Conectado com

Policial / Trânsito

Por dia, seis notificações de violência sexual contra crianças são registradas no Paraná

(Foto: Arquivo/Agência Brasil)

A cada dia, seis possíveis casos de violência sexual contra crianças e adolescentes são registrados no Paraná, em média. É o que revela um recorte inédito de dados feito pelo Cadê Paraná, plataforma do Centro Marista de Defesa da Infância, em parceria com o Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedeca) do Rio de Janeiro.

Esse recorte aponta que entre os anos de 2014 e 2018 foram feitas 11.458 notificações de violência sexual contra jovens no estado. Cerca de 7% dos registros se referem à exploração sexual (exploração e pornografia, por exemplo). A maior parte, porém, é sobre abuso sexual, categoria que inclui estupro e assédio. Nem todos os registros tratam de casos de violência confirmados, uma vez que mesmo para os casos suspeitos a notificação é obrigatória. Ademais, não há como diferenciar as denúncias ou notificações relativas a suspeita ou confirmação de casos de violência.

Cecília Landarin Heleno, pedagoga e analista de projetos do Centro de Defesa, aponta que em 80% dos casos o perpetrador da violência é alguém próximo da vítima. “Geralmente são pessoas próximas, que utilizam da relação de confiança com a criança, que não percebe que aquela situação é de abuso. Ela é convidada, seduzida para aquela situação, o que a faz ter sentimento de culpa e resulta na demora em relatar (o abuso)”.

Já a secretária executiva do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, Karina Figueiredo, comenta a necessidade de se romper o silêncio sobre o assunto para se garantir um enfrentamento efetivo da violência.

“Temos de falar sobre isso, ensinar que não precisa guardar segredo, porque o abusador fala que é um segredo entre ele e a criança, que se a criança contar para alguém ele vai embora. Então temos de falar sobre isso, a criança tem de contar para alguém. E esse é o grande desafio. A maioria dos casos que chegam na saúde não são agudos, quando a violência acabou de acontecer, mas casos crônicos que já vem acontecendo há algum tempoe a criança não sabe dizer o que é aquilo, tem medo, porque tem ameaça também.”

Em alerta: indícios aos quais devemos estar atentos
Karina Figueiredo e Cecília Heleno explicam ainda que toda criança ou adolescente que sofre violência sexual dá sinais que podem indicar que há algo de muito grave acontecendo. “A vítima sendo submetida a algum tipo de violência normalmente muda comportamentos, a forma de se relacionar. Mudança na vestimenta, às vezes. A forma como desempenha suas atividades, ficam mais retraídas. Com crianças pequenas, elas podem apresentar medo de um determinado sexo. São vários os sinais”, comenta Cecília.

Karina, por sua vez, relata ter atendido há algumas semanas uma crianças de 11 aqnos que havia feito o desenho de um caixão com flores, tomado remédios e dito que queria morrer. “Fomos identificar o que estava por trás. Era abuso. Sempre a criança dá sinais. Isolamento, depressão, hiperssexualidade, comportamento inadequados para a idade. Tem de ficar muito atento, apurar esse olhar”.

Por isso é importante que pais, tutores e professores que convivam com a criança estejam atentas a identificar estes sinais.

Estado se mobiliza para combater o problema
Em resposta aos dados sobre violência e a partir do Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, aprovado em 2000, o Paraná tem se mobilizado para atuar com mais força sobre o tema com o Fórum Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fórum DCA/PR) e iniciativas como a Força-Tarefa Infância Segura (FORTIS) e a Liga Boqueirão de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

Regionalmente, entre os 10 Compromissos pela Infância e Adolescência do Paraná propostos aos atores políticos pelo Fórum Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente para o período de 2018 a 2022, um é “fortalecer as medidas intersetoriais de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes”. “A violência sexual é um problema extremamente complexo, multidimensional. Não tem como pensar o enfrentamento a partir de um único olhar, não adianta investir em políticas apenas do sistema de justiça se também não se investe no atendimento e na prevenção”, garante Karina Figueiredo.

Notificações de violência sexual contra crianças e adolescentes no Paraná

2018: 3.114
2017: 2.515
2016: 2.127
2015: 1.895
2014: 1.807

TOTAL: 11.458

Fonte: Cadê Paraná e Sinan (Sistema de Informação de Agravo de Notificação)
Continue Lendo
Publicidade

Policial / Trânsito

Carga de agrotóxicos que saiu de Mercedes é apreendida em Cascavel

Foto: Portal Nova Santa Rosa

Policiais militares da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel) de Toledo, abordaram um veículo abarrotado de contrabando de agrotóxicos na madrugada desta quinta-feira (20) na rodovia PRc-163. O defensivo químico estavam em um veículo Volkswagen Passat conduzido por um jovem de 24 anos.

