Conectado com

Policial

Inteligência e integração das polícias tiram 80 toneladas de drogas das ruas

AEN

As ações integradas das forças de segurança pública do Paraná resultaram em aumento de apreensões de drogas nos sete primeiros meses deste ano, em comparação com o mesmo período do ano anterior. De acordo com relatório da Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico da Secretaria da Segurança Pública, de janeiro a julho deste ano foram apreendidos 73,4 toneladas de maconha, 4 toneladas de cocaína, 783 quilos de crack, 36.897 unidades de ecstasy e 23.457 unidades de LSD.

A cocaína foi a droga que mais teve aumento. De pouco mais de uma tonelada interceptada de janeiro a julho de 2018, passou para quatro toneladas neste ano, um aumento de 271%. Somente em julho deste ano, em uma operação conjunta entre as Forças de Segurança do Estado, foram apreendidas mais de três toneladas da droga que estavam armazenadas em uma marina na cidade de Guaratuba, no Litoral do Paraná.

Neste ano, foram retiradas de circulação 22% a mais de maconha – ou 13 toneladas. As apreensões de crack passaram de 622 quilos nos primeiros sete meses de 2018, para 783 quilos neste ano. Uma alta de mais de 25%. Do total, cerca de 160 quilos foram apreendidos só em Curitiba. As ações na capital paranaense também resultaram em maior apreensão de ecstasy (79%) e LSD (155%).

Para o secretário da Segurança Pública, coronel Romulo Marinho Soares, o combate ao tráfico de drogas no Paraná faz parte do trabalho de integração das forças de segurança que atuam no Estado. “Todas estas apreensões são frutos do trabalho de prevenção, ostensividade, investigação e inteligência das forças policiais vinculadas à Secretaria. Temos atuado constantemente no combate ao crime organizado, já que inibindo o tráfico de drogas conseguimos evitar também outros crimes em todo o Paraná”, disse.

“Sem dúvida, o aumento da apreensão das drogas no Paraná deu-se pelo incremento das ações ostensivas e o fato de estarmos intensificando a atividade de inteligência até a fronteira com o Paraguai e com a Argentina e com as divisas de São Paulo e Santa Catarina. Outro fator que vem a agregar valor a esse processo é o monitoramento da atividade das quadrilhas”, explicou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Péricles de Matos.

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, os resultados se devem, também, a dedicação e ao empenho dos policiais civis que estão trabalhando na ponta da linha. “São policiais que muitas vezes não aparecem, mas que são verdadeiros heróis, sem medir esforços para garantir a segurança da população”, afirmou.

(BOX)
PCPR incinera cerca de 11 toneladas de droga em agosto

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) incinerou cerca de 11 toneladas de droga no mês de agosto. O maior volume (67%) foi destruído em Santa Terezinha do Itaipu, na região Oeste do Paraná. Entre as diversas drogas incineradas, a maconha foi a principal, pois é a mais apreendida no Estado.

O delegado da PCPR, Ítalo Biancardi Neto, explica que historicamente a maconha é a droga mais consumida no Paraná. ““Se compararmos a apreensão no primeiro semestre desse ano com o mesmo período do ano anterior houve aumento de 30% pela Divisão de Narcóticos. É uma droga que se apreende mais em função da demanda, a procura é maior pelos usuários e, por consequência, há uma oferta maior”, diz.

A destruição da maior parte da droga ocorreu em Santa Terezinha do Itaipu porque as apreensões também se concentraram naquela região. “É um grande corredor rodoviário no Paraná por onde passam toneladas de drogas oriundas de países vizinhos como Peru, Bolívia e Paraguai”, disse o delegado da PCPR.

Em 2 de agosto foram queimadas duas toneladas de maconha e dezenas de frascos de lança-perfume em uma olaria localizada no bairro Vila Vitorassi. No dia 20, a PCPR incinerou cerca de 3,2 toneladas de drogas no mesmo local.

Neto explica que a incineração ocorre após a autorização do juiz, que determina o prazo de 15 dias para que a tarefa seja cumprida sob critérios de segurança.

DESTRUIÇÃO– – Além de duas incinerações em Santa Terezinha do Itaipu, a PCPR queimou 4,2 toneladas em Cafelândia, na região Oeste do Estado, em 9 de agosto. O produto ilegal foi apreendido em ações policiais que aconteceram no primeiro semestre deste ano na Região Metropolitana de Cascavel.

