Conectado com

Política

Lançada oficialmente no último dia primeiro de outubro no Paraná pelo governador Ratinho Junior, a Campanha Paraná Rosa tem ações ocorrendo em todos os municípios do estado.

Assessoria
Um professor e dois pastores serão homenageados

O Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon agendou, para este mês, três sessões solenes para entrega de títulos de “Cidadão Honorário”.

A primeira será nesta quinta-feira (10), a partir das 19h15, no Clube Sempre Verde, no distrito de Porto Mendes. O homenageado será o professor Rubens Ringenberg. O autor da homenagem é o vereador Dorivaldo Kist (Neco).

Filho de Curt e Hedwig Ringenberg, Rubens nasceu em 17 de março de 1952, em Iberama (SC). Em 24 de junho de 1961, veio com a família para Porto Mendes, onde cursou o ginásio e o magistério. Começou a lecionar em 05 de fevereiro de 1975 na Escola Nilo Peçanha, de Porto Mendes. No ano seguinte, passou a lecionar na Escola Municipal Claudio Manoel da Costa, da Linha São Carlos. Também trabalhou em vários colégios estaduais, como o Capitão Heitor Mendes.

Em 1981 e 1982, cursou Estudos Sociais em Umuarama (PR). Já em 1994, assumiu as cadeiras de História e Geografia, cumprindo 20 horas pelo Estado. Também lecionou um ano na Escola de Três Irmãs, em Mercedes (PR), como em outras três oportunidades no colégio do distrito de Iguiporã.

Casado com Reni Wachholz e pai de Rudiney, Raquely e Rafaely, o professor Rubens conta com 45 anos de magistério.

Dia 15

Outra sessão solene para entrega de título de Cidadão Honorário será em 15 de outubro, com homenagem ao pastor Wilson Wild, de autoria do vereador Cleiton Freitag (Gordinho do Suco).

Filho de Helmuth Julio e Joliva Wild, ele nasceu em 17 de agosto de 1957, em Toledo (PR). É casado com Lenir Wild e pai de Adailton, Jonathan e Jean Wild.

Formado em 1978 pelo Instituto Teológico Boa Terra, de Curitiba (PR), Wilson Wild é pastor há 40 anos, tendo iniciado seus trabalhos na Igreja de Deus, em Osasco (SP), onde permaneceu de 1979 a 1982.

No ano seguinte, passou a atuar na Igreja de Deus, em Mercedes (PR), onde segue como pastor sênior até os dias de hoje.

Em 2000, começaram as reuniões na Igreja de Deus Comunidade Emanuel, em Marechal Cândido Rondon, onde tem atuado e pastoreado desde então, inclusive com dedicação especial aos dependentes químicos e alcoólatras, encaminhando-os aos centros de recuperação.

O pastor Wilson Wild também se dedica diariamente ao aconselhamento e atividades com crianças, adolescentes, jovens e casais.

Dia 25

A última sessão solene deste mês será em homenagem ao pastor Alfredo Bischoff, cuja proposta é de autoria do vereador Josoé Pedralli.

Nascido em São Paulo das Missões (RS) em 17 de maio de 1961, o pastor é casado com Cintia Bischoff e pai de Tábata e Teodato. Formou-se em Teologia em 1984 e em Filosofia em 1995, sendo pós-graduado em Teologia, Psicologia e Aconselhamento em 2007.

Alfredo Bischoff chegou em Marechal Cândido Rondon em 2002 para atuar na Congregação Evangélica Luterana Alvorada, que na época iniciava suas atividades. Além do trabalho de evangelização, o pastor passou a promover ações sociais em favor de escolas e pessoas carentes.

Dessa iniciativa, juntamente com a Igreja Luterana Alvorada fundou, em 2005, a Associação Luterana Alvorada de Serviços Sociais, conhecida como Alvorada Social. Ela tem como objetivo auxiliar famílias necessitadas e promover o resgate social e espiritual das pessoas atendidas.

Um exemplo desse trabalho é o apoio para tratamento de pessoas que sofrem com álcool e drogas, iniciado em 2012 em parceria com Grupo de Apoio Cruz Azul, que já beneficiou direta e indiretamente 3.500 pessoas.

Alfredo Bischoff ainda coordena e colabora com atividades de teatro, música, inglês, dança germânica, de doações e participa de conselhos municipais e leciona também de forma voluntária.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Publicidade

Política

Prefeito de Entre Rios do Oeste fala da obra de recuperação da rodovia PR 495

 

Continue Lendo

Geral

Janela para trocas partidárias termina neste final de semana

Em 2020 o primeiro turno das eleições acontecerá no primeiro domingo de outubro dia 4 e o segundo turno no último domingo de outubro dia 25, no entanto, diante da pandemia de Coronavírus as dúvidas ficam no ar, será que as eleições serão realizadas?

Para Tito Campos de Paula, presidente do Tribunal Regional Eleitoral, a ideia principal é manter as eleições normalmente, visto que o calendário eleitoral é determinado pela própria constituição do Brasil.

Entretanto, caso futuramente a situação não estiver normalizada, a Justiça Eleitoral pode adotar outras providências.

Dentre estas providências estaria a decretação de “Estado de Sítio”, qual seja um instrumento burocrático e político em que o presidente da República suspende por um período temporário a atuação dos Poderes Legislativo e Judiciário.

Com relação ao calendário eleitoral, apesar da pandemia do coronavírus, o advogado rondonense João Bersch releva que até agora não houve qualquer alteração…

Continue Lendo

Geral

Bolsonaro comparou o conoravírus a uma chuva que molha, mas não mata

Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro causou duas polêmicas de uma só vez nesta quarta-feira, em entrevista à TV Bandeirantes ao falar sobre o coronavírus.

Primeiro, pediu que as pessoas mais jovens sejam infectadas para que não haja um surto da doença no inverno; e depois, comparou o vírus a uma chuva que molha, mas não mata.

Bolsonaro disse que “Vai morrer mais gente porque haverá um pico de ida aos hospitais”.

Disse ainda que pessoas abaixo de 40 anos contraindo o vírus não vai ter problema, criticando as medidas de isolamento social impostas por governadores: “se a garotada se infectar agora, ela seria uma barreira no futuro para não transmitir o vírus para os mais idosos. É uma conta que você bota na mesa”.

Bolsonaro disse que o vírus “se dá bem melhor no frio” e “todo mundo vai pegar a doença”.

As declarações, contudo, não foram baseadas em evidências científicas e além disso, há registros de pessoas abaixo dos 40 anos morrendo no país.

O presidente ainda comparou o coronavírus a uma chuva que molha, mas não mata. “O vírus é igual a uma chuva. Ela vem e você vai se molhar, mas não vai morrer afogado”.

Acrescentou que “Tem essas pessoas mais fracas. Às vezes a pessoa vive pobre, fraca por natureza, dada a falta de uma alimentação mais adequada e então essas pessoas são as que sofrem mais”.

Bolsonaro também revelou nesta quarta-feira ter se reunido com um grupo de pesquisadores que estuda a atuação da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19.

“A cloroquina é uma realidade, é quase palpável. Falta uma comprovação científica, uma base maior. Parece que está tendo resultados que podem nos levar a uma certeza”, disse.

O próprio ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ainda é cauteloso quanto ao remédio.

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.