Conectado com

Geral

Levantamento mostra presença do Aedes aegypti em 6 mil locais no Paraná

AEN

A Secretaria Estadual da Saúde reforça o alerta à população sobre a importância de eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti para prevenção da dengue. O boletim semanal emitido na terça-feira (02) mostra que o Paraná tem 2.270 casos confirmados. São 324 casos a mais que o informe anterior que apresentava 1.946 confirmações. A Secretaria da Saúde publicou também o levantamento dos principais criadouros de Aedes aegypti entre 1º e 29 de janeiro de 2021.

O secretário Beto Preto lembra que a dengue é uma doença já conhecida e que pode levar a morte. “Estamos vivendo a pandemia pela Covid-19, mas as outras doenças não pararam de fazer vítimas e a dengue é uma delas. Porém, para prevenir a dengue, nós sabemos o que fazer, não é novidade. Precisamos acabar com espaços e objetos que acumulam água, esses são os criadouros do mosquito”, disse ele.

De acordo com o Boletim, os depósitos ou criadouros passíveis de remoção são os locais onde mais foram identificadas amostra de água com depósitos positivos para o mosquito causador da Dengue, Zika e Chikungunya.

Foram encontradas larvas e pupas do mosquito em 6.125 locais. Entre eles 2.283, ou 37,4%, estavam em recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas em pátios e ferro velhos e entulhos de construção.

Na sequência, os depósitos mais comuns para o mosquito se acomodar e reproduzir, com 1.584 locais positivos para o Aedes aegypti são vasos de flores, frascos com água, pratos, pingadeiras, recipientes de degelo em geladeiras, pequenas fontes ornamentais, materiais estocados para construção civil e objetos religiosos.

Para o secretário estadual, ações individuais são fundamentais para evitar casos de dengue. “Dentro da nossa casa, do nosso terreno, da nossa loja ou outro espaço que ocupamos, temos o dever de eliminar espaços e objetos que possam acumular água. Essa ação parece boba, mas é com a simplicidade que podemos eliminar as larvas do mosquito e não deixar que ele contamine pessoas”, lembrou Beto Preto.

CONTROLE – As Diretrizes Nacionais para a Prevenção e Controle de Epidemias de Dengue preveem o controle vetorial, que é a eliminação dos mosquitos, como um dos componentes principais para combate à dengue e outras arboviroses. Como as ações devem ser conjuntas e intersetoriais, devem envolver e responsabilizar tanto os gestores quanto a sociedade.

DADOS – As informações do Boletim resultam do período epidemiológico com início em agosto de 2020 e término no final de junho de 2021. Em comparação ao mesmo período de 2020, os números de casos confirmados de dengue são menores, eram 10.882 no ano passado e 2.270 neste ano.

JACAREZINHO – No sábado (30), o município de Jacarezinho e a 19ª Regional de Saúde realizaram um mutirão para eliminar possíveis criadouros do Aedes aegypti. A ação envolveu centenas de pessoas que percorreram bairros da cidade.

O resultado foi a retirada de uma grande quantidade de lixos, entulhos e outros materiais que estavam em quintais e terrenos e que poderiam acumular água parada. No próximo sábado será realizado um novo mutirão, contemplando bairros que não tiveram a passagem das equipes neste primeiro dia de limpeza e completando a ação, percorrendo então toda a zona urbana de Jacarezinho.

 

Fonte: AEN

Continue Lendo
Publicidade

Geral

Diocese de Toledo decide pela suspensão de atividades até dia 8/03

A Diocese de Toledo, por meio de seu bispo, D. João Carlos Seneme, toma a decisão pela suspensão, até dia 8 de março de 2021, das seguintes atividades: missas e celebrações presenciais, catequese, reuniões e encontros. A decisão tem abrangência nas 31 paróquias e suas respectivas capelas que estão presentes em 19 municípios da Região Oeste.

As missas e celebrações poderão acontecer de forma remota, com transmissão ao vivo pelos meios de comunicação.

Já o início das atividades da Catequese, que estava programado para dia 6 de março, está suspenso, de acordo com o que já foi informado.

Esta decisão do bispo diocesano considera o Decreto nº 6983, do Estado do Paraná, que determina medidas restritivas, visando o enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da pandemia da Covid-19.

Contudo, os atendimentos individuais poderão continuar nas secretarias paroquiais com os devidos cuidados e higiene.

