Conectado com

Geral

Inscrições para o Prouni começam hoje

Foto: Agência Brasil

Mais de 134 mil bolsas serão ofertadas; inscrições vão até sexta

 

As inscrições para o Programa Universidade para Todos (Prouni), do Ministério da Educação (MEC), começam nesta terça-feira (13). Ele oferece bolsas de estudo, integrais e parciais (50%), em instituições particulares de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. Os interessados têm até as 23h59 de sexta-feira (16) para se inscrever.

São ofertadas 134.329 bolsas, sendo 69.482 integrais e 64.847 parciais, para 10.821 cursos em 952 instituições de ensino superior da rede privada.

Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Somente poderá se inscrever no Prouni,  estudante brasileiro que não possua diploma de curso superior e que tenha participado do Enem mais recente e obtido, no mínimo, 450 pontos de média das notas. Além disso, o estudante não pode ter tirado zero na redação.

As modalidades de participação são para os estudantes que tenham cursado todo o ensino médio na rede pública ou na rede particular na condição de bolsista integral da própria escola; estudantes com deficiência, neste caso não é necessário ter cursado todo ensino médio na rede pública ou na rede particular na condição de bolsista integral da própria escola e, por fim,  professores  da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública. Nesse caso, não é necessário comprovar renda.

Processo seletivo

O candidato a bolsas do Prouni não precisa fazer vestibular, nem estar matriculado na instituição na qual pretende se inscrever. Entretanto, é permitido às instituições participantes do programa submeter os pré-selecionados a processo seletivo específico, isento de cobrança de taxa. Essa informação será dada ao candidato no momento da inscrição.

O processo seletivo do Prouni tem uma única etapa de inscrição. Essa inscrição, gratuita, é feita exclusivamente pela internet, na página do Prouni. O candidato pode escolher, em ordem de preferência, até duas opções de instituição, curso e turno dentre as bolsas disponíveis, de acordo com seu perfil.

O candidato com deficiência ou que se autodeclarar indígena, preto ou pardo, pode optar por concorrer a bolsas destinadas a políticas de ações afirmativas. Durante o período de inscrição, o candidato pode alterar as opções. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

Pré-selecionados

Encerrado o prazo de inscrição, o sistema do Prouni classifica os estudantes de acordo com as opções e as notas obtidas no Enem. Os estudantes são pré-selecionados em apenas uma das opções de curso, observadas a ordem escolhida no momento da inscrição e o limite de bolsas disponíveis.

Serão realizadas duas chamadas. A cada chamada, os candidatos pré-selecionados têm um prazo para comparecer à instituição de ensino e apresentar os documentos que comprovem as informações prestadas na ficha de inscrição. Para se certificar da veracidade das informações prestadas, a instituição pode pedir ao estudante outros documentos que julgar necessários.

É permitida às instituições a realização de processo seletivo próprio dos pré-selecionados pelo Prouni. Essa informação é dada ao candidato no momento da inscrição. Nesses casos, as instituições que optarem por processo próprio de seleção devem explicar formalmente aos estudantes, no prazo máximo de 24 horas da divulgação dos resultados das chamadas, a natureza e os critérios de aprovação, os quais não podem ser mais rigorosos do que aqueles aplicados aos pré-selecionados em seus processos seletivos regulares. É vedada a cobrança de taxas para realização do processo seletivo próprio.

Fila de espera

Ao final das duas chamadas, o candidato pode manifestar interesse em participar da lista de espera do Prouni. As bolsas eventualmente não preenchidas nas duas chamadas serão ocupadas pelos estudantes participantes da lista de espera que comprovarem as informações prestadas na ficha de inscrição.

 

Fonte: Agência Brasil

Continue Lendo
Publicidade

Geral

Coveiro é denunciado e afastado por corrupção e vilipêndio de cadáver em Terra Roxa

Atendendo pedido formulado pelo Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Justiça de Terra Roxa, a Justiça determinou que um coveiro do Cemitério Municipal seja afastado provisoriamente da função.

Ele e o filho foram denunciados pelos crimes de corrupção passiva e vilipêndio de cadáver.

Ambos também foram proibidos de se aproximar do cemitério e de algumas pessoas vítimas de pedidos de vantagens indevidas e funcionários de uma funerária que presta serviços ao Cemitério Municipal.

Conforme a denúncia, pai e filho teriam solicitado, para pelo menos duas pessoas, pagamento extra para realizar serviços que o coveiro deveria fazer como parte de sua função, no caso a exumação de cadáveres.

Além disso, teriam, em diferentes ocasiões, vilipendiado cadáveres durante o sepultamento, tratando-os com desdém e desrespeito e proferindo palavras de desprezo aos falecidos.

