Conectado com

Agricultura

Ministra da Agricultura anuncia amanhã o fim da vacina contra a aftosa no Paraná

Brasil pode bater recorde nas exportações de carne bovina em outubro, caso o ritmo de vendas continue aquecido.

Anuncio será às 11 da manhã no Palácio Iguaçu

O governador do Paraná Carlos Massa Ratinho Junior e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, anunciam amanhã a suspensão das campanhas de vacinação contra febre aftosa em rebanhos bovinos e bufalinos no Paraná.

As campanhas eram feitas duas vezes por ano, em maio e novembro.

A Instrução Normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento , que será assinada nesta terça-feira, proíbe o uso e a comercialização de vacinas contra a febre aftosa no Paraná já a partir do dia 31 deste mês.

A Instrução Normativa também anuncia a restrição e o controle do ingresso de animais vacinados contra a febre aftosa no Paraná, medida que passa a vigorar no primeiro dia do ano que vem.

O anúncio acontecerá às 11 horas da manhã no Salão de Atos do Palácio Iguaçu, em Curitiba.

Por outro lado, o Brasil pode bater recorde nas exportações de carne bovina em outubro, caso o ritmo de vendas continue aquecido.

No acumulado de janeiro a setembro, o Brasil já exportou mais de 1 milhão de toneladas de carne bovina in natura e a expectativa é que o total embarcado em outubro fique em torno 184 mil toneladas, sendo que na primeira semana do mês o volume exportado ficou em 8 mil toneladas por dia.

Com a China se consolidando com o principal importador de carne bovina do Brasil, a tendência é que o total exportado fique em torno de 184 mil toneladas até o final deste mês.

Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior – Secex -, a primeira semana deste mês registrou com uma média de 8 mil toneladas por dia.

O governo brasileiro está investindo na abertura de novos mercados na Ásia para exportar a carne bovina, suína e de frango.

A Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, anunciou que a efetiva abertura de mercado da Indonésia para a carne do Brasil está próxima, mas que ainda faltam alguns detalhes do acordo do Certificado Sanitário Internacional que precisa ser firmado pelos dois países.

Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

Prazo para declaração do ITR entra em sua reta final

Falta pouco mais de uma semana para o encerramento do prazo para a Declaração do Imposto sobre Propriedade Territorial Rural.

Uma vez esgotada a data-limite, que é 30 de setembro, a declaração ainda poderá ser feita, mas mediante pagamento de multa — que começa com o valor mínimo de 50 reais.

A declaração do DITR é obrigatória para pessoas físicas ou jurídicas que sejam proprietárias, titulares do domínio útil ou detentoras de qualquer título — incluindo a usufrutuária — de imóvel rural.

É preciso preencher o formulário online disponibilizado pela Receita Federal, no entanto, é necessário baixar o Programa Gerador de Declaração e, pela ferramenta virtual, o contribuinte envia a documentação.

Uma vez que o DITR tenha sido enviado, o produtor rural pode acompanhar a situação da declaração.

Em caso de apresentação “retida em malha”, é possível conferir eventuais inconsistências e, assim, corrigir informações e enviar um novo material, a chamada retificadora.

A consulta está liberada na página de extrato no site da Receita Federal e os encaminhamentos em torno da Declaração do ITR podem ser feitos no Sindicato Rural Patronal de Marechal Cândido Rondon.

 

 

Continue Lendo

Agricultura

Sindicato Rural conclama mobilização em defesa do subsidio à energia rural

Os Sindicatos Rural de Mal. Cândido Rondon e Palotina estão conclamando toda a classe agropecuária à se mobilizar para impedir o fim do subsídio concedido a energia elétrica rural.

 

Os elevados custos de produção são grandes problemas enfrentados pelo agronegócio nacional.

Não são só os preços das sementes, fertilizantes, agroquímicos, diesel e trato animal que motivam preocupação, mas também o que se gasta em energia elétrica para manter uma propriedade produtiva.

Os custos que já são elevados no que diz respeito a energia elétrica podem se tornar ainda maiores, o que inviabilizaria muitas criações e, inclusive, poderia resultar na falência de inúmeros pecuaristas.

Neste sentido, os presidentes dos Sindicatos Rurais Patronais de Marechal Cândido Rondon e Palotina, Edio Chapla e Edmilson Zabott, respectivamente, não se cansam de cobrar as providências.

Também como presidente e vice da Comissão Técnica de Aquicultura do Sistema FAEP/SENAR/PR, eles tiveram audiência na tarde desta terça-feira no Ministério de Minas e Energia, em Brasília.

Este encontro foi intermediado pelo secretário nacional de Aquicultura e Pesca, Jairo Gund, que também participou da audiência e manifestou sua preocupação quanto ao futuro do agronegócio em razão do elevado custo da energia elétrica.

A preocupação se torna ainda maior na medida em que no final de 2023 está previsto o término do subsídio concedido a energia rural, equiparando-a ao preço pago pela energia urbana.

A reivindicação foi novamente encaminhada em Brasília, mas como ainda não se tem garantia de uma mudança de quatro, o presidente do Sindicato Rural Patronal de Marechal Cândido Rondon, Edio Chapla,  conclama uma grande mobilização da classe produtiva em torno da questão…

 

Continue Lendo

Agricultura

Secretário de Agricultura destaca número da colheita do milho safrinha

Levantamento divulgado nesta terça-feira pelo Departamento de Economia Rural, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná, aponta que da área estimada para a soja 6% já foram plantados.

 

Segundo o Deral, a área total estimada no Estado é de cerca de 5 milhões e 730 mil  hectares, representando aumento de 1% em comparação com a safra anterior 2021/2022.

Conforme os dados, 100% das lavouras de soja plantadas até o momento estão em boas condições, com 99% em fase de germinação e 1% em desenvolvimento vegetativo.

Já o plantio da safra de verão de milho 2022/23 atinge 47% da área total estimada no Paraná.

Desse total, 98% das lavouras apresentam boa condição, 2% em situação média, e 43% das plantas estão em germinação e 47% em desenvolvimento vegetativo.

Já a colheita do trigo atingiu 28%, a proporção de lavouras em condições boas subiu para 79%, o índice em situação média diminuiu de 19% para 18% e ruim manteve-se em 3%.

As lavouras estão nas seguintes fases: desenvolvimento vegetativo 6%, floração 11%, frutificação 39% e maturação 43%.

No tocante a colheita do milho de inverno no Paraná alcançou 99% da área plantada.

Atualmente, 74% das plantações estão em boas condições, o percentual de área em condição média passou de 26% para 23%, e a parcela em situação ruim caiu para 3% ante 5%.

O secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, comenta sobre a conclusão da colheita do milho da safrinha no Paraná..

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.