Conectado com

Geral

Projeto que aumenta salário dos professores do Paraná é aprovado, mas recebe 16 emendas de deputados

Projeto que aumenta salário dos professores do Paraná é aprovado, mas recebe 16 emendas de deputados — Foto: ALEP PR

O projeto de lei que prevê aumento do piso e reajuste dos salários dos professores da rede estadual do Paraná foi aprovado em primeiro turno na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nesta terça-feira (14). A proposta recebeu 41 votos favoráveis e 11 contrários.

Porém, deputados de oposição e da base aliada ao governo apresentaram 16 emendas, algumas que podem mudar pontos importantes do projeto. A proposta retorna à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na quarta-feira (15). No mesmo dia, a votação em plenário vai continuar.

As emendas não tratam dos valores dos reajustes e gratificações, mas tentam alterar mudanças propostas pelo governo estadual, como o horário para o início do pagamento do adicional noturno e o plano de carreira do magistério.

Contrária ao projeto, mas não ao reajuste, a APP-Sindicato organizou um protesto em frente à Alep nesta terça. Professores fazem greve de três dias por causa da proposta.

Pela proposta original, os professores terão, em édia, aumento de 21%, mas o reajuste depende do tempo de serviço. O piso sobe 35%, passando de R$ 2.888,18 para R$ 3.903,32. O salário dos professores em final de carreira sobe 3% – de R$ 10 mil para R$ 10,3 mil.

Conforme o projeto, todos os mais de 65 mil professores da ativa vão receber uma bonificação de R$ 800, mais o auxílio-transporte de R$ 842. Os reajustes e bonificações não valem para os professores aposentados.

A principal crítica do sindicato diz respeito às mudanças no plano de carreira dos professores, que atualmente tem três classes e 11 níveis.

“Se hoje mantivesse a nossa tabela, ao aplicar na primeira automaticamente teria que aplicar o piso na tabela toda. Então, para não fazer isso, o governo tirou a tabela para aplicar só na primeira casa”, explica a presidente da APP-Sindicato Walkíria Olegário Mazeto.

O sindicato também critica outra mudança prevista no projeto. Hoje, o adicional noturno é pago a partir das 18h. O texto propõe o pagamento a partir das 22h. Para deputados da oposição, as mudanças vão trazer mais perdas do que ganhos aos professores.

“É o chamado presente de grego, porque o governo dá com uma mão e tira com duas. Por isso queremos emendar o projeto para corrigir imperfeições”, afirma o deputado e líder da oposição Professor Lemos (PT).

Os deputados da base aliada rebateram as críticas e destacaram em plenário que o projeto propõe o maior aumento para os professores em início de carreira.

“Dessa maneira, a gente aproximou o piso do teto da carreira do magistério do Paraná, fazendo com isso justiça dentro da tabela de vencimentos“, afirma o deputado e vice-líder do governo Guto Bueno (PL).

Até mesmo os deputados da base governista reconheceram que o texto precisa de ajustes. Uma das emendas apresentadas propõe que o adicional noturno passe a ser pago a partir das 19h. Outra mantém o pagamento diferenciado para níveis e classes de carreira, mas com mudanças.

A tabela atual prevê 5% de reajuste a cada classe da carreira. Já a emenda propõe percentuais que variam de 1% a 5%.

Os deputados de oposição foram responsáveis por dez emendas, entre elas a que mantém o adicional noturno a partir das 18h e a tabela atual de progressões. Na quarta, quando volta a ser discutido o projeto, será o último encontro dos deputados neste ano.

 

Fonte: RPC Curitiba

Continue Lendo
Publicidade

Geral

IPVA atrasado? Secretaria da Fazenda explica o que fazer e como regularizar

Foto: Geraldo Bubniak/AEN

O contribuinte deve quitar o valor integral com os acréscimos financeiros devidos ou a primeira parcela, também com juros, antes de pagar a segunda parcela de acordo com o calendário.

 

As primeiras parcelas ou o pagamento integral do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) já venceram. E quem não pagou deve regularizar a situação para não ficar com pendência fiscal.

Nesse caso, o contribuinte deve quitar o valor integral com os acréscimos financeiros devidos ou a primeira parcela, também com juros, antes de pagar a segunda parcela de acordo com o calendário – se essa não for paga no prazo, também sofrerá acréscimos.

Para pagar a parcela em atraso, o procedimento é o mesmo do original: basta acessar o portal do IPVA e solicitar a emissão de guia de pagamento, ou ainda pagar diretamente nos bancos credenciados com o número do Renavam do veículo. Também está disponível no portal a opção para quitação total em parcela única, sem desconto.

O contribuinte que deixa de recolher o imposto no dia fica sujeito a uma multa de 0,33% por dia de atraso e juros de mora com base na taxa Selic. Passados 30 dias, o percentual da multa é fixado em 10% do valor do imposto.

Permanecendo a inadimplência, o débito poderá ser inscrito na Dívida Ativa, além da inclusão do nome do proprietário no Cadin Estadual, o que o impede de aproveitar eventual crédito no programa Nota Paraná e resulta em outros impedimentos, como o nome “negativado” junto aos órgãos de proteção ao crédito, dificuldade de acesso a empréstimos e outras modalidades de crédito, além do impedimento de assumir cargo público.