 

Fonte: Revista Cristo Rei

Continue Lendo

Geral

Números da saúde pública rondonense referentes ao 3º quadrimestre de 2020 são apresentados em audiência

Assessoria

Na oportunidade a Secretária de Saúde também falou sobre a pandemia

Na tarde desta sexta-feira, dia 26, aconteceu na Câmara de Vereadores, audiência pública para a prestação de contas da Secretaria de Saúde de Marechal Rondon, referente ao terceiro quadrimestre do ano de 2020. Os dados foram apresentados pela secretária da pasta, Marciane Specht, e pelo analista técnico Robson Blank.
O evento contou com a presença do presidente da Comissão de Educação, Saúde, Cultura, Bem-Estar Social e Ecologia, o vereador e vice-presidente do Legislativo, Rafael Heinrich, dos vereadores Cristiano Metzner (Suko), João Eduardo dos Santos (Juca), Sargento Dionir e Valdecir Schons (Paleta), além de servidores municipais e comunidade em geral.
Na audiência, além dos números, foi debatida a situação da Covid-19 em Marechal Rondon. Na oportunidade, a secretária Marciane comentou que o município, como também o Estado todo, vive uma situação muito crítica e, por isso, mais do que nunca, necessita-se a colaboração da população. “Desde o início da pandemia pede-se para a população seguir usando máscara, passar álcool em gel nas mãos e evitar aglomerações. Por um certo período, isso foi muito respeitado, mas depois, houve um grande relaxamento e o resultado está aí na nossa frente. O que a população precisa é se conscientizar que o vírus não tem fronteiras. A conscientização e sensibilização é a única forma que poderemos ultrapassar esse momento de pandemia que estamos vivendo. O poder público através da saúde, implementou vários fluxos de atendimento, estruturou as unidades e ampliou o atendimento. As equipes estão cansadas, e por isso, que solicitamos prudência e bom senso a todos no que diz respeito às medidas sanitárias em vigência”, declarou.
A secretária também foi questionada sobre a possibilidade de abertura do hospital de campanha e se ele está pronto quando for necessário. “O hospital está pronto para ser usado quando necessário. Se tivermos que abrir, vamos abrir. Montamos ele por precaução e diante do cenário atual, com taxa de ocupação de leitos na macrooeste em 100% de ocupação de leitos UTI e 75% de ocupação de leitos enfermaria até esta sexta-feira (26). Em caso de abertura do espaço, a equipe está orientada desde momentos anteriores de como funcionará, inclusive houve momento de visita para conhecer a estrutura”, conta.
Marciane destacou na audiência números diversos, que vão desde investimentos, custeio, como também de atendimentos.
PANDEMIA
Do início da pandemia até o 31 de dezembro de 2020, foram gastos com a Covid-19, o montante de R$ 2.941.151,31. Valor este que engloba os gastos de todas as secretarias municipais com equipamentos e suplementos, como também, com o pagamento da folha salarial de servidores que estão na linha de frente, manutenção do hospital de campanha, etc.
No terceiro quadrimestre de 2020, as receitas de transferências constitucionais e legais arrecadadas pelo município foram de R$ 32.132.810,89 e R$ 4.023.174,48 do SUS.
INVESTIMENTOS
Com relação aos investimentos no terceiro quadrimestre de 2020, foi de R$ 5.362.065,43, ou seja, 28,37% da receita de impostos. Lembrando que a aplicação mínima definida por lei é de 15%.
CONSULTAS MÉDICAS
Foram realizadas 691 consultas em pediatria durante o 3° quadrimestre.
Consultas com clínicos gerais somaram 17.833, incluindo os médicos do Programa Saúde da Família. Em ginecologia e obstetrícia, o número foi de 1.460 atendimentos. Já em consultas odontológicas, 1.941 atendimentos foram feitos.
UPA
Na Unidade de Saúde 24 horas foram realizados 12.405 exames realizados, além de 10.701 atendimentos médicos de urgência e emergência, 1.648 por especialidade e 21.653 atendimentos de enfermagem.
Com relação à atendimentos/notificações Covid-19, foram registradas 1.766 nos últimos quatro meses do ano e 204 internamentos.
HOSPITAL MUNICIPAL DR. CRUZATTI
O Hospital Dr. Cruzatti conta atualmente com dois centros cirúrgicos e 23 leitos. Durante o 3º quadrimestre de 2020, foram atendidos 483 pacientes.
Desde junho de 2017, após adequações, o Hospital Dr. Cruzatti, passou a receber partos. Somente no 3º quadrimestre de 2020, foram realizados 34 partos normais e 58 cesarianas.
Em se tratando de procedimentos cirúrgicos, foram realizadas 82 eletivas.
Ao todo, 3.589 exames foram feitos no hospital, como os laboratoriais, raio-x, eletrocardiograma, tomografia, ultrassonografia, etc.
CAPS – CENTRO DE APOIO PSICOSSOCIAL
No CAPS, foram realizadas 250 consultas médicas, 140 de psicologia, 312 de enfermagem, 118 através de assistente social, 166 de psicopedagoga, além de intervenções diversas.
CLÍNICA DA MULHER
Na Clínica da Mulher, foram realizados 922 exames papanicolau e 495 mamografias.
VIGILÂNCIA SANITÁRIA
A equipe do Departamento de Vigilância Sanitária é composta por nove profissionais, sendo um médico veterinário, um farmacêutico bioquímico, cinco fiscais sanitários, uma enfermeira e uma arquiteta.
Ao todo, a equipe realizou 2.512 ações no quadrimestre, entre vistorias, fiscalizações e demais procedimentos.
Destacam-se as 1.142 vistorias orientativas com relação à Covid-19 e 90 vistorias.
ENDEMIAS
No setor de Controle de Endemias, no combate e controle da dengue, foram visitados 39.012 imóveis, além da realização de arrastões, ações de conscientização em escolas e unidades de saúde, entregas de ráfia, divulgações na imprensa, etc.
VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA
Os números apresentados em relação aos testes rápidos feitos pelo setor de epidemiologia foram com base a todo o ano de 2020. Foram realizados 7.839 testes rápidos (2.297 Sífilis, 1.579 Hepatite B, 1.692 Hepatite C e 2.271 HIV); 783 exames enviados ao Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN) e Consórcio Intermunicipal de Saúde Costa Oeste do Paraná (CISCOPAR).
Por outro lado, foram encaminhados ao LACEN, 4.088 amostras de Covid-19.
Ouvidoria Municipal, Farmácia Básica, Lista de Espera e Agendamentos, Ciscopar e Transporte de Pacientes completam as informações da prestação de contas do 3° quadrimestre deste ano, e podem ser conferidos no Portal da Transparência.
Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Geral

