. Cabe aos tribunais superiores reconhecerem a sua inocência e libertá-lo”, diz a tese.

Segundo dirigentes petistas, o PED deixou claro que a defesa do “Lula Livre” é unanimidade hoje no partido. “É um ponto de unidade no PT. Ninguém no partido defende nada diferente disso”, afirmou o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS).

Sectarismo
A insistência em colocar o “Lula Livre” na pauta de manifestações e eventos realizados em conjunto com outras forças políticas tem, algumas vezes, sido um obstáculo para que o PT participe de articulações para unificar a centro-esquerda como frente de oposição ao governo Bolsonaro.

Duas semanas atrás, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e o ex-ministro Aloizio Mercadante, deixaram de ir ao ato de lançamento da frente ampla Direitos Já, no Teatro da Universidade Católica de São Paulo (Tuca) por que os organizadores se recusaram a incluir o “Lula Livre” na pauta do evento. A reação foi uma saraivada de críticas de outros setores da centro-esquerda que, nas redes sociais, acusaram o PT de sectarismo.

 

Fonte: Bem Paraná com agências
Continue Lendo
Publicidade

Política

Polícia registra esfaqueamento na avenida Írio Welp em Marechal Cândido Rondon

Reportagem com Maiko Bucker

Continue Lendo

Geral

Decisão do STJ reconduz Nilson Hachmann ao mandato de vereador em Marechal Rondon

Assessoria

Com retorno de Nilson, vereador Paleta volta a suplência

A Câmara de Vereadores de Marechal Cândido Rondon deve fazer a qualquer momento, o chamamento de Nilson Hachmann, para que seja reconduzido ao cargo de vereador.

A decisão de ofício foi dada na quarta-feira (07) pelo desembargador do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Reynaldo Soares da Fonseca.
Nilson estava afastado desde maio do ano passado (2019) durante uma operação do GAECO.

A defesa do vereador entrou com recursos no Poder Judiciário de Marechal Cândido Rondon e Curitiba, os quais foram negados.

Novo recurso foi ajuizado no STJ em Brasilia, tendo o parecer do desembargador Reynaldo Soares da Fonseca, sido favorável a defesa e por ordem de ofício, foram revogadas as medidas cautelares em vigor, entre elas o afastamento das funções de vereador do município.

A defesa do vereador Nilson informou que o despacho do STJ já estaria nas mãos do Poder Judiciário rondonense, que a qualquer momento deve oficiar a direção da Câmara de Vereadores, para que faça o chamamento e reconduza Hachmann ao cargo de vereador.

Com o retorno de Nilson ao Poder legislativo, volta a ser suplente Valdecir Schons, o Paleta.

Clique e confira a decisão.

b8d1ea0d51a63422185c3201f3c8e677ba4b0f06

Continue Lendo

Política

Secretários de Educação e de Viação se desincompatibilizam em Mercedes

Em respeito a resolução 23.606/19 do Tribunal Superior Eleitoral dois secretários municipais se desincompatibilizaram de SUS funções para concorrer a um cargo eletivo nas próximas eleições.

Trata-se do Secretário de Viação Obras e Serviços Urbanos, Altair Loffi e o secretário de Educação e Cultura Gilson Backes.

Altair Loffi é vereador eleito e estava licenciado do poder legislativo para comandar a secretaria de viação, Obras e Serviços Urbanos.

O outro é o Secretário de Educação e Cultura, Gilson Backes que também deixou o seu cargo e passa a condição de funcionário de carreira do município para o qual é concursado.

Já Altair Loffi reassumiu a sua vaga na câmara no legislativo.

Com isso o primeiro suplente da coligação Alberto Schumacher que assumiu com o falecimento prematuro do vereador Luiz Fernando Schmoeller volta as suas atividades como agricultor.

As vagas de ambas as secretarias já foram preenchidas, sendo que na Viação, Obras e Serviços Urbanos, assumiu Edelberto Bruch mais conhecido como Samiro Bruch.

A secretaria de Educação e Cultura Passa a ser ocupada pela professora Elenir Dorner Brum, que ocupava o cargo de diretora da escola municipal Tiradentes.

Os decretos estão sendo publicados esta semana, assim como também uma nomeação na secretaria de Esporte Lazer e Turismo onde Jucimar dos Santos, assume o cargo de diretor do departamento de Esporte e Lazer que estava vago a algum tempo.

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.