No dia 8 foi incinerada 1,5 tonelada de drogas diversas em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba. A destruição ocorreu na empresa Cal Morro Branco, localizada na rodovia Almirante Tamandaré. Maconha, crack, cocaína, LSD e ecstasy foram apreendidas na Capital e na RMC.

 

Fonte: AEN
Continue Lendo
Publicidade

Policial

PRE de Marechal Rondon inicia Operação Páscoa

Devido o considerável aumento no fluxo de veículos de hoje ate domingo, em razão do feriado prolongado relativo aos feriados de “Sexta-feira da Paixão e da Páscoa”, o Batalhão de Polícia Rodoviária aumentará as ações de policiamento rodoviário, visando garantir a segurança pública para os usuários das rodovias estaduais.

O comandante do posto rondonense da PRE, Sargento De Souza, fala dos trabalhos que começam as 14 horas de hoje…

 

Continue Lendo

Geral

Governo do Estado lança edital de concurso da Polícia Civil do Paraná

O concurso Público tem 50 vagas para delegado de polícia, 50 vagas para papiloscopista e 300 vagas para investigador de polícia…

Entre o fim da noite de ontem e a madrugada de hoje, o governo do estado lançou o edital do concurso da Polícia Civil do Paraná.

O concurso Público tem 50 vagas para delegado de polícia, 50 vagas para papiloscopista e 300 vagas para investigador de polícia. O pagamento da taxa de inscrição deverá ser feito na rede bancária ou nas casas lotéricas, respeitando o horário de compensação bancária, até o dia 03/06/2020. A Universidade Federal do Paraná (UFPR) conduzirá o concurso.

Segue o anúncio da Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná.

“O Presidente do Egrégio Conselho da Polícia Civil do Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais, devidamente autorizado pelo Excelentíssimo Senhor Governador do Estado – Protocolos nº 15.476.609-0 (Delegado de Polícia), nº 15.618.472-1 (Investigador de Polícia) e nº 13.461.784-5 (Papiloscopista) –, em vista da decisão do Excelentíssimo Senhor Secretário de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária e do decidido pelo Conselho da PCPR – Deliberações nº 1067, 1068 e 1069 –, e em consonância com às regras expressas no artigo 37 da Constituição da República Federativa do Brasil, além do contido no artigo 27, inciso II da Constituição do Estado do Paraná e bem ainda do artigo 15 do Estatuto da Polícia Civil do Paraná – Lei Complementar nº 14/1982 –, com suas alterações, TORNA PÚBLICA as normas estabelecidas pelo presente Edital com vistas à realização de Concurso Público destinado ao preenchimento de 50 (cinquenta) vagas na classe inicial para o cargo de DELEGADO DE POLÍCIA, 300 (trezentas) vagas para o cargo de INVESTIGADOR DE POLÍCIA e 50 (cinquenta) vagas para o cargo de PAPILOSCOPISTA, todas do quadro próprio de pessoal do Departamento da Polícia Civil do Paraná, além de formação de cadastro de reserva, pelo período de validade do certame, para eventual preenchimento de outras vagas mediante autorização governamental”.

Clique Aqui para ter acesso ao edital do concurso.

Fonte: CGN

Continue Lendo

Policial

Rondonense é lesada em 40 mil reais no golpe do falso sequestro

Ilustrativa

Uma mulher  compareceu na sede da 2ª Cia. da Polícia Militar e Marechal Cândido Rondon e relatou que as 03h00 da madrugada de ontem  recebeu a ligação telefônica de uma pessoa dizendo que havia sequestrado sua filha e exigia dinheiro para libertá-la.

As ligações seguiram até as 07h00 e foram feitas transferências bancárias para contas diversas no valor total de R$ 19.800,00, e dois pagamentos de boletos no valor de R$ 9.990,00 cada.

O golpe do falso sequestro se é praticado da seguinte forma: a vítima recebe uma a ligação telefônica falando que um familiar seu foi sequestrado e é exigido dinheiro.

Os golpistas costumam colocar uma suposta vítima gritando ao fundo da ligação implorando para que o resgate seja pago.

A vítima, assustada com a situação, muitas vezes acaba se esquecendo de conferir se o seu familiar está mesmo fora de contato.

Na tensa situação a vítima também não se dá conta que a voz que ouve gritando ao fundo da ligação é diferente da do seu familiar e, acreditando que seu parente, acaba depositando altas somas em dinheiro.

O alerta é para que as pessoas que receberem estas ligações mantenham contato com o familiar supostamente sequestrado e acionem imediatamente o setor policial.

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.