Na denúncia o Ministério Público relata que o filho do coveiro, mesmo não sendo funcionário público, prestava serviços no cemitério com o pai, cobrando os serviços da população, tanto diretamente quanto por meio do pai, que se aproveitava assim do cargo público, por estar sempre em contato com as pessoas que o procuravam para realizar os serviços que ele prestava nessa condição.

Assim, os denunciados teriam se aproveitado da situação para obtenção de vantagens indevidas.

Recentemente, houve a terceirização dos serviços prestados no Cemitério Municipal, e os denunciados teriam passado a dificultar o trabalho da funerária contratada pelo Município, abordando familiares dos falecidos para oferecer serviços no cemitério e pedindo a compra de materiais para sua execução.

Além disso, teriam passado a ofender os funcionários da empresa.

 

Continue Lendo

Agricultura

Quatro Pontes – Micheletto libera R$ 90 mil para estruturar Feira do Produtor

Assessoria

Os cinco produtores que integram a Feira do Produtor de Quatro Pontes receberam uma excelente notícia na segunda-feira (20), junto à sala de reuniões da prefeitura. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Davi Boufleuher, anunciou que recursos de R$ 90 mil foram liberados pelo deputado estadual licenciado e secretário estadual da Administração e da Previdência (Seap), Marcel Micheletto, para investimento na estruturação da feira. Também participaram da reunião, a técnica da Unidade de Valorização de Reciclados (UVR), Fernanda Jung, e o técnico agrícola, Lucas Tonelli.

Com a verba, a intenção é adquirir barracas, mesas, banquetas, expositores, caixas plásticas, caixas térmicas, aventais e demais materiais, atendendo a demanda dos feirantes. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Davi Boufleuher, expõe que está se buscando a valorização da feira, que existe há mais de 20 anos no município. “Na reunião, também foi pautada a intenção de constituir uma associação, onde eles poderão se organizar e angariar recursos junto aos órgãos estaduais e federais, fomentando a produção de alimentos. Assim, decidiu-se reativar a Associação de Agricultores Familiares de Quatro Pontes (Afapontes), fundada em 2011, e que está com a situação cadastral inativa. O próximo passo é marcar uma data e convocar os sócios para uma Assembleia Geral Ordinária visando a eleição da diretoria e conselho fiscal, além da protocolização de projeto para destinação da emenda parlamentar”, diz.

Atendimento

A Feira do Produtor, com apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, segue funcionando normalmente no Centro de Eventos Seno José Lang, respeitando todas as medidas de prevenção à Covid-19. Com o melhor da área rural, os produtores expõem ao comércio produtos de qualidade, inclusive sem agrotóxicos, e com preços bem acessíveis.

De tradição no município, a venda de produtos coloniais fresquinhos, saudáveis, orgânicos e seguros é realizada sempre na sexta-feira, somando mais de 30 opções, desde embutidos, verduras, legumes, ovos, pães, bolachas, melado, chimia, entre outros. Além de auxiliar na renda familiar, a Feira do Produtor valoriza a produção local, oportuniza uma alimentação mais saudável, movimenta a economia da cidade e promove o desenvolvimento social do município.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Geral

Horto Municipal: berço de milhares de plantas que se espalham pelo município

Assessoria

Família Martins de Oliveira tem uma história de vida, com mais de 40 anos atuando no local

 

O horto municipal de Marechal Rondon possui cerca de 45 anos de atividade. Está estruturado em uma área de terra pertencente ao município, localizada próximo ao aeroporto. Administrado pela Secretaria de Agricultura e Política Ambiental, ao longo desses anos é responsável pela produção de milhares de mudas de árvores, plantadas tanto na sede, como no interior rondonense. O principal objetivo do horto é garantir a produção de mudas de árvores nativas para áreas de reflorestamento, bem como plantas para a arborização urbana, distribuídas gratuitamente.

Quem tem experiência para falar sobre esse espaço é Anivaldo Martins de Oliveira (57 anos), que está há 41 anos e 5 meses trabalhando no horto municipal. A entrevista foi realizada à sombra de uma frondosa figueira, plantada pela família Martins de Oliveira há cerca de 40 anos. A reportagem só foi iniciada após Anivaldo ter atendido a mais uma família rondonense que foi buscar algumas mudas nativas, na manhã de quarta-feira (22).

As histórias da família Martins de Oliveira e do horto se fundem. Anivaldo conta que ele, um irmão, uma irmã e o pai trabalhavam em um viveiro de plantas em Toledo, quando o então prefeito Verno Scherer fez uma proposta para que a família viesse cuidar do horto rondonense, que tinha cerca de 3 anos de atividades. “Aceitamos e viemos morar dentro do horto em 14 de abril de 1980. Resido nessa casa até hoje, com minha esposa, com quem casei em 1983. Meu pai trabalhou aqui por 10 anos”, contou.

