Conectado com

Geral

Readequação do Hospital Regional termina 2020 com 42,31% dos serviços concluídos

Divulgação

Não é novidade para ninguém que o Hospital Regional de Toledo (HR), segue com os trabalhos de readequação da obra. Em um momento complicado por conta da pandemia causada pelo Novo Coronavírus (Covid-19), o espaço poderia contribuir muito para o atendimento da população da região, no entanto ainda não foi possível a sua abertura. O ano de 2020 está se encerrando e com ele foram concluídos 42,31% dos serviços de readequação do Hospital.

Essa porcentagem representa todas as adequações realizadas na parte civil. A última medição foi efetuada em 21 de dezembro. O engenheiro civil da Prefeitura de Toledo e um dos fiscais da obra, Wander Douglas Pires de Camargo, explica como é realizada a medição. “Nós medimos a obra globalmente, ou seja essa porcentagem é referente ao valor que já foi destinado às adequações. No momento 42,31% da verba total já foi destinada aos serviços”, esclareceu.

Os serviços de adequação do Regional têm sido executados por duas empresas diferentes, sendo que ambas trabalham simultaneamente no local. Uma é a responsável pela readequação da parte de engenharia, enquanto a outra está revitalizando a parte elétrica.

 

Wander Douglas Pires de Camargo, reforça que as duas empresas têm conseguido conciliar os serviços. “São duas empresas trabalhando no mesmo espaço e realizando serviços diferentes. Por isso é necessário um planejamento ainda maior e isso tem sido feito e o resultado é positivo até o momento, mas é claro que em algumas situações é inevitável certa interferência, o que acaba diminuindo o ritmo do trabalho em determinados momentos”.

Outro fator que também trouxe certa interferência na execução das obras de reestruturação do Hospital Regional foi a pandemia de Coronavírus. A disseminação do novo vírus não chegou a interromper as obras, porém representou algum atraso devido a falta de materiais ou mesmo a demora para a entrega.

“A pandemia atrapalhou bastante o andamento das obras. As duas empresas alegaram a falta de materiais e uma sensível demora na entrega desses utensílios. Além disso, foi observado um aumento de aproximadamente 30% no valor dos materiais. Tudo isso interferiu nos trabalhos, mas de um modo geral tudo tem sido superado e o cronograma está sendo seguido”, informou o engenheiro e fiscal da obra.

 

Cronograma

As obras de readequação do HR tiveram início em 06 de janeiro de 2020, mas no dia 14 de janeiro foram paralisadas pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR). Na ocasião o MP-PR alegou que a Prefeitura não poderia seguir com as obras, isso porque ainda não havia sido definido o Órgão gestor do Regional. O MP-PR ainda relatou que a continuidade dos serviços poderia acarretar em mais gastos aos cofres públicos, pois o futuro gestor poderia pedir outras melhorias que não estivessem incluídas no projeto.

As obras de revitalização do Hospital Regional contam com um investimento aproximado de R$10,5 milhões, com previsão de conclusão para o final do primeiro semestre de 2021. O valor licitado para a execução das melhorias é de R$5.872.836,75, com mais R$3.439.909,89 destinados para a climatização do espaço. Ainda foram efetuados mais dois aditivos, sendo o primeiro deles no valor de R$412.288,72, que é destinado para a execução da parte elétrica e um segundo aditivo de R$498.546,16, que tem como destino a efetivação de serviços da parte elétrica e civil.

Gestão

Em janeiro de 2020 a direção do Consórcio Intermunicipal Samu Oeste (Consamu), realizou uma reunião geral do seu conselho. Nesse encontro ficou definido que o órgão será o responsável pela gestão do HR juntamente com os municípios de Toledo e Cascavel.

Em entrevista recente a reportagem do Toledo News, o prefeito eleito, Beto Lunitti (MDB), afirmou que procura outras alternativas para a gestão do Hospital em caso de uma desistência por parte do Consamu.

“Precisamos ficar atentos aos custos de operação e por isso falamos com o governador a respeito de equipamentos e também da gestão, onde o Estado participa e os municípios vizinhos também podem participar. O Consamu está disposto a gerir o Hospital, porém também analisamos outras perspectivas como a gerência a partir de uma organização filantrópica”, pontuou, Lunitti após uma reunião com o governador do Estado do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior (PSD).

Entenda um pouco da história do Hospital Regional

As obras do Hospital Regional de Toledo iniciaram no longínquo março do ano de 2012, na ocasião a previsão de conclusão era de pouco mais de um ano, mas a obra só foi entregue em 2016 e mesmo assim sem poder ser utilizada pela população, por conta de uma série de problemas em sua execução.

Na época o Ministério Público do Paraná, alegou que a obra do Hospital Regional não poderia ser entregue por problemas na rede elétrica e em parte da estrutura, que contava com portas e corredores fora das medidas exigidas no projeto. Em algumas das portas não havia sequer espaço para passar com as macas, itens tão utilizados em todas as infraestruturas hospitalares.

Estima-se que em um primeiro momento foram empregados aproximadamente R$20 milhões para a execução da obra, entre recursos do município e da União. Ainda foram destinados aproximadamente R$6 milhões para a aquisição dos equipamentos, que seriam utilizados no Hospital.

Ainda em 2016 foi solicitado um projeto com uma análise completa de toda a estrutura do Regional. O projeto foi feito por uma empresa de Londrina-PR, que é especializada na execução de projetos na área hospitalar.

O projeto teve um custo de R$11 milhões aos cofres do município e constatou que a estrutura precisava de uma série de adequações. Isso mesmo sem nunca ter sido utilizada pela população de Toledo e região.

