Conectado com

Agricultura

Safra de grãos deve fechar 2019 com crescimento de 5,9%

IBGE diz que safra de grãos deve fechar 2019 com crescimento de 5,9% .

O país deve ter uma safra recorde de 239,8 milhões de toneladas neste ano.

Assim como estimou a Companhia Nacional de Abastecimento, O IBGE também afirmou que a produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar 2019 com um crescimento de 5,9% em relação ao ano anterior.

De acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, realizado em agosto, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o país deve ter uma safra recorde de 239,8 milhões de toneladas neste ano, ou seja, 13,3 milhões a mais do que em 2018.

No levantamento anterior, realizado em julho, a estimativa era um pouco menor, de 239,7 milhões de toneladas, ou 5,8% a mais do que no ano anterior.

De acordo com o IBGE, a alta de 5,9% deve ser puxada pela produção de milho, que deve crescer 21,5% em relação ao ano anterior.

As outras duas grandes lavouras de grãos devem ter queda: soja e arroz.

Entre as outras lavouras de grãos em que se estima produção acima de 1 milhão de toneladas, deverão fechar o ano com alta o algodão, o sorgo e o trigo.

O feijão, por outro lado, deve ter queda de 1,1% no ano.

O Levantamento também estima a produção de outros produtos agrícolas importantes.

A maior lavoura do país, a de cana-de-açúcar, deve ter queda de 1,4%.

Também são esperados recuos nas produções de café, laranja, tomate e uva.

Por outro lado, são esperados avanços nas produções de banana, batata-inglesa e mandioca.

Continue Lendo
Publicidade

Agricultura

 Presidente Bolsonaro sanciona MP que amplia acesso ao financiamento rural

Ilustrativa

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a chamada MP do Agro, que aprimora o crédito rural, ampliando o acesso ao financiamento, expandindo os recursos e reduzindo taxas de juros.

A Lei 13.986/2020, que cria o Fundo Garantidor Solidário, foi publicada ontem em edição extra do Diário Oficial da União.

A medida era esperada há muito tempo pelo setor agropecuário, pois amplia o acesso ao crédito rural, estimulando os financiamentos com recursos livres e a concorrência no mercado.

Para a ministra Tereza Cristina, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a lei representa uma nova fase do crédito rural brasileiro, trazendo oportunidade de modernização e de facilitação ao sistema de financiamento agrícola.

Além do Fundo Garantidor Solidário, a lei trata do patrimônio rural em afetação, da equalização de taxas de juros para instituições financeiras privadas, da Cédula Imobiliária Rural, de títulos de crédito agropecuário, da Cédula de Produto Rural e da subvenção aos financiamentos para cerealistas em operações de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.

Foram vetados os artigos 55, 56, 57,59 e 60 do texto aprovado pelo Congresso Nacional.

A inclusão desses artigos, segundo a mensagem presidencial ao Congresso, provocariam renúncia de receita sem cancelamento de despesa e invasão de competência dos estados e do Distrito Federal para legislar sobre tributação.

Continue Lendo

Agricultura

Paraná sofre com estiagem mais severa dos últimos anos

O Paraná vive a pior estiagem desde que o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) começou a monitorar as condições do tempo, em 1997.

A baixa precipitação já dura dez meses. Levantamento do Simepar apontou que nove das maiores cidades paranaenses, de quase todas as regiões do Estado, tiveram chuvas bem abaixo da média histórica entre junho de 2019 e março de 2020.

Houve uma redução média na precipitação de 33% no conjunto de municípios formado por Curitiba, Ponta Grossa (Campos Gerais), Guarapuava (Centro), Maringá (Noroeste), Londrina (Norte), Foz do Iguaçu (Oeste), Cascavel (Oeste), Guaratuba (Litoral) e Umuarama (Noroeste).

Guarapuava é a cidade que mais sofre com a seca; a diminuição no volume de chuvas foi de 47,2% – 809 milímetros contra uma média histórica de 1.533 mm para o período.

Em todos os dez meses analisados choveu menos do que o previsto no município: em março, apenas 30 mm ante uma expectativa de 113 mm.

Porém, no volume total, Curitiba foi quem teve menos chuva entre os municípios pesquisados: 725 mm; redução de 43,1%, já que a média histórica apontava para 1.274 mm.

Na sequência, o termômetro da seca aponta para Ponta Grossa (40% de diminuição), Foz do Iguaçu (34,7%), Cascavel (33,8%), Umuarama (31,1%), Londrina (30,5%), Guaratuba (22,7%) e Maringá (15%).

As previsões também não são animadoras. Relatório do Simepar mostra que o volume de chuvas no Paraná ficará abaixo da média normal no período que varia de três a seis meses.

A estiagem do primeiro trimestre deste ano, especialmente no mês de março, reforça a necessidade do consumo consciente da água em todo o Paraná.

A meteorologia também prevê, para os próximos três meses, chuvas abaixo ou dentro da média esperada além de temperaturas pouco superiores ou próximas às registradas para esse período.

Continue Lendo

Agricultura

Família Pedde cancela 11º edição da tradicional Festa do Milho

Foto: O Presente

Há 10 anos, como forma de saudar a produção agropecuária, agradecer a Deus pelas conquistas e enaltecer a amizade, a Família de Eno e Iva Pedde realiza a tradicional Festa do Milho, em Mal. Cândido Rondon.

Cada edição reúne agricultores, empresários ligados ao setor produtivo, representantes de empresas parcerias e amigos de outros segmentos, para confraternizar, trocar ideias e projetar sempre melhor a atividade agropecuária no município e região.

Entretanto, segundo o agropecuarista Eno Pedde, em razão do momento de alerta ao coronavírus e a dengue, aliada a estiagem que compromete boa parte das lavouras de milho da safrinha, o melhor caminho é cancelar a 11ª edição do evento, marcada para este mês.

Segundo ele, não há dúvidas que, antes de se comemorar boas safras e até mesmo recordes de produção agrícola, é necessário seguir algumas recomendações que visam garantir saúde à população e, assim, nos prepararmos para dias melhores.

 

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.