Anivaldo e os irmãos não fizeram concurso público, porém, garantiram a estabilidade no serviço público pelos anos de trabalho, o que a legislação da época permitia, já que o primeiro concurso público foi realizado somente anos depois. A esposa de Anivaldo também atuou no horto desde 1988, através de concurso público, até se aposentar. O irmão Cilso, também atuou por mais de 20 anos no horto e mais 15 anos na prefeitura, também até se aposentar, como também sua cunhada, que se apontou pela prefeitura.

Espécies

Hoje Anivaldo realiza todo o trabalho sozinho: planta, cuida, rega, realiza as podas, entre outros. Ele menciona que desde o plantio até a muda estar pronta para ser distribuída, o tempo é de um ano a um ano e meio. Questionado se sabe quantas mudas já produziu, ele brinca, dizendo achar que já foram mais de 1 bilhão. “São muitas mudas entregues mensalmente. Chego a atender até a 15 munícipes diariamente”, lembrou.

Hoje o horto possui cerca de 20 mil mudas de árvores nativas e 15 mil mudas de árvores de sombra. “Penso que mais de 80% das árvores da cidade passaram pelas minhas mãos. Produzimos dezenas de espécies, como angico, cedro, loro, pitanga, cereja, araçá, guabiroba, cabriúva, jatobá, jequitibá, entre outros”.

As sementes são coletadas por Anivaldo mesmo. Ele lembra que, mesmo quando está de férias e sai a passeio, sempre volta com muita semente para ser plantada. “Estou sempre atento para viabilizar sementes. Inclusive, aceitamos doações. São sempre muito bem-vindas”.

Dedicação

Quem já foi no horto, sabe muito bem: Anivaldo é cordial, atencioso na escolha das mudas, explica minuciosamente sobre o plantio, tamanho, local ideal e outras informações sobre as plantas. Mesmo sem formação técnica na área, o funcionário público brinca que já “deu aula para agrônomo”, graças à experiência adquirida ao longo dos anos.

Prazer no que faz

Anivaldo tem uma vida dedicada ao horto, já que é o quintal de sua casa. Questionado sobre se gosta do que faz, com sorriso no rosto e brilho nos olhos ele responde: “gosto muito”. Pensa em se aposentar? “Ainda não sei. Preciso passar este legado para outra pessoa. Mas na minha aposentadoria, não penso em pescar. Posso até ser contratado por outra prefeitura para cuidar mais um horto e trabalhar mais 40 anos, tamanha é a satisfação que tenho em fazer isso”, respondeu.

Como se beneficiar das plantas do horto?

Para pegar as plantas é necessário ir até à Secretaria de Agricultura, para buscar uma requisição. São concedidas até 30 plantas, por ano, para cada agricultor e até 4 plantas por morador da sede, que queira plantar no espaço público, em frente à sua residência.

“Há alguns anos, o horto produzia mudas exclusivamente para serem plantadas em locais públicos, pela prefeitura. A forma de atuação mudou, quando se diminuiu o número de colaboradores para esta função. O município achou por bem, então, fazer com que os munícipes plantassem as árvores. Por isso optou-se em se produzir as mudas para serem distribuídas. A prefeitura também utiliza plantas para as áreas públicas. Há também alguns tipos de flores, folhagens e coqueiros que podem ser adquiridos, mediante o pagamento de um boleto que é gerado na Secretaria de Agricultura”, explicou Anivaldo.

Logo na entrada do horto, há uma placa onde consta a Prece da Árvore, que merece ser compartilhada:

“Ser humano,
Protege-me!
Junto ao puro ar
Da manhã ao crepúsculo,
Eu te ofereço:
Aroma, flores, frutos e sombra!
Se ainda assim não te bastar,
Curvo-me e te dou:
Proteção para teu ouro,
Pinho para tua nota,
Teto para teu abrigo,
Lenha para teu calor,
Mesa para teu pão,
Leito para teu repouso,
Apoio para teus passos,
Bálsamo para tua dor,
Altar para tua oração
E te acompanharei até a morte…

Pode ser uma imagem de ao ar livre

 

Pode ser uma imagem de ao ar livre

 

Pode ser uma imagem de planta e ao ar livre

 

Pode ser uma imagem de ao ar livre

 

Pode ser uma imagem de natureza

 

Pode ser uma imagem de 1 pessoa

 

Pode ser uma imagem de em pé, ao ar livre e árvore

 

 

Fonte: Assessoria

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.