O plano constatou que seriam necessárias a readequação de toda a parte elétrica do Hospital, que foi feita de uma maneira não compatível com as necessidades de um empreendimento hospitalar de tal porte. Além disso, a proposta mencionou que seriam imprescindíveis a troca de toda a fachada, que encontrava-se deteriorada, assim como a manutenção das portas dos quartos que foram feitas com medidas incompatíveis com as necessidades.

Estrutura

A estrutura do Hospital Regional de Toledo deverá efetuar atendimentos de média e alta complexidade. No local serão atendidos todos os 18 municípios da área de abrangência da 20ª Regional de Saúde de Toledo, que juntos contam com uma população superior a 400 mil habitantes.

O Hospital Regional contará com uma estrutura com 90 leitos, sendo 10 de Terapia Intensiva (UTI). Além disso, a estrutura contempla centros cirúrgicos, laboratórios, e pronto socorro, com todos os atendimentos de média e alta complexidade sendo executados via Sistema Único de Saúde (SUS). O Regional terá a capacidade para a realização de 14.153 exames de laboratório e imagem, 5.940 consultas especializadas e 401 internamentos mês.

Fonte: Toledo News
Continue Lendo
Publicidade

Geral

Portão cai e atinge cabeça de criança de dois anos e três meses em Pato Bragado

Helicóptero do CONSAMU fará a transferência, possivelmente para Cascavel

Foto O Presente

O helicóptero do CONSAMU está neste momento em deslocamento para Pato Bragado, para dar suporte à transferência de uma criança de apenas de dois anos e três meses de idade.

         Foi apurado ate o momento, que na tarde desta quinta-feira (14) a criança estava em casa brincando, quando o portão caiu e atingiu sua cabeça.

         A criança, do sexo masculino, foi socorrida por populares, deu entrada no hospital Hospital Vilela Capriotti com ferimentos graves.

Para ter um diagnóstico mais preciso, foi solicitada via CONSAMU à transferência para um hospital mais especializado, possivelmente Cascavel.

O menino de dois anos e três meses será transferido com o helicóptero do Consorcio Samu Oeste, que neste momento está em deslocamento para Pato Bragado.

Continue Lendo

Geral

Idoso de 87 anos é a 34ª vitima fatal de coronavirus em Mal. Rondon

Um idoso de 87 anos entrou nesta quarta-feira para as estatísticas como sendo a 34ª vítima fatal por Covid-19 em Marechal Cândido Rondon.

O homem foi internado no dia 28 de dezembro na UPA/Marechal, o  quadro de saúde evoluiu para necessidade de ventilação mecânica e, por isso, houve transferência para o Hospital Universitário, em Cascavel.

O diagnóstico de RT-PCR para Covid-19 aconteceu no dia 31 de dezembro e o óbito foi oficializado ontem, quarta-feira.

O idoso de 87 anos tinha como comorbidade a hipertensão.

No que diz respeito a atualização de dados, os casos registrados de Covid-19 avançaram de 2.380 na terça-feira para 2.420 ontem, ou seja, houve aumento de 40 casos de um dia para o outro.

Dos 2.420 testes positivos, 34 pessoas foram a óbito, 2.230 estão recuperadas da doença e 156 pacientes seguem em tratamento.

Das pessoas com o vírus ativo, 141 estão em isolamento domiciliar, 06 pacientes se encontram internados na UPA ou em Hospitais e 09 na Umidade de Terapia Intensiva.

Há 90 casos em investigação, dos quais uma pessoa está internada na UTI e três pacientes com suspeita da infecção por coronavírus se encontram na UPA ou em hospitais.

Já no Paraná, a Secretaria Estadual de Saúde oficializou ontem 2.896 novos casos confirmados e 31 mortes em decorrência da Covid.

Os dados acumulados do monitoramento do novo coronavírus mostram que o Paraná soma 483.024 casos confirmados e 8.842 mortos em decorrência da doença.

Dos 31 novos casos de morte, 12 pacientes eram mulheres e 19 homens com idades variando de 36 a 90 anos.

Continue Lendo

Geral

Unioeste vai retomar na próxima segunda-feira o ano letivo de 2020

O ano de 2021 começou, mas por conta da pandemia do novo coronavírus, ainda é preciso encerrar o ano letivo de 2020.

O calendário acadêmico da Universidade Estadual do Oeste do Paraná precisou passar por alterações ao longo do ano passado, devido às medidas tomadas seguindo as diretrizes das autoridades de saúde e, por isso, algumas adaptações foram necessárias.

As aulas serão retomadas já na próxima segunda-feira, dia 18, ainda de maneira 100% remota, ou seja, não presencial, de acordo com resolução aprovada pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Para retomar as aulas nos próximos dias, os alunos precisam ter garantido as matrículas, realizadas nos dias 09 e 10 de dezembro de 2020.

Os cinco campi, no caso de Cascavel, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Marechal Cândido Rondon e Toledo, se preparam para que a conclusão do ano letivo de 2020 aconteça dentro da normalidade, mesmo que ainda de maneira remota.

Cada campus se preparou para essa retomada de maneira segura e que atenda as necessidades dos alunos e professores.

Em Marechal Cândido Rondon, a Universidade Estadual do Oeste do Paraná possui 1632 alunos de graduação matriculados e 345 alunos de pós-graduação, incluindo mestrado e doutorado.

Além das aulas remotas sincrônicas em todos os cursos de graduação, também serão retomadas as aulas de mestrado e doutorado.

Os cursos de graduação dos cursos de Educação Física começarão a oferta presencial de disciplinas com aulas práticas.

O diretor do campus local, Davi Felix Schreiner, lembra que a instituição continuará com laboratórios abertos para pesquisas, de forma muito organizada, com no máximo três acadêmicos para cada laboratório, além da realização de revezamentos de horários, sempre com as medidas necessárias para garantir a segurança de todos.

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.