Comitê Resistência e Solidariedade entrega mais 20 cestas emergenciais e material escolar

O Comitê Resistência e Solidariedade é constituído por sindicatos, movimentos sociais e entidades estudantis e seu objetivo é fortalecer a solidariedade entre os trabalhadores do campo e da cidade para resistir contra a retirada de direitos da classe trabalhadora, lutar em defesa dos serviços públicos e pressionar os governos para agilizar as ações emergenciais necessárias. Foi constituído em abril de 2020 e desde então já desenvolveu sete etapas de suas atividades, sendo a última concluída recentemente, com a distribuição de mais 20 cestas emergenciais (todas entregues na cidade de Marechal Cândido Rondon) e material escolar (cadernos, lápis, cadernos de desenho, borrachas, apontadores, réguas, cola…) para 23 crianças indígenas da comunidade indígena Pohã Renda, em Terra Roxa. Com isto o CRS-MCR já distribuiu diretamente 281 cestas, com recursos arrecadados através de doações individuais e dos sindicatos dos trabalhadores da educação pública básica e da Unioeste (APP-Sindicato, ADUNIOESTE, SINTEOESTE).

Além disso, já viabilizamos também a doação de álcool em gel, máscaras face shield (viseiras), medicamentos e roupas e cobertores para comunidades indígenas, bem como doação de roupas e de material de construção para o Quilombo Manoel Ciríaco dos Santos, em
Guaíra. O Comitê também apoiou e participou da distribuição de 2.480 cestas básicas, em diversas etapas, nas 14 aldeias indígenas de Guaíra, Terra Roxa, Santa Helena e Itaipulândia feita pelo CAPA (Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia) e CTI (Centro de Trabalho Indigenista).

Vivemos hoje o pior momento da Pandemia e sabemos que não perspectiva de melhora enquanto não houver uma política nacional coordenada de contenção. Neste contexto, a distribuição das cestas, constituídas de 16 itens de alimentos e 5 de limpeza e higiene, visa amenizar a terrível situação vivenciada por crescente número de trabalhadores. Infelizmente, nosso país tem o pior governo do mundo no enfrentamento à Pandemia, conforme pesquisa do Lowy Institute (Austrália).

O governo Bolsonaro decidiu não enfrentar a pandemia, militarizou o Ministério da Saúde, recusou a compra de vacinas eficazes e não educa a população para os cuidados mais básicos, como o uso correto de máscaras. Enquanto diversos países tomaram medidas concretas e conseguiram conter a pandemia e evitar alto número de mortes, e com isto puderam inclusive retomar a normalidade e reverter os prejuízos econômicos, no Brasil temos muitas vezes mais mortes que a média mundial e crise econômica que só piora. Ao completar um ano de Pandemia, seguem aumentando os casos e óbitos e temos a circulação de uma nova variante muito mais transmissível, que é um resultado da transmissão descontrolada.

A vacinação para todos no menor prazo possível deveria ser a primeira prioridade nacional. No entanto, no ritmo atual, o país levaria quatro anos imunizar toda a população. É imprescindível garantir vacina para todos, que é a única forma de interromper a pandemia. Em nossa cidade, vivemos um momento muito difícil, com grande aumento do número de casos e óbitos e é urgente suspender as aulas presenciais, estabelecer medidas mais rigorosas e intensificar os cuidados.

O governo federal continua deseducando a população, propagando medicamentos comprovadamente ineficazes, omitindo informações, restringindo testes, desprotegendo os profissionais da saúde, vetando leis imprescindíveis como a que torna obrigatório o uso de máscaras em espaço público e desqualificando as vacinas que são a única possibilidade real de superar a pandemia. É imprescindível prorrogar o valor do Auxílio Emergencial e ao mesmo tempo garantir mais recursos para Saúde e Educação, tributando as grandes fortunas, ao contrário do que hoje propõe o governo. Somos contra o desmontedo Estado, defendemos Saúde Pública para todos, como defendemos Educação, Previdência Social e Direitos que devem ser garantidos pelo Estado.

 

 

Marechal Cândido Rondon. 26 de fevereiro de 2021.

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.