Conectado com

Policial

Receita incinera 320 toneladas de cigarros contrabandeados em Foz do Iguaçu

Foto: Receita Federal

Oito carretas – com aproximadamente 15 metros cada uma – carregadas com 130 toneladas de cigarro ilegal, vindas de Bauru, em São Paulo, chegaram a Foz do Iguaçu.

A ação faz parte de uma grande força-tarefa realizada pelo Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Receita Federal do Brasil para a destruição de 320 toneladas de cigarros contrabandeados, a maioria proveniente do Paraguai, equivalente a 225 milhões de unidades.

A operação tem como objetivo liberar espaço físico nos depósitos de produtos contrabandeados de São Paulo para possibilitar a continuidade e, especialmente, a intensificação das ações policiais de apreensão e combate ao contrabando.

O cigarro é o principal item contrabandeado e apreendido no Brasil, chegando a representar 40% dos produtos ilegais.

Com essa operação, cerca de 56 milhões de reais deixaram de financiar o tráfico de drogas, a corrupção e uma série de crimes violentos como os homicídios e o latrocínio.

Para Edson Vismona, presidente do Fórum Nacional Contra a Pirataria, a destruição dos cigarros ilegais é também uma questão de segurança, pois reduz significativamente os riscos de invasão dos depósitos com as mercadorias apreendidas.

O Fórum é uma associação civil, sem fins lucrativos, com foco exclusivo no combate à ilegalidade.

Segundo levantamento do Ibope, mais de 63 bilhões e 400 milhões de cigarros ilegais inundam as cidades brasileiras.

O número equivale a 57% do mercado de cigarros, sendo que 49%

destes são cigarros contrabandeados principalmente do Paraguai, passando pelo Paraná.

Somente em 2019 já foram destruídos em Foz do Iguaçu 48 milhões e 126 mil maços de cigarros.

A máquina que faz o processamento realiza a separação automática de fumo, filtro e papel e tem a capacidade de processamento de 800 a mil caixas de cigarros por dia.

O fumo vai uma parte para uma empresa que faz a produção de biogás em Foz do Iguaçu, outra para uma empresa cimenteira de Curitiba que faz o coprocessamento do fumo, o que quer dizer que o fumo é queimado, não gera resíduo na atmosfera e o resíduo é incorporado na produção do próprio cimento.

Outra parte vai para uma empresa na região de Curitiba e é usada na fabricação da cerâmica.

Continue Lendo
Publicidade

Geral

Réu julgado em Marechal Rondon foi condenado mas vai cumprir em liberdade

Juiz concedeu o benefício do regime aberto

Foi realizado nesta quinta- feira (06) no Fórum de Marechal Cândido Rondon sessão do  Tribunal Popular do Juri ,   para  julgar um crime de tentativa de homicídio duplamente qualificado,  ocorrido em 20 de maio de 2021 numa residência localizada a Rua das Flores, numero 330, no Bairro Higienópolis.

Na ocasião o réu Isaias Pereira  desferiu dois golpes de faca contra a vitima Maria Lucia de Souza, atingida nas costas e no braço direito.

O Ministério Público sustentou que o denunciado “ só não logrou êxito no seu intento, por circunstâncias alheias à sua vontade, uma vez que sua esposa e um enteado intervieram e a vitima conseguiu fugir do local”.

Ainda segundo a denúncia,  o delito foi cometido por motivo fútil, uma vez que a vitima estava na residência cuidando de sua amiga  Ângela Aparecida da Silva  , companheira do denunciado, a qual estava enferma.

Consta que Isaias Pereira mandou Ângela embora e esta teria dito   que o mesmo deveria cuidar da esposa e não deixá-la desamparada, quando então ele armou-se com a faca e desferiu os golpes.

Após os debates entre Ministério Público e Defesa  os jurados entenderam pela  condenação do réu.

Assim sendo, o juiz criminal  substituto em Marechal Cândido Rondon,  Dionisio Lobchenko Junior , sentenciou Isaias Pereira em  04  anos e 09  meses de reclusão,  devendo ser descontado da pena o período em que permaneceu segregado cautelarmente, no caso, a  01  ano, 04 meses e 16   dias.

O  regime inicial de cumprimento do restante da pena deverá ser o  aberto.

Diante de disso o juiz determinou a imediata expedição do competente  alvará de soltura, para que o réu possa recorrer da sentença em liberdade.

A próxima sessão do Tribunal do Juri de Marechal Cândido Rondon está marcada para o dia 18 de outubro.

Na ocasião será julgada  Patricia Lopes de Morais, que atentou a tiros contra seu pai Silvestre Soares de Moraes, em 19 de julho  de 2010, numa residência no Bairro Ciprestes

Continue Lendo

Geral

É solicitado apoio do consulado paraguaio nas buscas ao jovem que se afogou na praia de Porto Mendes

 

Mesmo com chuvas, foram retomadas nesta quinta-feira (06) as buscas ao corpo do jovem Gabriel Ziviani, de 23 anos, que se afogou no sábado (01) na praia de Porto Mendes.

Os trabalhos entraram no quinto dia.

Além do Corpo de Bombeiros e Marinha do Brasil, foi solicitado auxilio nas buscas ao consulado do Paraguai, conforme detalha o comandante dos bombeiros de Marechal Rondon, capitão Rodrigues…..   assista ao vídeo

 

Continue Lendo

Geral

Buscas ao jovem que se afogou em Porto Mendes entram no quarto dia

Capitão dos Bombeiros fala com exclusividade dos trabalhos

As buscas ao corpo do jovem que se afogou na praia de Porto Mendes entraram hoje (05) no quarto dia.

 O caso aconteceu na noite de sábado (01) quando Gabriel Ziviani, de 23 anos, e mais dois amigos estavam em um barco, retornando do Paraguai, quando a embarcação afundou.

Um dos jovens conseguiu nadar ate a ilha de pedra, na praia de Porto mendes, e foi resgatado.

O outro se agarrou em uma garrafa pet dois litros e foi flutuando, pedindo por socorro, ate que foi ouvido e resgatado por frequentadores da praia: ele já estava no meio do lago.

Desde então, Corpo de Bombeiros e Marinha do Brasil realizam buscas mas sem exito.

O comandante do Corpo de Bombeiros de Marechal Rondon, capitão Rodrigues, fala dos trabalhos que foram reiniciados nesta quarta-feira e destaca que as chances de localização do jovem aumentam.

Assista ao vídeo

O jovem Gabriel Ziviani, de 23 anos, é procedente do Estado de São Paulo, reside no distrito de Porto Mendes há quatro meses e trabalha no Frigorífico de Peixes de Iguipora.

Familiares acompanham as buscas.

Continue Lendo

(45) 3284-8080
Central telefônica (45) 9997-0083 - (45) 9997-0067
FM 95,1 (45) 9997-0733 | WhatsApp FM (45) 9997-0532
Técnica AM 970 (45) 9997-0740
Copyright © 2019 Radio Difusora do Paraná.