Conectado com

Policial

Policia encontra boné de rondonense desaparecido, à 500 metros de carro incendiado

Celular da vitima foi encontrado queimado no interior do Fiat Uno.

Ainda não há pistas do paradeiro do rondonense, Arlindo Jacoboski, de 54 anos, desaparecido desde a manha de ontem, quinta-feira.

Ele saiu de casa para o trabalho por volta das 7 horas, utilizando seu veículo Fiat Uno, com placas AGD-6326, de Marechal Cândido Rondon.

Arlindo saiu de sua casa, no Jardim Ana Paula e tinha como destino uma obra na Vila Gaucha, porém, não chegou para trabalhar.

No decorrer da manhã, bombeiros e Policia Militar foram acionados em virtude de um veículo que estava em chamas, em uma estrada rural da Linha Palmital, interior de Marechal Cândido Rondon.

No local, os militares identificaram que o carro totalmente destruído pelas chamas era o de propriedade de Arlindo Jacoboski.

Antes do incêndio, três das quatro rodas do carro foram retiradas – e junto com o estepe – levadas das imediações.

No interior do Fiat Uno, a Policia encontrou o celular da vitima queimado.

Também próximo do automóvel foi encontrado um isqueiro e um recipiente, possivelmente utilizado para transportar a gasolina que foi usada para provocar o incêndio.

Na data de ontem, o boné da vitima foi encontrado numa região de mato, a cerca de 500 metros do veículo incendiado.

Policiais militares da Segunda Companhia e do BPFron fizeram uma varredura na região da Linha Palmital – incluindo a participação do Pelotão Canil do Batalhão de Fronteira, contudo, nenhum avanço foi registrado.

Ate agora, não há informações sobre o paradeiro do rondonense Arlindo Jacoboski, de 54 anos, que é operador de máquina, e por conta do período de entressafra fazia “bicos” como servente de pedreiro.

Geral

Nova ponte vai exigir aumento de fiscalização na fronteira

Sistema precisará ser mais rigoroso e mais eficiente

A Segunda Ponte entre Brasil e Paraguai, batizada de Ponte da Integração , ligando Foz do Iguaçu a Presidente Franco, em Alto Paraná, no Paraguai, deve ser uma realidade a partir de 2022 e visa intensificar a relação entre os dois países, criar mais oportunidades de negócios, mas também engloba consequências que exigirão do governo um planejamento logístico, urbano e, sobretudo, da área da segurança.


É fato que o governo já tem colocado um empenho maior na fiscalização e segurança da fronteira, como é o caso da Operação Hórus, que notícia todos os meses grandes volumes de apreensões de produtos contrabandeados nos locais em que atua.

O sistema de fiscalização porém, precisará ser mais rigoroso para que o local não se torne mais um ponto de entrada de produtos contrabandeados do Paraguai.

Isso exigirá dos órgãos de segurança envolvidos uma continuidade no investimento em inteligência e aprimoramento na cooperação com as autoridades paraguaias.

O secretário municipal de Turismo de Foz do Iguaçu , Gilmar Piolla, diz acreditar que de fato o contrabando tende a aumentar, pois será mais uma oportunidade de travessia de mercadorias trazidas do país vizinho.

O presidente do Programa Oeste em Desenvolvimento, Danilo Vendrúsculo, também afirma que será necessário dobrar os efetivos para dar conta da entrada e saída de pessoas e veículos”.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou, em nota, que tem priorizado ações de combate ao crime organizado na região de fronteira, ressaltando que até o final do ano, o Projeto Vigia , um Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras, contemplará a região onde será construída a ponte.

Por meio do programa, coordenado pela Secretaria de Operações Integradas, as forças de segurança vão atuar em conjunto na região de fronteira, em ações como a Operação Hórus, no Paraná.

O objetivo é fortalecer o combate ao crime organizado, aumentar a fiscalização e a repressão contra crimes transfronteiriços como contrabando de cigarros, brinquedos e eletrônicos, o tráfico de drogas e de armas”.


Continue Lendo

Geral

Número de óbitos por conta de afogamentos dispara no Paraná

Ilustrativa

A cada dia três pessoas se afogam e a cada quatro dias e meio uma pessoa morre numa ocorrência desse tipo no Paraná, mas nas últimas semanas, diante do forte calor, o número de óbitos por conta de afogamentos disparou.

 Praticamente há uma vítima fatal por dia no Estado 

A prova disso é que em outubro o Paraná registrou a média de aproximadamente uma morte por dia em incidentes com pessoa em meio líquido.

Informações compiladas diretamente do Sistema Digital de Dados Operacionais do Corpo de Bombeiros do Paraná revelam que, entre 2014 e 2019, foram registrados no estado um total de 6.530 ocorrências de afogamento, com um total de 471 mortes no período analisado.

Apenas neste ano já foram atendidas 607 ocorrências de afogamentos, com o registro de 99 óbitos.

Em outubro, o número de casos atendidos foi até que baixo, num total de 18, mas o número de mortes disparou: foram 17 em 21 dias, o que dá uma média de 0,8 mortes por dia ou ainda quatro mortes a cada cinco dias.

Nos últimos dois anos, inclusive, assusta o número de mortes.

Entre 2014 e 2016, a média era de 50 mortes por ano, aproximadamente, e em 2017 já havia subido para 74.

No ano passado houve recorde com 149 mortes, mas este índice ainda pode ser batido neste ano, pois historicamente os meses de dezembro, janeiro e fevereiro concentram, juntos, até 89% dos casos de afogamento no estado.

Isso acontece pelo fato desses meses marcarem a entrada da estação mais quente do ano, o verão, quando as pessoas buscam rios, cavas e praias para ‘espantar’ o calor.

Continue Lendo

Policial

Mulher é baleada e estuprada durante entrevista de emprego em Palotina

Foto: Portal Palotina

Uma mulher ficou gravemente feriada ontem, após ser estuprada e baleada durante entrevista de emprego em Palotina.

De acordo com a vítima, ela foi chamada para entrevista de emprego na residência do “suposto empregador”.

Chegando ao local, foi rendida pelo acusado que mandou que tirasse a roupa, porém a vítima se negou.

Então, o homem disparou contra seu ombro, a estuprou na sequência e, mais tarde, o acusado ainda a drogou e a violentou novamente.

Durante a madrugada de hoje, após diversas tentativas de limpar o ferimento e estancar o sangue da vítima, o homem a levou até o Hospital Municipal de Palotina e fugiu na sequência.

Ao observar que se tratava de disparo de arma de fogo, o médico plantonista chamou a Polícia Militar.

Em conversa com a vítima, os policiais de serviço localizaram a casa do acusado e o prenderam em flagrante.

Na residência, foram encontrados diversos objetos suspeitos, entre eles, armas, munições, facas, binóculos e uma roupa de segurança particular.

Devido aos ferimentos, a vítima foi transferida para um Hospital em Toledo.

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.