Conectado com

Agricultura

Preço do milho bate recorde histórico no Brasil

Ilustrativa

O preço do milho bateu um recorde histórico no Brasil, com a cotação atingindo 81 reais e 48 reais por saca de 60 quilos nesta terça-feira, o que apagou máxima anterior de 2007, de acordo com indicador referencial do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada.

No acumulado de outubro, o milho registra alta de 28,05%, segundo o Cepea, que citou em análise recente a retração de vendedores e a elevação dos valores nos portos de exportação diante da boa demanda como fatores para o avanço da cotação, além do aquecido consumo doméstico.

No acumulado de 12 meses, o milho praticamente dobrou de preço, conforme o indicador, que mede negócios do produto posto na região de Campinas, em São Paulo.

O recorde anterior, considerando a inflação do período, havia sido registrado em 30 de novembro de 2007, ficando alguns centavos abaixo do valor desta terça-feira.

Segundo o Cepea, o mercado também está preocupado com os impactos da seca para a safra de verão, que está sendo plantada, e por isso aqueles que têm milho estão segurando as vendas.

A alta na cotação tem pressionado produtores de aves e suínos e a indústria de carnes, uma vez que o milho é o principal componente da ração.

“Muitos compradores já demostram dificuldades em encontrar novos lotes de milho no spot e também indicam ter margens comprometidas diante do atual preço”, comentou o Cepea.

Diante disso, em meados deste mês, o governo anunciou a suspensão temporária das tarifas de importação de milho e soja para compras de fora do Mercosul.

“Contudo, ao avaliarem a viabilidade das importações (fora do Mercosul), demandantes se esbarram nas dificuldades logísticas e no dólar elevado”, disse o Cepea.

 

Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

Assembléia do Sindicato Rural de Mal. Rondon vai debater previsão orçamentária

  Está confirmada para as 14h00 de amanhã, quarta-feira, no auditório da Associação Municipal dos Suinocultores, a Assembléia Geral Ordinária do Sindicato Rural Patronal de Marechal Cândido Rondon.

Ao convocar os associados a marcarem presença, o presidente da entidade, Êdio Chapla, destaca que o assunto principal do encontro se refere a previsão orçamentária para 2021….

 

Continue Lendo

Agricultura

Produtores que não atualizaram rebanhos na microrregião variam de 3 a 20%

Termina neste mês o prazo da campanha para atualização dos rebanhos no Paraná.

De acordo com a Adapar – Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, no Estado, 70% das comprovações já foram realizadas.

Em Mal Rondon, cerca de 20% dos produtores ainda não realizaram a atualização de seus rebanhos.

Segundo a Adapar, 230 mil propriedades no Paraná devem atualizar seus rebanhos, medida adotada em substituição à campanha de vacinação contra a febre aftosa, que desde o ano passado não acontece mais.

O escritório da Agência de MaL Rondon, também é responsável pelos municípios de Mercedes, Quatro Pontes, Pato Bragado e Entre Rios do Oeste.

Segundo o medico veterinário da Adapar, Loreno Egídio Taffarel, nesses municípios o índice dos produtores que ainda não atualizou os rebanhos varia de 3 a 20%…..

Continue Lendo

Agricultura

Brasil caminha para bater novo recorde na produção de alimentos

Os números do 2º Levantamento da safra de grãos 2020/21, divulgados ontem pela Companhia Nacional de Abastecimento, criam  um clima de  expectativa promissora no agronegócio brasileiro.

A previsão é que    o Brasil  produza  268  milhões e 900 mil  toneladas de alimentos, o que representa 11 milhões e 900 mil  toneladas ou 4,6 % a mais do que a temporada de 2019/2020.

Em relação ao volume estimado no mês passado, houve aumento de 269 mil toneladas.

Com este resultado, o Brasil caminha para bater novo recorde, segundo avalia o presidente  da Companhia Nacional de Abastecimento , Guilherme Bastos…….

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.