Conectado com

Agricultura

Suinocultores querem maior prazo para adequar granjas conforme portaria da Adapar

Prazo dado pela Adapar expira em 17 de novembro

Desde o dia 17 de novembro do ano passado o Estado do Paraná tem um novo guia de práticas para propriedades dedicadas à criação de suínos.

Naquela data entrou em vigor a Portaria nº 265, elaborada pela Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, aliás a primeira do país, que regulamenta a biosseguridade em granjas de suínos.

O objetivo do documento é garantir a prevenção e o controle de doenças infecciosas na criação desses animais.

A contar de 17 de novembro do ano passado, os produtores tiveram prazo de um ano para adequação das granjas de produção de suínos comerciais.

Com a nova proposta, o Estado vai garantir maior qualidade sanitária para os rebanhos.

Conforme o professor e pesquisador da Universidade Federal do Paraná, Geraldo Alberton, trata-se da busca de proteção dos rebanhos ,porque justamente a biosseguridade é o principal problema que a cadeia enfrenta hoje..

 

A propósito , ontem em Curitiba o prefeito de Entre Rios do Oeste, Jones Neuri Heiden, entregou ofício na Secretaria da Agricultura e Abastecimento, ao engenheiro Richardson de Souza, pedindo a prorrogação por mais um período da portaria nº 265, que estabelece normas de biosseguridade mínima para estabelecimentos que produzem suínos para fins comerciais.

Segundo o prefeito de Entre Rios do Oeste , apesar do prazo dado muitos produtores enfrentaram dificuldades e ainda não estão de acordo com o que determina a portaria, por cuja razão está sendo solicitado um prazo maior.

Conforme o prefeito de Entre Rios do Oeste, as conversas em Curitiba foram positivas e provavelmente o governo acene positivamente ao pleito dos suinocultores.

Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

Adapar monitora abrigos de morcegos hematófagos na região

Os profissionais ligados a saúde animal no Estado foram colocadas em alerta após a Adapar publicar recentemente o surgimento de casos de raiva animal em algumas regiões.

No caso da Adapar em Marechal Cândido Rondon, o médico veterinário Loreno Tafarel informa que há bom tempo não se registra casos de raiva animal, mas mesmo assim a unidade tem um mapeamento dos abrigos identificados de morcegos hematófagos, os causadores da raiva bovina, que a propósito pode ser transmitida para seres humanos, mas o monitoramento desses locais é constante…

 

Continue Lendo

Agricultura

Famílias bragadenses começam a receber produtos orgânicos e agroecológicos

Repasse iniciou ontem e será semanal

Por intermédio de parceria firmada pela Secretaria de Assistência Social e Cras de Pato Bragado com a Seab, desde ontem as famílias cadastradas nos programas sociais serão contempladas, semanalmente com alimentos do Programa Emergencial Compra Direta Paraná, instituído pelo Governo do Estado, em razão da pandemia do coronavírus .

Pelo programa e no período de três meses, a Associação de Produtores Orgânicos de Pato Bragado – Apop – que já atende a demanda da merenda escolar dos educandários do município, passa a disponibilizar às famílias do Cras, alimentos orgânicos certificados e agroecológicos, como hortaliças, legumes, frutas, temperos, panificados, complementos e polpa de frutas, contribuindo, assim no abastecimento de alimentos da população em situação de insegurança alimentar e nutricional.

Para a secretária de Assistência Social, Ivanir Maehler, por meio do Programa Emergencial Compra Direta as famílias se mantêm com a garantia de gêneros alimentícios e saudáveis nas residências, estimulando ainda a produção e a renda dos produtores locais.

As famílias que terão o benefício serão aquelas com grau de vulnerabilidade e que foram avaliadas pela assistente social e se encaixam nos critérios estabelecidos pelo Sistema Único da Assistência Social (Suas).

Continue Lendo

Agricultura

Governo decreta estado de emergência fitossanitária para SC e RS por causa dos gafanhotos

Divulgação

Através de uma portaria publicada hoje no Diário Oficial da União o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento declarou estado de emergência fitossanitária para Santa Catarina e Rio Grande do Sul por causa da nuvem de gafanhotos que se aproxima do Brasil.

O texto assinado pela ministra Tereza Cristina afirma que serão adotados um plano de supressão da praga e adoção de medidas emergenciais.

O estado de emergência decretado hoje tem validade de um ano.

Os insetos chegaram na Argentina na última semana, no dia 17, depois de passarem pelo Paraguai.

Com os fortes ventos, o deslocamento dos gafanhotos é impulsionado.

As autoridades da cidade de Córdoba informaram pelo Twitter que estão monitorando a situação e que existe um protocolo de trabalho para ser ativado em caso de pragas.

As nuvens costumam acontecer quando o número de membros da população tem um salto exagerado e falta comida na região, fazendo com que todos saiam atrás de alimento.

Uma nuvem pode ter até 40 milhões de insetos, como informam as autoridades argentinas.

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.