A inadimplência do IPVA também impossibilita obter o licenciamento. Após o vencimento, que é definido pelo Detran/PR, o veículo estará em situação irregular perante a legislação de trânsito, e o proprietário poderá sofrer sanções previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), inclusive com a apreensão do veículo.

Calendário dos próximos vencimentos – para parcelamentos:

1 e 2 – 17/02, 17/03, 18/04, 17/05

3 e 4 – 18/02, 18/03, 19/04, 18/05

5 e 6 – 21/02, 21/03, 20/04, 19/05

7 e 8 – 22/02, 22/03, 22/04, 20/05

9 e 0 – 23/02, 23/03, 25/04, 23/05

Fonte: AEN
Continue Lendo

Geral

General João Francisco Ferreira pede exoneração da Itaipu Binacional

Foto: Sara Cheida/Itaipu Binacional

Ferreira ocupava o posto desde 7 de abril de 2021, sucedendo o general Joaquim Silva e Luna, então nomeado para a presidência da Petrobras.

Nesta terça-feira (25), o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general João Francisco Ferreira, comunicou o seu pedido de exoneração do cargo, por razões pessoais. Ferreira ocupava o posto desde 7 de abril de 2021, sucedendo o general Joaquim Silva e Luna, então nomeado para a presidência da Petrobras.

Durante o período em que esteve no cargo, a Itaipu alcançou a marca de 2,8 bilhões de MWh gerados desde o início da operação da usina, consolidando-se como a hidrelétrica que mais produziu energia no mundo, e conquistou as melhores marcas históricas de produtividade – a relação entre a quantidade de água que passa pelas unidades geradoras e a energia efetivamente gerada.

Na sua gestão, a Itaipu também reforçou o apoio às ações de combate à covid-19 na região de Foz do Iguaçu, o que foi determinante para a diminuição acentuada do número de casos de infecção e de internações hospitalares.

Todas as obras viabilizadas financeiramente pela Itaipu tiveram importantes avanços no período, como a Ponte da Integração Brasil – Paraguai, a revitalização do Gramadão e diversas outras.

As ações na gestão ambiental e de desenvolvimento territorial também progrediram e um dos símbolos desse trabalho foi o atingimento da marca de 24 milhões de árvores plantadas nas áreas protegidas da margem brasileira da binacional.

Também avançou o processo de licitação referente ao Plano de Atualização Tecnológica da usina, com a iminente assinatura do contrato com o consórcio vencedor.

E sob a gestão de Ferreira, a Itaipu participou ativamente da organização e promoção do Natal de Águas e Luzes, um presente para toda a região Oeste do Estado do Paraná, contribuindo para o retorno do turismo e para a recuperação da economia regional, tão abalada pela pandemia da covid-19.

O general Ferreira agradece o apoio e o comprometimento dos parceiros da usina, em especial à Família Itaipu, como se refere ao grupo de empregados.

Fonte: Portal da Cidade Foz do Iguaçu com Assessoria

Continue Lendo

Geral

Cidadão pode verificar valores a receber de bancos no Registrato

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Sistema do Banco Central permite consultar dados bancários e dívidas

 

A partir de hoje (24), qualquer cidadão pode consultar se tem valores a receber de instituições financeiras. O Registrato, sistema do Banco Central (BC) que fornece um extrato das informações de uma pessoa com instituições financeiras, abriu uma funcionalidade para que o usuário verifique se tem direito a recursos.

Até agora, o Registrato fornecia consultas apenas a dívidas (abertas ou liquidadas), abertura de contas bancárias (ativas ou inativas) e remessas de dinheiro ao exterior. De acordo com o BC, existem cerca de R$ 8 bilhões parados em bancos e demais instituições financeiras, esperando serem sacados.

Para reaver os recursos, o cidadão poderá pedir o resgate de duas formas. A primeira será diretamente via Pix na conta indicada no Registrato, caso a instituição tenha aderido a um termo específico com o BC. Nos demais casos, o beneficiário informará os dados de contato no sistema, e a instituição o meio de pagamento ou de transferência.

Aprimoramento

Na primeira fase do serviço, o Registrato divulgará R$ 3,9 bilhões que podem ser devolvidos decorrentes de contas correntes ou poupanças encerradas e não sacadas, cobranças indevidas de tarifas ou de obrigações de crédito com Termo de Compromisso assinado com o BC, cotas de capital e rateio de sobras líquidas de associados de cooperativas de crédito e grupos de consórcio extintos.

Ao longo do ano, o BC pretende ampliar a consulta para a devolução de valores decorrentes de tarifas ou obrigações de crédito cobradas indevidamente não previstas em Termo de Compromisso, contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas e com saldo disponível, contas encerradas em corretoras e distribuidoras de títulos e de valores mobiliários e demais situações que resultem em valores a serem devolvidos reconhecidas pelas instituições financeiras.

Segundo o BC, os dados e os valores fornecidos no Registrato são de responsabilidade das próprias instituições financeiras. Em alguns casos, os saldos a receber podem ser de pequeno valor, mas o órgão orienta o cidadão a sacar o dinheiro que lhe pertence de forma simples e ágil, por meio do novo serviço.

 

Fonte: Agência Brasil

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.