Conectado com

Política

Comissão da Assembleia adia votação de fim de licença-prêmio

Thea Tavares/Alep/divulgação

Sob pressão dos servidores, que compareceram em peso na sessão de ontem, os deputados da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa decidiram adiar, pela segunda vez consecutiva, a votação de parecer sobre a proposta do governo que extingue a licença-prêmio do funcionalismo público estadual.

Na semana passada, a CCJ já havia adiado a votação do parecer do deputado estadual Tiago Amaral (PSB), favorável à proposta, após um pedido de vistas de diversos parlamentares.

Atualmente, por lei, os funcionários públicos estaduais têm direito a três meses de licença remunerada a cada cinco anos trabalhados: quando não tiram essa licença, eles podem receber o equivalente em dinheiro.

A proposta do governo prevê a extinção do benefício, e a quitação do passivo das licenças-prêmio, que segundo o Executivo, chegaria a quase 3 bilhões de reais.

Ainda de acordo com o governo, considerando a média de licenças especiais, em caso de não aprovação do projeto de Lei, o Estado teria um aumento anual de mais de385 milhões de reais nesse passivo.

A medida sofre resistência entre os deputados da própria base do governo, inclusive a chamada “bancada da bala”, que representa policiais militares e civis.

Na segunda-feira, as direções da Associação dos Delegados de Polícia do Paraná (Adepol) e do Sindicato dos Delegados de Polícia (Sidepol) divulgaram uma carta conjunta criticando a proposta.

O documento disse que “medidas como essa geram a desvalorização do servidor e a consequente desmotivação das categorias, além de não resolver o problema financeiro do Estado, que se agrava com a repartição orçamentária que privilegia os demais poderes e Ministério Público, em franco prejuízo aos cofres do Poder Executivo e sociedade”, e que “a situação financeira do estado se agrava também em razão das contratações cada vez mais desmedidas de apadrinhados políticos.”

Um dos parlamentares da “bancada da bala”, o Coronel Lee (PSL), já manifestou a intenção de apresentar uma emenda para manter o direito à licença-prêmio para os policiais militares.

Continue Lendo
Publicidade

Geral

Mesmo com pandemia ritmo de obras segue normal em Pato Bragado

Apesar do descontentamento generalizado do empresariado e dos trabalhadores , o Governo do Paraná não se mostra disposto a aliviar as medidas decretadas pelo período mínimo de 14 dias, para conter o avanço do coronavírus nos municípios da regional de saúde de Toledo.

Nos pequenos municípios, com grande parte do comercio fechado, as ações se restringem basicamente à construção civil e as atividades relacionadas ao Poder Publico.

Em Pato Bragado por exemplo, conforme o prefeito em exercício, Dirceu Anderle, o município lamenta o sofrimento dos empresários, mas tem procurado meios de reverter a situação….

 

Por outro lado, informa o prefeito interino de Pato Bragado, no que diz respeito ao planejamento da administração, hoje será publicado o edital de licitação para obras de pavimentação na sede municipal e ainda nesta semana uma definição em relação a cobertura e aquecimento da piscina na sede do Cristal……

 

Ainda segundo Dirceu Anderle, após muitas gestões junto ao DER o município recebeu autorização para executar o recape no trecho de acostamento da PR 495 que corta a sede municipal….

 

Continue Lendo

Geral

Asfaltamento no Bairro Boa Vista deve começar nos próximos dias

O vereador Gordinho do Suco, confirma que deverão ser iniciadas nos próximos dias, às obras de pavimentação no Bairro Boa Vista de Marechal Rondon.

A realização da obra foi confirmada pelo prefeito Marcio Rauber, beneficiando ruas e loteamentos da região Oeste do município, que ainda não contam asfalto.

Gordinho do Suco também cobrou da prefeitura municipal, melhorias na estrutura e sinalização da rodovia que liga a sede ao distrito de Margarida….

 

Continue Lendo

Geral

Governo nega pedido da AMOP de reduzir restrições na região

O posicionamento do Governo do Paraná em relação à correspondência encaminhada na quinta-feira passada pela Associação dos Municípios do Oeste do Paraná ao governador Ratinho Junior e ao secretário estadual de Saúde, Beto Preto, é negativa.

O documento, em nome de 29 municípios associados à Amop, relatou as dificuldades que parte dos municípios da região Oeste estão enfrentando por conta do decreto 4.942, solicitando, assim, que o Estado revisse e flexibilizasse as medidas, que, entre outras determinações, impôs o fechamento de serviços considerados não essenciais por 14 dias, prorrogáveis por mais sete.

Em vista disso, o prefeito de Quatro Pontes, João Inácio Laufer, diz que está definindo qual pedido fará à Justiça para tentar reverter a situação.

Ele adiantou que, em razão da negativa por parte do Estado, possivelmente a municipalidade ingressará com uma liminar pedindo a revogação do decreto estadual.

O mandatário garantiu que está trabalhando para que o comércio de Quatro Pontes continue a funcionar normalmente.

Quatro Pontes não têm motivos para a suspensão de atividades, em vista do baixo número de casos de Covid-19.

Outros municípios da região Oeste do Paraná, como é o caso de Marechal Cândido Rondon, também não concordam com as medidas restritivas do Estado e estão ingressando na Justiça.

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.