Conectado com

Agricultura

Paraná reduz em até 50% uso de agroquímicos na soja

O Instituto Emater e a Embrapa Soja tiveram bons resultados no manejo de pragas e doenças nas últimas safras de soja no Paraná.
A redução no uso de agroquímicos em alguns casos chegou a 50%.
A perspectiva é melhorar ainda mais os números com o uso de uma nova plataforma digital, que vai ajudar os produtores.
A previsão é de que a plataforma esteja em pleno funcionamento na próxima safra, reunindo um banco de dados que oriente o produtor a saber o período e a quantidade para a aplicação de produtos na plantação.
Para desenvolver o projeto, foi assinado um protocolo de intenção entre Emater, Embrapa Soja, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campi Cornélio Procópio e Dois Vizinhos, e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.
De acordo com o gestor estadual do Projeto Grãos da Emater, Edivan Possamai, o Instituto e a Embrapa Soja estão há seis anos trabalhando em conjunto na área de manejo de pragas e doenças.
Segundo ele, nas últimas safras caiu pela metade a aplicação de inseticida nas áreas onde foi realizado o manejo integrado de pragas, reduzindo custos de produção sem reduzir a produtividade……
No manejo integrado de doenças o resultado também foi bom e nas últimas três safras a redução no uso de fungicidas foi de 35%.
Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

Conselho Agropecuário define detalhes do Prêmio Produtor Destaque

O Conselho Municipal de Desenvolvimento Agropecuário de Marechal Cândido Rondon realizará neste ano mais uma edição do Concurso de Produtor Destaque.

Através da iniciativa, a entidade procura destacar aspectos de qualidade de vida da família do agricultor, como a organização da propriedade, a preservação ambiental e dos recursos naturais do solo e da água e, principalmente, se esta atividade está dando renda para a família.

Na manhã desta quarta-feira, uma reunião do Conselho de Desenvolvimento Agropecuário definiu detalhes do evento de 2022, conforme destaca o vice-presidente da entidade, engenheiro agrônomo Urbano Mertz..

 

Continue Lendo

Agricultura

México suspende tarifas para importação de carne brasileira de frango

Paraná, principal exportador para os mexicanos comemora a decisão

O México anunciou a suspensão por um ano as tarifas para a importação de carne de frango de nações que tenham estabelecimentos habilitados a exportar o produto para aquele país.

A medida é válida para países que, como o Brasil, tenham constituído acordo sanitário com as autoridades mexicanas e na condição de principal exportador o Paraná comemora a decisão.

O estado responde por 42% das exportações de frango do Brasil para o mercado mexicano, de acordo com dados da Associação Brasileira de Proteína Animal .

De acordo com Irineo da Costa Rodrigues, presidente do Sindiavipar, sindicato que reúne os abatedouros paranaenses de aves, essa isenção vem numa hora muito boa e vai potencializar as exportações de diversos frigoríficos do Estado.

A abertura do mercado contempla diversos produtos derivados de aves pois não há, desta vez, o estabelecimento de cotas, como ocorreu nos últimos anos com as importações provenientes do Brasil.

O Brasil, que é o maior produtor e exportador mundial de carne de frango, já teve, anos atrás, uma cota de 300 mil toneladas e mais recentemente duas cotas de 50 mil para o mercado mexicano.

O que fosse exportado dentro das cotas entrava sem taxas, ao passo que , o que passava disso, era taxado em 75%.

A última cota se encerrou em março último e, desde então, toda a carne de frango do Brasil que entrava no México era taxada.

De acordo com o presidente da ABPA, Ricardo Santin, os exportadores brasileiros de carne de frango têm aumentado sua relevância entre os parceiros pela segurança alimentar do México.

Segundo ele, com o anúncio feito pelo governo mexicano, espera-se que o país reforce esta posição.

O México é o atual oitavo maior importador de carne de frango do Brasil, segundo a ABPA.

Entre janeiro e abril, o país importou 58,5 mil toneladas, número 128,6% maior em relação ao mesmo período de 2021, com 25,6 mil toneladas.
O Paraná é o principal estado exportador para o México.

No acumulado do ano exportou 24.564 toneladas, representando 42% das exportações.

Continue Lendo

Agricultura

Entidades do Agro comemoram os 10 anos de criação do Novo Código Florestal

A Federação da Agricultura do Estado do Paraná, dentre outras entidades do agro, como o Sindicato Rural de Marechal Cândido Rondon, relembram os 10 anos de implantação do Novo Código Florestal Brasileiro.

 

No dia 05 de abril de 2011, milhares de agricultores se concentraram em frente a Praça dos Três Poderes, em Brasília, dentre eles cerca de 4 mil procedentes do Estado do Paraná, os quais pressionaram o Congresso Nacional a votar o projeto do Novo Código Florestal.

Com o apoio de parlamentares que aderiram à pressão, a proposta tramitou e no ano seguinte, em 25 de maio de 2012, a então presidente Dilma Rousseff sancionou a nova legislação ambiental.

A legislação, que completa 10 anos neste mês, trouxe mudanças importantes nas Áreas de Preservação Permanente e de Reserva Legal, além de mecanismos que garantiram a preservação ambiental, com segurança jurídica para quem produz.

Apesar disso, há outros pontos previstos que ainda não foram implantados, entravando o pleno funcionamento da legislação.

Segundo o presidente da FAEP, Ágide Meneguette, o Novo Código Florestal foi uma vitória imensa do setor rural, que precisava de segurança jurídica para continuar produzindo em consonância com o meio ambiente.

Um dos pontos importantes da legislação foi manter em 20% os índices de Reserva Legal dentro dos imóveis rurais.

Meneguette cita que os imóveis rurais com até quatro módulos fiscais ficaram desobrigados de recompor as reservas legais, valendo o porcentual de mata nativa que existia na propriedade em julho de 2008.

Os pequenos produtores, que até aquela data mantinham vegetação originária em dimensões inferiores a 20% da área total, passaram apenas a ter que manter esse índice.

Essa consolidação provocou um impacto positivo ao Paraná, que na época da sanção do Novo Código tinha 92% de seus imóveis rurais com até quatro módulos fiscais, destacou o presidente da FAEP.

Para o presidente do Sindicato Rural Patronal de Marechal Cândido Rondon, Edio Chapla, a instituição do Código Florestal foi um marco para o agronegócio brasileiro….

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.