Conectado com

Policial / Trânsito

Policiais Federais são acusados de efetuar disparos contra bombeiros paraguaios

Itaipu

Policiais federais atiraram contra bombeiros paraguaios que trabalhavam para apagar um incêndio na Reserva Tatí Yupí, no Paraguai, na fronteira com o Paraná, região de Santa Terezinha de Itaipu.

Queixa poderá ser feita ao Ministério das Relações Exteriores 

De acordo com o jornal Última Hora, do país vizinho, bombeiros voluntários de Hernandarias e da Marinha do Paraguai foram ao condomínio Paraná Country Club, que também foi afetado pelo incêndio.

Ao jornal, o diretor de segurança do complexo habitacional privado, Carlos González Airaldi, disse que os bombeiros estavam em pleno trabalho para apagar as chamas nas margens do Rio Paraná, quando foram alvo de tiros disparados pela Polícia Federal brasileira, que estava do outro lado do rio.

Na ocasião, um barco havia atravessado o rio na área, o que pode ter levantado suspeitas sobre as pessoas que estavam no país vizinho, deduziu González.

Aparentemente, os policiais pensavam que eram contrabandistas.

González Airaldi reconheceu que é uma área utilizada como rota para esse tipo de ilícito, mas afirmou que não justifica as ações da polícia brasileira.

Os bombeiros não descartam a apresentação de uma queixa ao Ministério das Relações Exteriores.

Apesar do susto, eles continuaram trabalhando para reprimir todas as fontes de fogo: no local, apenas uma casa com telhado de colmo foi afetada.

O intenso incêndio afetou cerca de 35 hectares de áreas úmidas localizadas no setor oeste da reserva Tatí Yupí.

Continue Lendo
Publicidade

Policial / Trânsito

Organização de quadrilha ligada ao Comando Vermelho era concentrada em Toledo; policias participavam do esquema

Promotora de Justiça, Juliana Vanessa Stofela da Costa. Foto: Reprodução CGN

Na manhã desta terça-feira, a Operação Pôr do Sol, deflagrada na região de Cascavel, revelou um esquema criminoso que irá fazer você questionar a energia do sol. A promotora de Justiça, Juliana Vanessa Stofela da Costa, anunciou que o que parecia ser um simples caso de receptação de painéis solares furtados, desvendou um esquema sofisticado de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

De acordo com a promotora, o grupo criminoso, com base em Toledo, era especializado no tráfico de grandes quantidades de maconha para outros estados, principalmente o Rio de Janeiro. Um dos alvos do grupo foi preso em flagrante no Rio, com uma carga destinada ao Comando Vermelho.

A investigação revelou que o grupo utilizava várias pessoas físicas e jurídicas para lavar dinheiro, incluindo empresários e residentes de outros estados do Nordeste. A operação também realizou buscas em Cascavel, Medianeira, Varza Grande e Mato Grosso.

Dois policiais militares em Toledo foram identificados como parte da organização. Eles teriam recebido veículos e dinheiro do grupo criminoso para evitar a localização de cargas de entorpecentes. O transporte de drogas era feito em caminhões frigoríficos, com a droga escondida entre carnes.

A promotora afirmou que a organização era liderada por uma família residente em Toledo, com cerca de seis membros próximos à liderança. No entanto, devido à lavagem de dinheiro por meio de vários depósitos fracionados, o número de investigados é muito maior.

Um dos foragidos é um empresário civil, com mandado de prisão preventiva expedido. Os policiais detidos serão encaminhados para o 29º Batalhão, em Curitiba. A promotora também confirmou que a investigação inicial começou com a receptação de uma carga de painéis solares roubada em Minas Gerais.

 

Fonte: CGN

Continue Lendo

Policial / Trânsito

Família e dois policiais foram alvos de Operação do Gaeco em Toledo e região

Foto: PM/PR

Na manhã desta terça-feira (20), uma Operação liderada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) resultou na prisão de sete pessoas, incluindo dois policiais militares, em Toledo e outras cidades da região. A ação, denominada Operação Pôr do Sol, teve como objetivo desarticular uma organização criminosa envolvida em atividades ilícitas como tráfico de drogas, receptação de placas solares furtadas e lavagem de dinheiro.

De acordo com a Promotora de Justiça Juliana Vanessa Stofela da Costa, responsável pela Operação, os policiais detidos são suspeitos de corrupção, acusados de receber benefícios em troca de proteção ao grupo criminoso. A investigação revelou que a organização traficava grandes quantidades de entorpecentes para outros estados do país, camuflados em cargas de carnes.

Além do tráfico de drogas, o grupo também atuava na receptação de placas solares furtadas e utilizava veículos furtados e adulterados em suas atividades criminosas. Segundo o Ministério Público, o grupo movimentou mais de R$ 140 milhões em três anos.

A base da organização criminosa foi identificada em Toledo, onde uma família liderava as operações, contando com a participação de empresários locais. Durante a Operação, foram apreendidos documentos, sete veículos, mais de R$ 80 mil em cheques e dinheiro, além de aparelhos celulares e computadores.

A Polícia Militar do Paraná (PMPR) confirmou a prisão dos policiais militares em Toledo e informou que está colaborando com a investigação. Em nota, a PMPR repudiou as ações dos policiais detidos, destacando que as condutas ilegais não refletem os valores e o profissionalismo da corporação. A conduta dos PMs será apurada com rigor e transparência, conforme afirmou a Corporação.

Os policiais detidos foram encaminhados para Curitiba-PR, onde permanecerão à disposição da Justiça para os procedimentos legais. A Operação contou com o apoio de equipes da Polícia Militar, como a Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) e Batalhão de Operações Especiais (Bope), além da Corregedoria da PM.

Fonte: Toledo News
Continue Lendo

Policial / Trânsito

Identificada a vítima fatal do acidente na BR-163 em Marechal Rondon

Ele era o motorista do carro Mobi de Umuarama

 

Foi identificada a vítima fatal do grave acidente de trânsito, ocorrido logo após o meio-dia desta segunda-feira (19) na rodovia BR-163, no trecho entre Marechal Cândido Rondon e Mercedes. O trabalhador vítima fatal deste acidente é Claudiney de Araújo, 42 anos, morador de Umuarama.

Claudiney era o motorista do veículo Mobi que se envolveu no acidente uma carreta-tanque para transporte de combustível, de Cascavel. Ele morreu no local do acidente, ficando preso nas ferragens.

O corpo de Claudiney foi encaminhado ao IML de Toledo e posteriormente será liberado aos familiares que residem em Umuarama.

Fonte: AquiAgora

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.