A abordagem ao automóvel aconteceu no distrito de Sede Alvorada depois de quilômetros de perseguição pela rodovia.

O condutor não teria acatado à ordem de parada no município de Toledo e empreendeu fuga da equipe policial.
Durante a vistoria, os policiais encontraram o interior do carro recheado com cerca de R$ 600 mil da mercadoria. Dentro do Passat só havia espaço para o motorista e um galão de gasolina estava sendo usado para combustível do carro.

Segundo informou o detido, ele receberia o valor de R$ 1,5 mil para transportar os produtos do município de Mercedes, com destino a cidade de Cascavel.

Dessa forma o veículo, os agrotóxicos e o suspeito foram entregues na Delegacia de Polícia Civil de Cascavel, para que as medidas cabíveis fossem tomadas.

Fonte: Ponto da Notícia com CGN
Continue Lendo

Policial / Trânsito

Briga pelo poder e milhões na conta: veja detalhes de operação contra o tráfico

Diversos membros do grupo disputavam a liderança da organização, sendo um deles um Policial Civil afastado que acabou baleado em Marechal Cândido Rondon, no dia 29 de maio de 2024.

 

 

A segunda fase da Operação Carga Fria, deflagrada nesta quarta-feira (19) em Cascavel e diversas outras cidades, prendeu 10 pessoas, apreendeu 10 carros e um caminhão utilizado para o transporte de drogas. Apenas um alvo da operação ainda não foi localizado, pois está escondido no Paraguai. Os líderes da Polícia Civil e do Gaeco participaram de uma coletiva de imprensa para repassar informações sobre as ações.

De acordo com a delegada da Polícia Civil, Franciela Alberton, em agosto de 2023, as forças policias descobriram que a organização criminosa adquiria as cargas de droga nas cidades próximas ao Lago de Itaipu e que mantinham elas armazenadas em chácaras, localizadas principalmente nas cidades de Cascavel e Toledo. Neste locais, os entorpecentes eram carregados em caminhões frigoríficos com fundo falso e encaminhadas para o Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

Diversos envolvidos tinham caminhões próprios e vendiam serviços de transporte para cooperativas e outras empresas, sendo que nestes momentos o transporte da droga era feito dentro do fundo falso. Segundo a delegada, as empresas não tinham conhecimento da ação criminosa.

Ainda conforme a delegada, as operações do ano passado causaram um desequilíbrio na facção, pois o líder foi preso em Balneário Camboriú. Assim, diversos membros do grupo disputavam a liderança da organização, sendo um deles um Policial Civil afastado que acabou baleado em Marechal Cândido Rondon, no dia 29 de maio de 2024.

O delegado do Gaeco, Nilmar Manfrin, disse que a organização criminosa era extremamente organizada no aspecto financeiro e que contava com milhares de contas em nomes de pessoas físicas e jurídicas que atuavam como “laranjas”. Um jornalista do Rio de Janeiro foi preso, suspeito de liderar as operações financeiras. Houve resistência e confronto com os policia durante o cumprimento do mandato. Com ele foram apreendidas duas malas cheias de dinheiro e três carros de luxo.

O Promotor do Ministério Público, Sandres Sponholz, considerou essa operação como “uma das mais exitosas” já realizadas. Segundo ele, as ações da operação de hoje vão ajudar a detalhar ainda mais o modus operandi de cada envolvido na organização criminosa, com o objetivo de o MP realizar as denúncias mais detalhadas e buscar a condenação dos criminosos. De acordo com o promotor, os envolvidos podem responder por organização criminosa, tráfico de drogas, lavagem de drogas, homicídio e outros delitos correlacionados.

Imagem da Galeria

Imagem da Galeria

Imagem da Galeria

Imagem da Galeria

Imagem da Galeria

Imagem da Galeria

 

Redação Catve.com

Continue Lendo

Policial / Trânsito

Escort é furtado em Marechal Cândido Rondon

Situação ocorreu na Avenida Rio Grande do Sul

Por volta das 22 horas desta quarta-feira (19) Policiais Militares de Marechal Cândido Rondon foram acionado para atender uma situação de furto de veiculo na Avenida Rio Grande do Sul.

No local o solicitante informou que havia estacionado um Ford Escort , placas DCW-2448, em via pública e momentos antes deu pela falta do veiculo.

O alerta de furto foi repassado as demais autoridades policiais da região, porém até o momento o carro não foi recuperado.

 

Fonte: Boletim PM

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.